O Vindi Insights de abril de 2021 traz várias novidades sobre o mercado da recorrência e mostra por que vale a pena vender por assinatura na crise do coronavírus.

Todo mês, levantamos os principais dados com base na nossa carteira de clientes de diversos segmentos, incluindo educação, e-commerce, saúde e clubes de assinatura.

Nos destaques desta edição, você vai conferir informações sobre a resiliência das empresas recorrentes, notícias do setor, indicadores macroeconômicos e a evolução de cada ramo de atividade durante a pandemia.

Siga a leitura e fique bem informado sobre o mercado. 

Mercado de recorrência

Vamos começar este Vindi Inisghts pelas notícias com maior repercussão no mercado de negócios recorrentes em abril de 2021.

Confira:

Empresas de assinatura mostram sua resiliência na pandemia

O modelo de assinatura tem sido a salvação para sustentar as empresas em meio à pandemia – e até negócios com mais de 100 anos de mercado estão aderindo à recorrência.

De acordo com a Zuora, 4 de cada 5 empresas de assinatura continuaram crescendo durante a maior crise global que já vivenciamos, ou tiveram impacto limitado, como mostra o gráfico abaixo:

Vindi Insights Abril 2021

Indicadores econômicos

Em relação aos indicadores econômicos, a Selic (taxa básica de juros da economia) segue em alta e os indicadores de inflação também.

A perspectiva é que a Selic alcance os 6,25% até o fim de 2022, enquanto o destaque da inflação ficou com a gasolina, energia elétrica e passagens aéreas. 

Vindi Insights Abril 2021

TPV da Vindi

Ao longo da pandemia, a composição do TPV (Total Payment Volume) dos clientes da Vindi variou bastante, devido à forma como cada segmento foi impactado pela crise.

De modo geral, os negócios recorrentes vêm se mostrando mais resilientes por conta do modelo de assinatura que gera receita contínua, como era esperado.

O destaque de abril é o segmento SaaS (Software as a Service), que continua crescendo, tendo subido 3,7 pontos percentuais em relação ao ano passado.

As seguradoras também tiveram um excelente resultado, registrando 9,1% em abril de 2021 (aumento de 5,1 p.p. em relação a abril de 2020).

Já o segmento de associações e doações surpreendeu por apresentar o maior aumento percentual mês a mês, seguindo como dos poucos a apresentar variação positiva em abril.

Por outro lado, o fitness continua em queda mês a mês, tendo perdido 11,5 p.p. em relação a abril de 2020 – um reflexo do forte impacto da pandemia no setor. 

Vindi Insights Abril 2021

Métodos de pagamento: a vez do cartão de crédito

Na seção de métodos de pagamento, vimos o cartão de crédito disparar com um aumento de 12,2% em abril.

Ele segue em primeiro lugar entre os meios preferidos pelos consumidores.

Enquanto isso, o boleto teve uma queda de 17,4% que já era esperada nesta época do ano, pelo fato de que muitos boletos emitidos em fevereiro tiveram seu vencimento nos primeiros dias úteis de março. 

Ainda assim, os boletos seguem fortes na Vindi.Vindi Insights Abril 2021

TPV por segmento

Agora vamos conferir a evolução do TPV por segmento dos clientes Vindi:

  • Educação: após um aumento de 15,41% em março, teve uma leve queda de 1,7% em abril, com média de 55% dos clientes com variação negativa. Ainda assim, o principal cliente do segmento teve um crescimento de 6,2%
  • Clubes de assinatura: a queda do setor foi considerável, com -11,3% em relação a março. A explicação pode ser a queda expressiva de um dos principais clientes, que sozinho representa 47,7% do segmento (sem ele, haveria crescimento leve de 0,6%)
  • Seguradoras: seguem em alta com salto expressivo de 64,2%, comparado aos 17,8% de março. Um dos clientes foi responsável por puxar os resultados para cima, com um crescimento surpreendente de 102,5% no TPV
  • SaaS: depois de crescer 41,3% em março, SaaS teve uma queda significativa de 21,2% em abril. O cliente que representa cerca de 27% do segmento teve uma queda de 41,4%, em comparação com um crescimento de 178% em março
  • Saúde: a queda do segmento foi de 10,5%, puxada pelo principal player que caiu 11% em abril. Mesmo sem o principal cliente, o setor ainda caiu 9%
  • Serviços financeiros: após uma sequência de altas, teve queda de 21,7%, capitaneada pelos dois principais players que caíram 11,9% e 25,9%. Cerca de 60% dos clientes tiveram variação negativa
  • Estética e beleza: o setor teve queda tímida de 2,8%, em um movimento generalizado. Apenas um cliente teve variação positiva, mas o número é expressivo (64,4%)
  • E-commerce: a queda do e-commerce também foi pequena, de 1,5%. Mesmo com o principal player crescendo 26,7%, todos os outros apresentaram uma leve queda
  • Associações e doações: após apresentar o maior percentual de crescimento em março, o setor segue como um dos únicos com variação positiva, alcançando 10,5%. Apenas um dos clientes teve queda de 14,2%.

Seguimos acompanhando a evolução do mercado da recorrência mensalmente aqui no Vindi Insights e acreditando no potencial de resiliência desses negócios.

E claro que a Vindi está aqui para apoiar todos os segmentos e garantir que as empresas vendam mais e sempre em 2021.

Newsletter Vindi