O mercado de assinaturas e os negócios por recorrência estão se consolidando a cada ano que passa.

De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), os negócios por recorrência cresceram 167% nos últimos quatro anos.

Em 2019, grandes players do mercado aderiram ao modelo de negócios. Importantes nomes como Nike, Burger King, Liverpool Football Club e Apple adotaram o modelo de recorrência, alguns para aumentarem suas vendas e outros visando novos formatos de negócios, como é o caso do Liverpool.

Um outro exemplo interessante e brasileiro, é a Sociedade da Mesa. Um clube de assinaturas pioneiro, que foi criado em 2003. A Sociedade da Mesa, seleciona vinhos de todo o mundo para seus associados, que recebem as seleções em suas casas.

Com 16 anos no mercado, a Sociedade da Mesa buscar terminar 2019 com faturamento de R$ 35 milhões e está investindo R$ 2 milhões para levar a cuidadosa curadoria que disponibiliza aos clientes do clube de vinhos para o varejo.

A estratégia de crescimento começa com a oferta de 100 rótulos exclusivos, autorais e artesanais no e-commerce lançado este mês pela companhia.

Ou seja, é inegável que o mercado de assinaturas é um modelo em rápida consolidação. Por isso, neste artigos vamos mostrar alguns outros exemplos de sucesso e tendências para o mercado de assinaturas em 2020.

Por que os consumidores usam serviços por assinatura?

De acordo com o DIMENSION 2019, existem dois motivos principais. Os usuários buscam por conteúdos e produtos com qualidade e a maioria quer consumir sem anúncios.

Esse comportamento se encaixa no que é chamado de Sociedade 5.0. Um nova maneira de consumo, que está diretamente ligada ao crescimento do mercado de assinaturas.

No artigo “Por que escolher o modelo de assinaturas para vendas?”, você pode conferir um tópico exclusivo sobre o assunto e entender melhor a relação entre mercado de assinaturas e as novas formas de consumo.

A primeira pesquisa DIMENSION realizada em 2017, mostrou que 23% dos adultos entrevistados preferiam pagar por conteúdo se fosse para evitar anúncios e propagandas. Já em 2019, esse número aumento um pouco, 29% dos entrevistados alegaram assinar determinados conteúdos para evitar anúncios, principalmente em plataformas que já oferecem serviços e gratuitos.

Mesmo que esses números chamem a atenção, especialistas afirma que o crescimento desse mercado não se dá apenas por esse motivo, mas também porque a busca por conteúdos exclusivos e de qualidade tem sido maior.

Mas, então, quais são os principais motivos que levam as pessoas a escolherem o mercado de assinaturas?

Televisão e vídeos

Quando os consumidores foram questionados se pagam por conteúdos audiovisuais ou apenas consomem os que são gratuitos as respostas foram as seguintes:

  • 52% afirmou pagar por algum serviço de assinaturas de televisão ou vídeos online;
  • 38% declarou que pode passar a assinar algum plano de conteúdo que atualmente utiliza de forma gratuita.

Nesse segmento, 48% dos entrevistados afirmou que a principal justificativa para assinaturas é a possibilidade de consumir conteúdos exclusivos, que não estão em todas as plataformas.

Além disso, também foi uma das justificativas o consumo on demand do conteúdo e 37% disse que escolhe assinar conteúdos para evitar publicidade.

Áudio e texto

Além dos produtos audiovisuais, os conteúdos apenas de áudio ou texto também tem destaca no mercado de assinaturas.

No caso de produtos de áudio, e neste caso estão incluso ou players de reprodução como Spotify e Deezer, 48% dos consumidores afirmam que o principal motivos para assinarem esse tipo de serviço é que o formato se adapta às suas necessidades de uso.

Além disso, 39% dos entrevistados afirmou que optam por esses serviços para evitarem anúncios. Entre as pessoas que consomem conteúdos de texto, 39% destaca a possibilidade de personalização.

