Que as assinaturas vieram para ficar nós já sabemos, mas como será a relação dos brasileiros com esses serviços e produtos recorrentes?

Estamos falando de planos de internet, assinaturas de serviços de streaming, tags de estacionamento, clubes de assinatura e qualquer produto ou serviço que possa ser assinado e pago na recorrência.

Para entender como as pessoas consomem esse tipo de serviço e quais são as tendências do setor, a Vindi realizou uma pesquisa inédita, que mostra em detalhes o perfil do consumidor recorrente.
Pesquisa Mercado de Assinaturas no Brasil
Siga a leitura para conferir nossas descobertas e conhecer melhor os assinantes brasileiros.

Assinaturas e comportamento de consumo dos brasileiros: qual a relação?

O modelo de assinaturas, mensalidades e planos ganha cada vez mais força no Brasil, mostrando que a economia da recorrência veio para ficar.

Mas, apesar dos indícios de que esse tipo de negócio tem feito sucesso, faltavam dados concretos sobre o mercado e um estudo mais aprofundado sobre a relação dos brasileiros com os produtos e serviços recorrentes.

Não faltam mais.

A Vindi aproveitou sua expertise em recorrência para lançar a pesquisa Assinaturas: como os brasileiros consomem serviços e produtos recorrentes – o maior estudo sobre o mercado de assinaturas já feito no país.

Foram entrevistadas mais de 1.650 pessoas de todas as regiões do Brasil com o objetivo de entender o perfil de consumo de assinaturas, incluindo gastos mensais, preferências e tendências.

Uma das principais descobertas da pesquisa é que as pessoas não sabem exatamente quanto gastam ao mês com serviços recorrentes por assinatura – algo de que já desconfiávamos.

Além disso, parte considerável dos consumidores não reconhece planos de academia, tags de pedágio e planos de TV a cabo como assinaturas.

Quando falamos de assinatura, as pessoas tendem a lembrar de prontidão dos serviços digitais, como streamings, apps de música, jogos e outros, mas se esquecem de outros itens com pagamento recorrente.

Apesar disso, mais da metade do público assina ou paga recorrentemente entre 6 a 10 serviços, enquanto 69% gastam mais de R$ 100,00 ao mês com assinaturas. 

Pesquisa assinaturas

Além disso, 74% dos consumidores assinam produtos digitais como apps, jogos e serviços de streaming de música e filmes.

Isso mostra que esses produtos e serviços já estão presentes no dia a dia da maioria dos brasileiros, mesmo que ainda não haja tanta consciência sobre o modelo de assinaturas. 

Perfil dos respondentes da pesquisa

Antes de falar sobre os comportamentos identificados na pesquisa, vamos resumir o perfil predominante dos respondentes da pesquisa:

  • Homem (66,4%)
  • Entre 26 e 40 anos (64,1%)
  • Renda familiar alta (46,5% ganham acima de R$ 10 mil)
  • Morador da Região Sudeste (71%).

Confira o perfil detalhado do público pesquisado:

Pesquisa assinaturas

Em relação aos produtos e serviços assinados pelo público, estes são os principais:

  • Contas de consumo e telecomunicações
  • Filmes, séries e vídeos
  • Música
  • Serviços de entretenimento
  • Saúde
  • Educação
  • Seguros
  • Academia e lazer
  • Serviços em nuvem
  • Aplicativos de serviços
  • Clubes de assinaturas
  • Associações.

Os 4 perfis de interesse dos assinantes brasileiros

Em nossa análise do perfil dos respondentes, identificamos quatro clusters mais representativos, de acordo com gênero, idade e faixa de renda. 

Confira quais são esses perfis e como se relacionam com assinaturas.

Victor: o premium (43% do público)

  • Homem, maior de 25 anos, com alta renda (acima de R$ 10 mil)
  • Tem cerca de 10 assinaturas ou mensalidades ativas
  • Gasta acima de R$ 500,00 por mês com produtos e serviços por assinatura
  • Quase a totalidade (97,6%) assina algum tipo de serviço digital, e quase um terço (29,1%) assina produtos
  • Dentre todas as personas, são os que têm maior tendência a pagar por ambas as categorias (serviços e produtos) simultaneamente (27%).

Categorias mais consumidas

  • Filmes, séries e vídeos (97,1%)
  • Música (88,7%)
  • Outros serviços de entretenimento (81%)
  • Saúde (72,3%)
  • Seguros (71,7%)

Robson: o principiante (14,8%)

  • Homem com menos de 30 anos, com renda média baixa (até R$ 5 mil)
  • Tem de 6 a 7 assinaturas ou mensalidades ativas
  • Gasta entre R$ 100 e R$ 300 mensalmente com isso
  • O fator renda não interfere no consumo de serviços digitais. Quase a totalidade desse grupo (97,1%) também assina algum tipo de serviço digital, mas em relação a produtos por assinatura, apenas 16,9% declara consumir
  • Dentre as personas é o que menos consome clubes de assinatura (16,9%) e serviços de bem-estar e cuidados pessoais como academias (38%) e saúde (50,8%).

