O Pix QR Code é uma maneira prática e ágil de fazer pagamentos instantâneos que vem ganhando cada vez mais popularidade.

Aliás, o Pix é um fenômeno que extrapolou o envio de dinheiro entre amigos para dividir a conta do churrasco e invadiu o comércio, revolucionando as lógicas de pagamento.

Já virou algo comum chegar ao caixa de uma loja e ver em cima do balcão um banner com o QR Code para pagar via Pix.

Não precisa abrir a carteira, não precisa sacar dinheiro ou usar cartão de crédito ou débito.

É só apontar o celular para o código e pronto.

Você sabe como gerar e como fazer uso dessa facilidade?

Quer ficar por dentro do funcionamento dessa forma de pagamento para decidir como aplicar no seu negócio?

Então acompanhe esse texto até o fim e saiba tudo sobre o Pix QR Code.

O que é o Pix QR Code?

Antes de entrar nos detalhes específicos do Pix, vamos entender um pouco mais sobre o QR Code em geral.

QR Code, ou código QR, é a abreviação de Quick Response Code, ou seja, código de resposta rápida.

Ele serve como um atalho para mais informações.

Funciona de forma semelhante a um código de barras, só que com outro formato, como você vê na imagem abaixo:

pix qr code: imagem ilustrativa de QR CodeO QR Code é uma imagem 2D, preparada para ser lida pelas câmeras dos celulares.

Na verdade, o conceito é bem anterior à era dos smartphones.

Surgiu em 1994, no Japão, criado para atender ao setor automotivo.

A ideia era basicamente identificar peças dos carros nas fábricas de forma mais ágil.

Com o passar do tempo, o QR Code foi ganhando utilidades mais avançadas, já que esse pequeno código pode armazenar uma grande quantidade de informações.

Os QR Codes podem ser usados, por exemplo, para conduzir usuários a sites e páginas na internet, transmitir dados e, atualmente, para a tecnologia de pagamentos via celular.

Antes mesmo de o Pix adotar o QR Code, ele já era usado em sistemas parecidos, mas normalmente a partir de um intermediário, enquanto no Pix as transações acontecem diretamente entre os usuários.

Como funciona o QR Code no Pix?

No caso do Pix, o QR Code funciona de forma alternativa à chave Pix, porém, com a possibilidade de indicar ainda mais informações.

Basicamente, ele faz a identificação das partes envolvidas em uma transação para poder levar o dinheiro de uma para a outra.

É como um endereço para a sua conta.

Depois que você cadastra pelo menos uma chave, como e-mail, CPF ou telefone celular, o aplicativo do seu banco (ou de um intermediário) oferece a opção de cobrar via QR Code.

A criação do código é instantânea e, nesse caso, você não precisa revelar sua chave Pix, se não quiser.

Então, a pessoa que vai fazer o pagamento aponta a câmera do celular dela para a tela do seu e, em dois toques, está feito.

Ou então você pode simplesmente enviar o QR Code por link via SMS ou qualquer outro meio.

Funciona de forma realmente muito rápida e prática.

Vantagens da cobrança por QR Code

Em primeiro lugar, a praticidade do sistema é evidente. É possível fazer a cobrança de maneira muito simples e receber o pagamento com mais agilidade.

Bem diferente de fazer uma venda no cartão de crédito, por exemplo, que pode levar até 28 dias para cair na sua conta.

Ou no boleto bancário, que tem um tempo de compensação de até três dias.

Além disso, os custos são bem menores do que os cobrados pelas operadoras de cartão e não precisa da maquininha.

Aqui é importante lembrar que, diferentemente dos envios de dinheiro entre pessoas físicas, os grandes bancos cobram tarifas de empresas por recebimento de Pix.

Mesmo assim, os valores costumam ser mais em conta – vai depender da política do seu banco e da negociação que você tem com ele.

É importante também mencionar a popularidade do sistema. 

Como lojista, você quer alcançar o maior número de clientes possível, por isso é importante oferecer diversas formas de pagamento.

Quase a metade da população total do Brasil já usou Pix, segundo o Banco Central, portanto, certamente uma boa parte do seu público gostará de usar o Pix QR Code.

Por fim, vale reforçar que o sistema do Pix como um todo é absolutamente seguro.

É claro que, como em qualquer operação bancária, sempre é preciso ficar muito atento aos golpes, que com a instantaneidade da transferência no Pix ficaram ainda mais perigosos.

Como cobrar com QR Code no Pix

Para implementar a cobrança com QR Code no Pix no seu negócio, é bem fácil.

Há dois tipos diferentes de código que precisam ser diferenciados.

Basicamente, o QR Code dinâmico pode ser editado para trazer informações diferentes, enquanto o QR Code estático não pode.

Vale observar que o estático pode ser usado para várias compras diferentes. Geralmente, esta é a opção dos comerciantes que imprimem e deixam à disposição para o pagamento.

Já o dinâmico é para uma compra específica, para cada venda realizada é gerado um QR Code diferente para o cliente. 

Confira a seguir o que pode ser levado em conta na hora de elaborar o código.

Pix QR Code Dinâmico

De forma geral, os QR Codes Dinâmicos do Pix podem ser criados a cada venda, com várias informações para o cliente.

