Quando você compra algo pela internet, seja qual for o item, tem um meio de pagamento online funcionando por trás dessa compra. Sabia disso né?

Não? Então vamos lá.

E-Commerces, serviços on-line e venda de software usam meios de pagamento para vender seus produtos e serviços. E meios de pagamento online como cartão de crédito, cartão de débito, boletos e débito em conta são alguns dos métodos de recebimento oferecidos por esses lojistas.

Mas para entender ainda mais, vamos detalhar melhor a seguir.

O que é o pagamento on-line?

O Pagamento Online é a principal ferramenta de cobrança de ecommerces (lojas virtuais), aplicativos de pagamento móveis (mobile payment) e soluções como transferência online de débito. Para que esse tipo de pagamento aconteça, é necessário existir um gateway (software online de pagamentos), um subadquirente (intermediador) e/ou um adquirente presentes na transação.

Hoje em dia é possível usar pagamento online para diversos tipos de serviços, seja para comprar um produto, pagar prefeituras/órgãos públicos entre outros tipos de prestações. Não precisa ser “bidu” para saber que o pagamento digital será a forma mais usada para comprar daqui para frente.

Pagamento on-line: formas de recebimento.

Escrevemos algumas das melhore dicas para entender quais são e como funcionam as formas de pagamento online existentes no Brasil. Boa leitura!

Pagamento online em ecommerce: lojas virtuais vendem através de uma plataforma digital de produtos, onde o cliente paga no exato momento da confirmação da compra. O banco emissor do cartão de crédito do cliente, recebe a informação em tempo real a solicitação de aprovação. Na prática, essa forma de pagamento online, a operadora de cartão cobra o valor da compra no limite do cartão de crédito do cliente (que paga uma fatura) e o lojista recebe em até 31 dias em sua conta corrente a venda efetuada, já com os descontos de adquirentes (Elavon, Cielo, Rede, GetNet e etc), no caso de se usar um gateway. Alguns subadquirentes, que intermediam e administram a venda do cliente, pagam em prazos diferentes, podendo chegar até em um dia útil.

Pagamento online em mobile: aplicativos também são capazes de cobrar online através de um gateway ou intermediador. Um bom exemplo são os aplicativos de taxi, onde o cliente ao final da corrida, faz um checkout e paga o valor da corrida. Nesse tipo de pagamento online, o lojista também recebe em até 31 dias da conclusão da venda se estiver usando um gateway ou adquirente.

Pagamento online em transferência online de débito: A maioria dos bancos brasileiros oferece essa forma de pagamento para seus respectivos clientes. O mais usado deles é o ItauShopline, do Itau Unibanco, onde as lojas virtuais fornecem a possibilidade de clientes do banco, autorizarem a compra através de uma transferência online. Para que isso aconteça o cliente é levado ao ambiente do banco para completar o checkout. Nessa forma de pagamento, o cliente é debitado em conta corrente no ato da compra e o lojista recebe em um dia útil na conta da empresa. É o débito direto.

Pagamento online em DDA – Essa forma de cobrança online é o Débito Direto Autorizado. Para que isso aconteça, ainda é necessário o envio de um arquivo de cobrança da empresa prestadora para o cliente. O banco solicita autorização desse cliente para debitar diretamente da conta corrente. Na prática o cliente reconhece a dívida e dá o aceite no arquivo eletrônico que era na sua origem um boleto. Muito difundido pelos bancos, o DDA ainda não se consolidou.

Principais vantagens do pagamento online

Algumas vantagens como aprovação em tempo real e análise de fraudes, fazem do pagamento online uma poderosa ferramenta para clientes e comerciantes. Para lojas virtuais e negócios online, esse tipo de pagamento se torna necessário e indispensável, já que a relação cliente x loja depende muito dessa aprovação online para que seja entregue o produto ou disponibilizado um acesso no caso de softwares SaaS (software as a service), porém algumas vantagens valem ser reforçadas:

– Aprovação em tempo real – sem burocracias e espera de serviços terceiros para obter confirmação da venda.

– Possibilidade de vender online. Lojas, clubes de futebol, academias e até estacionamentos podem começar a vender online. Basta estudar o mercado e seu público alvo.

– Economia de tempo com processos burocráticos. Além de oferecer o benefício de acesso, tempo é dinheiro. Emitir cheques e boletos levam mais tempo do que se imagina para emitir, pagar e conciliar.

– Análise antifraude. O pagamento online permite integração com softwares que analisam perfis e dados para garantir que a venda não se trata de uma fraude.

– Sustentabilidade, já que a redução de papel por exemplo, são significativas. É sustentável porque elimina drasticamente a emissão de boletos. Além de tempo.

– Acessibilidade. De qualquer lugar e para qualquer pessoa, o pagamento online permite que o cliente não tenha barreiras para adquirir um produto ou serviço. – Redução da inadimplência (principalmente com a extinção de emissão de cheques)

– Redução de custos com: conciliação bancária de boletos, cartões e outros meios de captura.

Pagamentos offline

Débito em Conta Corrente (EDI – Captura de dados – Intercâmbio de arquivos). Para que esse tipo de cobrança aconteça é necessária a intervenção de uma VAN. É a forma de cobrança que permite o débito em conta corrente (Sisdeb, Débito Direto e etc), que é muito utilizado por concessionárias, provedores de email e escolas. Nesse exemplo, o cliente autoriza a prestadora de serviço a efetuar o débito na sua conta.

Boletos – Realidade do mercado brasileiro, os boletos ainda estão em um número muito grande por aqui. Escolas, Condomínios, Planos de Saúde entre outros ramos usam bastante dessa forma de pagamento.