Categorias mais consumidas

  • Filmes, séries e vídeos (96,3%)
  • Música (77,3%)
  • Outros serviços de entretenimento (67,8%)
  • Educação (59,5%)
  • Saúde (50,1%)

Marisa: a basiquinha (15%)

  • Mulheres, com até 40 anos, com renda média baixa (até R$ 5 mil)
  • Tem cerca de 6 assinaturas ou mensalidades ativas
  • A maioria gasta entre R$ 100 e R$ 300 por mês com produtos e serviços por assinatura
  • É o perfil com menor percentual que assina algum tipo de serviço digital em relação aos demais (90%) , e quase 27% assina produtos
  • Em relação às demais personas, é a que possui os menores percentuais de assinaturas em serviços de nuvem (29,7%), filmes (92%), música (73,5%) e demais entretenimentos (54,2%).

Categorias mais consumidas

  • Filmes, séries e vídeos (92,0%)
  • Música (73,5%)
  • Educação (57,8%)
  • Saúde (55,0%)
  • Outros serviços de entretenimento (54,2%)

Bianca: a que se cuida (16%)

  • Mulheres, de 26 a 40 anos, com renda familiar alta (acima de R$ 5 mil)
  • Tem cerca de 8 assinaturas ou mensalidades ativas
  • A maioria gasta entre R$ 100 e R$ 300 por mês com produtos e serviços por assinatura
  • É o perfil com maior percentual que assina algum tipo de produto em relação aos demais (30%), e quase 95% assina algum serviço digital
  • É a persona que mais consome clubes de assinatura (30,3%) e que preza por serviços de educação (60,7%) e de cuidados pessoais, se destacando em serviços de saúde (70%) e seguros (65,9%).

Categorias mais consumidas

  • Filmes, séries e vídeos (94,8%)
  • Música (81,3%)
  • Saúde (70,0%)
  • Outros serviços de entretenimento (66,7%)
  • Seguros (65,9%).

Como foram definidos os perfis

Os perfis de interesse acima foram definidos com base nas respostas de mais de 1.600 participantes de todas as regiões do Brasil, em uma análise que durou cerca de três anos.

As pessoas responderam como consomem, quais serviços elas pagam mensalmente e qual a percepção de valor que cada um tem sobre aquela assinatura.

Além disso, a pesquisa tem como base os principais serviços pagos mensalmente, classificados por faixa etária, renda, gênero, região e outros dados pertinentes.

Com a ajuda da tecnologia, conseguimos processar os dados obtidos e agrupar os perfis nos clusters que vimos acima, chegando a uma representação precisa dos consumidores de assinaturas. 

O que as pessoas valorizam nos produtos e serviços recorrentes

Quando perguntados sobre como avaliavam a necessidade de pagar por serviços como Netflix, Spotify, Sem Parar e academias, como a SmartFit, a média geral ficou em torno de 8 pontos.

Pesquisa assinaturas

Esse resultado nos leva a crer que o público tem uma percepção positiva sobre a necessidade de pagar por esses tipos de serviços, com quase 40% atribuindo notas entre 9 e 10.

Além disso, o estudo mostrou que a percepção de valor de pagar um plano de internet ou celular pós-pago tem quase o mesmo peso que consumir serviços recorrentes como academias, streaming de música e vídeo e tags de estacionamento.

Cerca de 36% atribuíram bom valor a esse tipo de serviço mensal (de 7 a 8, numa escala de 0 a 10) e 41% avaliam como indispensáveis (9 a 10).

Principais benefícios que o consumidor vê nas assinaturas 

Em relação aos benefícios percebidos nas assinaturas e serviços recorrentes, estes foram os principais:

  • Experiência na hora de acessar ou consumir o produto (39,8%)
  • Pagar somente pelo uso/acesso do produto ou serviço (29,1%)
  • Menor custo em relação a adquirir um produto ou serviço avulso (21,7%)
  • Facilidade de cancelamento (9,4%).

Confira abaixo os perfis relacionados à escolha das vantagens:

Pesquisa assinaturasFicou curioso para conferir mais detalhes da pesquisa e explorar o mercado da recorrência?

Então, baixe agora o estudo completo e entenda a fundo a relação dos brasileiros com os serviços e produtos recorrentes.

Pesquisa Mercado de Assinaturas no Brasil