Um MVP SaaS tem particularidades e características fundamentais para que testes e implementações sejam feitos e reavaliados.

Além disso, o Minimum Viable Product pode ser usado para validar não só o começo de um SaaS, mas também uma nova ferramenta ou funcionalidade que será lançada no mercado.

Portanto, se você quer saber quais são os passos decisivos para um bom MVP SaaS e o que minha experiência no mercado comprovou no decorrer dos anos, acompanhe esse artigo até o final.

O que é um MVP?

Em linhas gerais, um Minimum Viable Product é a versão mais simplificada e funcional do seu produto ou serviço.

Dessa forma, é importante que esse MVP já tenha um modelo de vendas, consiga solucionar o problema proposto e funcionar com clareza, porque a ideia é que ele seja testado no mercado software as a service.

Além disso, a ideia principal de um MVP é testar e colher feedbacks do mercado para que aquela ideia seja construída no caminho certo. Nessa imagem, você consegue entender essa definição com mais clareza:

conceito de um MVP SaaS
Reprodução: Apriorit

O MVP é um conceito muito famoso no meio das startups, exatamente pela agilidade nos processos e de tomada de decisão para implementar um negócio.

Contudo, não são apenas novas empresas que se beneficiam do Minimum Viable Product.

Aqui na Vindi, por exemplo, nós continuamos com essa estratégia mesmo depois de sete anos de história, quando queremos lançar uma nova funcionalidade.

Acreditamos que esse ambiente de testes, feedbacks e constantes aprendizados é muito importante para entregar uma solução que realmente consiga gerar valor para o mercado.

Portanto, agora que já conseguimos definir e entender qual o ponto de partida de um MVP, vamos falar mais sobre a importância dele.

Por que desenvolver um MVP SaaS?

A ideia de criar um novo modelo, produto ou serviço, muitas vezes, tem uma grande carga emocional em quem a concebeu. Se você está empreendendo ou conhece alguém que quis empreender, sabe bem qual é essa sensação.

Um MVP é importante não só para validar aquela ideia inicial, mas também para trazer mais racionalidade e apontar falhas que não conseguimos ver no momento do “Eureka!”.

Mesmo que um investimento seja necessário, ele é muito menor do que o que você teria colocando uma solução pronta no mercado sem testar.

Por isso, é essencial que você esteja preparado para ouvir feedbacks negativos e pontos a melhorar tanto quanto feedbacks positivos.

Além disso, também é importante entender que um MVP é diferente de um protótipo e mais diferente ainda de uma prova de conceito.

Um Protótipo é uma versão incompleta daquele software, com simulações do que a solução será. Já um MVP precisa ter a solução funcionando, efetivamente.

Da mesma forma, uma Prova de Conceito (PoC), é uma parte específica do projeto colocada no ar para validar uma hipótese ou teoria. Como o próprio nome diz, está atrelada ao conceito, e não necessariamente à solução.

Dadas essas diferenciações, vamos entender o que é essencial para criar um bom MVP SaaS!

Quais as dicas mais importantes para criar um MVP SaaS?

Quando entramos no segmento SaaS, as definições e experiências ficam ainda mais únicas. É difícil falarmos em um passo a passo, porque um bom SaaS não tem receita de bolo.

Além disso, vemos nesse mercado, cada vez mais competitivo e que não para de crescer, uma grande diversidade de soluções que nos leva a entender que a aposta é realmente criar algo que gere valor.

No entanto, existem algumas dicas que podem te dar um caminho das pedras, e garantir um MVP SaaS mais consistente e preparado:

Esqueça tudo o que for além do mínimo

Não é difícil ver no mercado um MVP que não é realmente um MVP. E isso acontece porque sempre vai existir algo que pode ser acrescentado, mas não necessariamente você precisa daquilo para lançar.

Quanto mais você demorar para lançar, mais tempo demorará para ter feedbacks. Além disso, você também gasta mais dinheiro toda vez que acrescenta algo ou investe tempo no MVP, e a ideia dele é exatamente o oposto.

Permaneça no mínimo, economize o quanto puder e teste rápido.

Olhar a concorrência é fundamental

Principalmente quando falamos de um MVP SaaS, a concorrência é gigante. Em algum lugar do mundo, pode ser que alguém já tenha pensado na sua solução e testado com antecedência.

Dessa forma, olhe para o mercado, principalmente dentro do seu nicho e estude sobre o que funciona e não funciona. Essas avaliações de mercado não podem passar despercebidas.

Foque em experiência do usuário

Seu MVP precisa funcionar do começo ao fim. Além disso, ele também precisa de layout, usabilidade, interface básica e recursos que possibilitem um teste efetivo.

Lembre-se que, se você não conseguir colocar seu MVP para rodar, ele é só um protótipo.

Ofereça um vídeo explicativo de imediato

Se você não estará ao lado do seu cliente para explicar como seu MVP funciona, essa imersão precisa ser o mais simplificada possível.

Por isso, pensar em um vídeo de introdução, de no máximo 90 segundos, é uma forma de explicar a sua solução e escalar o teste para um público maior.

Consolide feedbacks no MVP SaaS

É essencial que os feedbacks sejam recolhidos e arquivados, mas nunca ignorados. Lembre-se que você precisa se preocupar com a indiferença do mercado, quando você lança um MVP e não tem nenhum retorno.

Enquanto seu público investe tempo em sugerir melhorias ou elogiar sua solução, seu MVP está no caminho certo. E esses feedbacks precisam ser constantemente visitados e reavaliados.

Separe opiniões de investidores da opinião do mercado

Nem sempre a opinião do investidor será a mesma opinião do seu público. Até porque, quem investe antes de ter a solução no mercado provavelmente já acredita no potencial daquele SaaS.

Dessa forma, esses dois tipos de feedbacks são importantes, mas precisam de uma análise mais cuidadosa e individualizada.

MVP bom é MVP que consegue gerar receita

Se você conseguir gerar receita com a primeira versão do seu SaaS, terá um ótimo termômetro do potencial futuro dele.

Por isso, esse MVP precisa ser totalmente funcional e atender as necessidades dos primeiros usuários.

Nessas horas, é essencial que você conte com uma plataforma de gestão de recebíveis e de cobrança desde o começo, porque internalizar o billing não é a opção mais sensata para o seu SaaS.

Em um MVP SaaS, o ICP precisa estar bem definido

Essa é uma premissa de qualquer segmento, mas nunca esteve tão evidente quanto agora, no mercado SaaS.

Dessa forma, conhecer seu cliente ideal é fundamental desde o começo do processo de criação desse MVP, se você quiser ter o feedback mais assertivo e adequado para o desenvolvimento do negócio.

Se você gostou deste conteúdo sobre MVP SaaS e está projetando o seu, saiba que a fase de estudo de mercado é um marco da implementação de uma solução de sucesso.

Pensando nisso, nós criamos o estudo mais completo do mercado sobre o segmento, com dados, insights, projeções e grandes cases SaaS no Brasil e no mundo. Clique no banner abaixo e faça o download gratuito agora mesmo!