Tendências para o mercado de assinatura em 2020

De acordo com a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia, a economia brasileira começa a apresentar indicadores de recuperação, mediante redução substancial dos juros de equilíbrio, diminuição continuada do risco país, queda da inflação, expansão de crédito livre e retomada da confiança.

Além disso, de acordo com o relatório Focus, do Banco Central, para 2020, a expectativa da taxa Selic caiu de 4,50% para 4,25% ao ano. A estimativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, foi mantida em 0,92% este ano. O dólar segue em R$ 4 para o fim de 2019 e 2020.

Diante desses números, 2020 torna-se um ano interessante para investir em novos mercados ou modelos negócio. Neste tópico, vamos mostrar algumas tendência de mercado que podem ser utilizadas com modelo de assinatura ou recorrência.

Investimentos

O mercado de investimentos no Brasil tem ganhado um fôlego redobrado, muito por causa das inúmeras empresas que oferecem possibilidade de investimento considerados mais fáceis que os métodos ditos tradicionais.

Com isso, o número de pessoas interessadas em investimentos e aplicações têm crescido. Paralelo a isso, também cresce a necessidade de se saber mais sobre o assunto. Apostar em plataformas e conteúdos sobre investimentos pode ser uma excelente opção para 2020.

Já existem empresas que atuam dessa maneira, como a Inversa Publicações. Eles, por exemplo, têm por objetivo ajudar as pessoas a investirem com mais sabedoria, para ganharem mais retorno para o seu dinheiro.

Além de conteúdos gratuitos, a Inversa, também oferece planos de assinatura para conteúdos exclusivos sobre investimento.

Ainda que não seja um novidade, o mercado de investimento é grande e novos formatos de assinatura e recorrência podem ser pensados para ele.

Beleza

O crescimento do mercado da beleza não é uma novidade para ninguém, porém a cada ano que passa é um segmento que se fortalece, mesmo em meio a anos de crise e economias retraídas.

Para 2020, apostar no segmento da beleza continua sendo promissor. Um exemplo interessante desse setor é a BeautyBox, uma plataforma de assinaturas que faz parte do Grupo Boticário.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), o setor de beleza é um dos mais movimentados e obteve um crescimento de 2,77%.

Além disso, de acordo com pesquisas realizadas pelo Euromonitor, existem 500 mil de salões formais no Brasil, com uma previsão de crescimento de 4,5% até 2021.
48% dos estabelecimentos são informais (o que significa que os números podem ser ainda maiores do que é apresentado pelas pesquisas).

Aumento de franquias na área da beleza vem sendo cada vez mais expressivo nos últimos 10 anos. Na região Sudeste, existem 276 mil de salões para cada 100 mil mulheres, nas regiões Norte e Nordeste, existem 264 mil de salões para cada 100 mil mulheres.

Diante desses números, pensar em estratégias de assinatura e recorrência para esse segmento é uma tendência para 2020, principalmente quando observamos os salões e as franquias.

Mercado saudável

Para encerrar essas tendências para o mercado de assinatura em 2020, podemos destacar o mercado saudável.

Mais uma vez vamos citar Euromonitor, que fez uma pesquisa e concluiu que o setor de produtos saudáveis movimentou R$ 92,5 bilhões no Brasil. Além disso, existe a expectativa que apresente um crescimento de 3% ao ano até 2022.

Um estudo chamado Tendências em Alimentos e Bebidas, revelou que quatro a cada cinco brasileiros pagariam mais para consumir algo com maior valor nutricional.

Segundo a agência internacional de pesquisa de mercado, nos últimos cinco anos, o crescimento do setor de alimentos e bebidas saudáveis foi, em média, de 12,3% ao ano e em 2019, a previsão é que o segmento cresça ainda mais e atinja 50%, movimentando R$ 110 milhões.

O mercado saudável pode ser explorado de inúmeras formas. Podem ser trabalhados por assinatura ou recorrência, alimentos, serviços, como de personal ou nutricionista e até mesmo produtos de beleza.

Autor: Aldo César

CEO/Founder da Rits Tecnologia. Especialista em projetos de software e integrações. A frente da implantação de e-commerces para clube de assinaturas para grandes empresas.