Cheques – em queda livre no uso do brasileiro, os cheques ainda circulam em grandes números em alguns ramos como Academias, Lojas de Móveis e Estacionamentos.

Taxas médias cobradas de Bancos, Adquirentes, Subaquirentes e Gateways.

Cada adquirente, subadquirente, banco e gateway, precifica de uma forma e cobra de uma forma muito diferente. Algumas formas de pagamento cobram porcentagem, outras pelo volume de transações processadas. O Brasil é um dos países mais difíceis de se obter uma padronização de serviços e tarifas, fazendo do empresário, um grande analista de diversas variáveis.

Preparamos rapidamente as taxas médias de cada meio de pagamento, com um mínimo e máximo. Lembrando que qualquer taxa ou tarifa citada dependem de diversos fatores como: análise do cliente, volume, quantidade de transações, análise de crédito e também ramo de atividade.

– Taxas média cobradas pelos Adquirentes no mercado: de 3,20% a 4,90%

– Taxas médias cobradas pelos Subadquirentes no mercado: de 4,50% a 7,90%.

– Taxas médias cobradas pelos bancos para débito em conta e transferência online: de R$0,45 até R$1,90

– Taxas médias cobradas pelos Gateways de pagamento: de R$0,45 a R$1,50 por transação

– Taxas médias cobradas pelo bancos para emissão de boletos: R$2,90 a R$5,80 por boleto pago/emitido.

4 formas seguras de pagamento online para o meu negócio?

Cada vez mais a tecnologia moderna permite que as diversas possibilidades de pagamento nas lojas virtuais fiquem seguras e precisas. Os donos dos negócios eletrônicos tentam aumentar o tráfego de clientes para seus websites, oferecendo mais opções e deixando as páginas de pagamento mais amigáveis e cômodas para navegação, facilitando a vida de seus clientes. Você saberia dizer quais são as formas de pagamento mais confiáveis do e-commerce brasileiro?

pagamento seguro

Cartão de crédito

Este é o meio de pagamento preferido pelo varejo eletrônico, sobretudo nas grandes lojas. O cartão de crédito tem operacionalidade bastante prática, além de permitir que o consumidor parcele sua compra, na maioria das vezes, sem juros. A opção oferece boa segurança para o lojista, já que a responsabilidade de aprovar a transação é da operadora do cartão, de modo que, se houver fraude, dificilmente deixará de receber o valor pago. Contudo, há o agravante do chargeback – quando o valor da venda não será creditado em nome da loja, por conta de o titular do cartão não reconhecer a transação feita ou por esta desobedecer os regulamentos ou termos das administradoras. Outro fator negativo é que a modalidade exige do dono do negócio um custo muito elevado, pois as administradoras cobram taxas que variam entre 3 a 5% sobre a compra, além de demorar a efetuar o repasse.

Débito online ou transferência bancária online

Modalidade de pagamento onde o cliente precisa migrar, na hora do pagamento dos produtos que deseja adquirir, da página da loja virtual para o website do banco em que possui conta-corrente. A vantagem aqui é que o pagamento ocorre em tempo real, de forma que a imediata confirmação libera o produto para postagem à residência do cliente. No entanto, o caminho é menos prático e mais demorado em comparação com o cartão de crédito. Para o lojista, as taxas são bem menores, e o risco de chargeback, quase nulos.

Empresas intermediárias de pagamento

Os sistemas externos de pagamento online, como Paypal, PagSeguro, Bcash, Mercado Pago, Moip, F2B, Aceita são uma opção eficiente para receber sem que a loja virtual necessite se relacionar comercialmente com operadoras de cartão de crédito e bancos, ou mesmo que seja uma empresa formal (tenha CNPJ). Dependendo do sistema eleito, o cliente tem boas opções de parcelamento, e o lojista reduz bastante os riscos de chargeback, deixando ainda a responsabilidade de aprovação do pagamento para a empresa intermediária. O que pesa aqui, mais uma vez, são as taxas e tarifas envolvidas em cada compra ou volume de transações, além do demorado tempo de confirmação, que leva até 2 ou 3 dias úteis.

Boletos recorrentes

O boleto bancário é a forma de pagamento mais escolhida em websites de leilões virtuais e e-commerce de pequeno porte, com boa participação também nos varejos de grande volume. A principal vantagem é a universalidade desta modalidade, visto que o boleto pode ser pago em qualquer banco. Ele é o meio mais seguro, inclusive, para as cobranças recorrentes, podendo ser enviado diretamente para o e-mail do cliente, além de não envolver taxas de administração ou sobre o volume de vendas.

Você já conhecia todos esses meios de pagamento? Quais deles você já utiliza em seu website de e-commerce? Aproveite para dinamizar as formas de pagamentos para seus clientes. Essa diversidade é um dos segredos de sucesso dos negócios online e diminui consideravelmente o abandono dos produtos no carrinho de compras virtual na hora em que o e-consumidor chega à etapa de realizar o pagamento!

Pagamento on-line com segurança

O primeiro ponto de se ter um gateway de pagamento ou uma solução de pagamento on-line é avaliar a segurança. Conhecer bem o serviço, falar com clientes que já usam o gateway e ainda se certificar que a empresa é apta a receber suas vendas, são ponto críticos que a maioria das empresas não procuram analisar.

A maioria das empresas que procuram um gateway de pagamento decide por preço. Solicite logo no primeiro contato a certificação PCI Compliance dessa empresa. Essa certificação garante que seu provedor de meios de pagamento esteja em conformidade com os procedimentos da indústria de cartões.

Foram boas as dicas? Cadastre e entenda um pouco mais.

vindi

Quer acrescentar alguma opinião ou dica sobre pagamentos online? Deixe um comentário abaixo!

Gostou do post? Compartilhe!