Alguns dados que podem ser configurados no QR Code dinâmico do Pix são:

  • Valor original da cobrança
  • Juros/multa aplicáveis
  • Descontos
  • Valor final
  • Data de vencimento do pagamento
  • Tempo de expiração do QR Code
  • Dados do recebedor e do pagador.

É um código completo para vender com mais informações e detalhes para o cliente.

Um dado curioso é que, no Manual do Banco Central, existe a determinação de que os aplicativos das instituições financeiras não têm a obrigação de ler os QR Codes dinâmicos.

Portanto, pode ser que o seu negócio depare com clientes sem essa possibilidade de pagamento.

No entanto, na prática, o que se vê é que a maioria dos bancos opera com QR Code dinâmico.

Caso apareça uma impossibilidade, porém, a alternativa sugerida pelo BC é que o recebedor disponibilize uma URL (link) com os dados de pagamento.

O usuário, ao clicar nesse link, será levado à página de pagamento, da mesma forma que pelo QR Code.

Pix QR Code Estático

Já o QR Code estático é como se fossem os dados bancários do recebedor na forma de QR Code, sendo possível de usar entre pessoas físicas também.

Ele serve como um substituto da chave Pix e apresenta uma quantidade menor de informações que o QR dinâmico.

São as seguintes:

  • Chave de endereçamento (conta do recebedor)
  • Valor da transação (opcional, pois o valor pode ser configurado pelo próprio pagador no ato da transação)
  • Identificação da cobrança (opcional)
  • Campo para livre preenchimento (opcional).

Por ser basicamente a identificação de uma conta bancária, um mesmo QR Code estático, sem definição de valor, poderá ser usado permanentemente por uma pessoa ou estabelecimento para múltiplas transações.

É o tipo que pode ser impresso e deixado à mostra no balcão ou caixa do comércio como opção de pagamento, como mencionamos no começo deste artigo.

Todos os aplicativos de instituições financeiras autorizadas no Pix devem aceitar o QR Code estático.

Portanto, ele é mais comum do que o dinâmico, que tem algumas restrições.

Cada estabelecimento, dependendo do seu contexto, decide qual tipo de QR Code, estático ou dinâmico, funciona melhor para sua rotina de vendas e seu público.

Diferença do QR Code para as chaves Pix

Se um pode substituir o outro, qual é a diferença entre o QR Code e o Pix?

Bom, para esclarecer isso, vamos começar pelo funcionamento da chave Pix.

A chave Pix para estabelecimentos comerciais e empresas é uma informação de identificação de conta a partir de CNPJ, telefone ou e-mail.

Cada estabelecimento pode cadastrar de 1 a 20 chaves Pix por conta, sem repetir nenhuma entre diferentes instituições financeiras.

Após o cadastro das chaves e validação da instituição financeira, o comércio pode cobrar um pagamento usando a chave Pix, da mesma forma que entre pessoas físicas.

Funciona como uma transferência TED, porém, instantânea e gratuita para o cliente.

No seu aplicativo financeiro, o cliente digita a chave Pix informada pelo estabelecimento e o valor que deseja transferir.

Após as validações de segurança, o dinheiro é enviado diretamente para a conta da loja. 

O recebedor, fazendo uso da chave Pix, não tem controle sobre o valor estipulado na transferência, pois quem digita é o cliente.

Isso pode levar a erros em caso de desatenção, e aí está a principal distinção em relação ao QR Code.

Com o QR Code dinâmico, é possível transmitir para o usuário os dados já configurados pelo recebedor.

É claro que, no e-commerce, não faz diferença: você pode adicionar o Pix QR Code como mais uma opção no seu checkout de pagamentos, diretamente pelas melhores plataformas de pagamentos do mercado.

Além desta, as demais diferenças são mais básicas e óbvias no processo operacional: com a chave Pix, não é preciso usar a câmera do celular, e com o QR Code, não há necessidade de copiar um código.

QR Code na Vindi: como funciona?

E se fosse possível unir toda a praticidade dos pagamentos com o Pix QR Code e a tranquilidade e segurança da cobrança recorrente, como seria?

Não precisa ficar imaginando, porque isso já existe e se chama Pix Vindi

Nosso Pix funciona tanto para produtos e serviços quanto para assinaturas.

Os pagamentos podem ser feitos por meio do QR Code dinâmico, no qual, como vimos, todos os dados são configurados pelo seu estabelecimento, além do Pix Copia e Cola, disponível nas páginas de pagamento e fatura.

A liquidação é instantânea, e você pode receber no mesmo dia, em dois horários predeterminados.

Na recorrência, você cadastra o cliente e os dados de pagamento uma vez e recebe todo mês, sem risco de inadimplência e sem retrabalho, ficando livre para vender muito mais.

São muitas vantagens e facilidades para você aproveitar.

Clique aqui e deixe o Pix Vindi ajudar o seu negócio a faturar mais alto!

pix qr code imagem de mulher vestida com roupa laranja em fundo azul segurando celular com QR Code

[avg] ([per]) [total] vote[s]

Write A Comment

[data-image-id='gourmet_bg']
[data-image-id='gourmet_bg']
[data-image-id='gourmet']
[data-image-id='gourmet']