Gilette entra no mercado de assinaturas

Uma prática que vem ganhando cada vez mais espaço no cenário internacional é a oferta de produtos por assinatura. A ideia de “assinar” a sua cervejinha para recebê-la no conforto de casa, parece inusitada, mas têm dado certo lá fora e aqui no Brasil também. Nesse modelo, os produtos escolhidos são entregues ao cliente de acordo com a sua necessidade, como qualquer outro programa de assinatura. Enquanto as marcas conquistam um público fiel, os consumidores ganham em economia, praticidade e conforto. No ano de 2014, foi a vez da Gillette – a gigante dos aparelhos de barbear – aderir a esse segmento. Saiba mais!

gilette

O que levou a Gillette a entrar no mercado de assinaturas?

A opção da Gillette em aderir ao sistema de assinaturas foi, na verdade, uma resposta inteligente à concorrência do Dollar Shave Club. A novidade criada em 2012 pelo empresário Michael Dubin, que chegou com a proposta tentadora: garantir a sua barba sempre bem feita custando apenas um dólar por mês.

Para o anúncio do Dollar Shave Club, foi lançado um video onde o seu fundador criticava, de forma divertida e um tanto mal criada, as empresas que produzem lâmina de barbear. Alegando o preço alto e injustificável dos produtos, Michael oferecia uma alternativa não apenas mais barata, como mais prática.

Veja o vídeo.

O Shave Club é isso mesmo que o nome sugere, um “clube de barbear”. O programa funciona assim: o cliente faz a sua assinatura e recebe, em casa, as lâminas e aparelhos de barbear necessários para se manter com a barba em dia durante um mês. Basta escolher um modelo de barbeador e definir a frequência com que a barba será feita, assinando o plano mais adequado à sua rotina. Essa iniciativa permite que o cliente economize e muito na hora de se barbear. Além disso, os aparelhos chegam direto na sua casa, uma praticidade e um conforto ainda não oferecidos por esse segmento.

O vídeo ficou famoso, alavancando as vendas do Dollar Shave Club. Sua recém-criada companhia foi inundada por pedidos de clientes, claramente insatisfeitos com os atuais preços das lâminas de barbear. Hoje em dia, o número de assinantes do programa já ultrapassou os 800.000.

Na época, a Gillette se pronunciou garantindo que a novidade não representava nenhum perigo à marca, que possuía uma hegemonia incontestável no mercado norte-americano, com 60% das vendas. Quando os resultados da iniciativa começaram a aparecer, a empresa também começou a se preocupar. De acordo com a Nielsen – empresa que realiza pesquisas de mercado no mundo inteiro – o número de vendas das lâminas de barbear em lojas dos EUA caiu 10,6% em 2013.

Ao se deparar com essa concorrência surpreendente, a Gillette decidiu entrar para o mercado das assinaturas com a sua própria iniciativa. Para isso, ela criou o seu próprio Shave Club. Segundo a empresa, com o custo de apenas um dólar por semana é possível se manter barbeado, com a qualidade da Gillette.

A diferença é que, ao acessar  o Shave Club da gillette, o cliente é direcionado para as principais lojas de departamento dos EUA, como Amazon, Target e Walgreens. São essas lojas que oferecem os chamados ShavePlan, ou planos de barbear. É uma forma inteligente de contra-atacar o avanço do Shave Club, ao mesmo tempo garantindo que as lojas não percam os seus clientes.

Case Brasileiro “Home Shave Club”

Por aqui temos um player do segmento fazendo um barulho interessante. É o Home Shave Club (http://homeshave.com.br), versão nacional do Dollar Shave. O serviço de assinatura de lâminas já entrega centenas de lâminas no domicílio dos assinantes.

home-shave

Fundado em 2014, o clube é um dos cases de assinatura mais relevantes no país. Com a comunicação focada em humor e interativa, o Home Shave encanta não só pelos produtos, mas também pelo jornal que os assinantes recebem mensalmente. Outro chamariz são os brindes que os assinantes recebem dentro do kit.

O mercado de lâminas no Brasil é um mercado bilionário. São consumidas por ano, cerca de 700 milhões de lâminas de barbear por aqui. É um mercado que cresce cerca de 10% ao ano. O dado que assusta é que Bic + Gilette têm juntas 94% do mercado.

sites-de-assinatura

O que você acha da assinatura de lâminas de barbear? Deixe sua opinião nos comentários abaixo. 

A Equipe de redação Vindi é formada pela área de sucesso do cliente, marketing, financeira e vendas. Todo mundo contribui para que você fique informado sobre tudo em assinaturas, pagamento on-line e Saas.

Você vai gostar também

Como montar um clube de assinatura? Alguns empreendedores nos procuram para ajudá-los a decidir e desenvolver projetos. Uma das maiores demandas que temos são pessoas, empreendedores e e...
Murilo Gun procura um sócio para projeto de assina... Olha só: você é do mercado de assinaturas? Ouça o podcast do Murilo Gun agora: https://soundcloud.com/murilogun/socio Para quem não entendeu: el...
Facebook libera vendas por assinatura Ainda ontem, literalmente, eu escrevi sobre a concorrente da Uber que planeja o futuro da empresa mirando a venda por assinatura e que, não só ela, mi...
7 Modelos de negócio que bombam vendendo na recorr... Qual a chave do sucesso? Não existe receita pronta, mas sem dúvidas as empresas que vendem na recorrência têm grandes chances de bombar. Inclusive, ex...