5 dicas para manter a saúde financeira da sua empresa

“font-weight: 400;”>Como ferramenta de cobrança, a Vindi cuida de uma parte importante do financeiro de uma empresa: a cobrança. Mas existem diversas outras atividades que, nem sempre, são prioridades para as empresas, mas passam despercebidas.

Em uma pesquisa, o Sebrae apontou a falta de planejamento e gestão financeira como pontos que colaboram para as empresas que fecham as portas cedo. Afinal, é a partir dessa área que uma empresa consegue medir a saúde financeira e decidir os passos seguintes para crescer. Se isso não é feito, a empresa tende à queda.

Pensando nisso, esboçamos alguns dos pontos mais importantes da área financeira que podem te ajudar a desenvolver estrategicamente essa área e a atingir os objetivos esperados de crescimento. Vamos lá?

1- Planejamento estratégico

O planejamento estratégico é o que vai facilitar a gestão da empresa, pois ele ajuda a definir os objetivos e planos de ação que serão desenvolvidos para que esses objetivos sejam atingidos.

O planejamento estratégico deve ser pensado com base nos recursos disponíveis que a empresa terá para atingir o objetivo, sempre levando em consideração recursos humanos, de tempo e financeiros.

As principais perguntas que o empreendedor precisa fazer nesse primeiro momento para a construção do planejamento estratégico são:

  • Qual é o cenário atual da empresa?
  • Qual é o objetivo da empresa?
  • Em quanto tempo quero atingir esse objetivo?
  • Como eu vou atingir esse objetivo?

Tendo essas perguntas em vista, é preciso analisar também o recurso financeiro:

  • Em quais áreas eu preciso investir para atingir meu objetivo?
  • Quanto eu tenho para investir?
  • O que eu vou precisar? Cabe no orçamento que eu tenho?

Se não couber, você precisa reanalisar o objetivo e as estratégias de acordo com o quanto você tem para investir. Por isso, o orçamento é outra parte importante e nosso próximo tópico.

2- Orçamento

O orçamento serve para ajudar a planejar e estimar os ganhos, despesas e investimentos – sempre pensando nos objetivos que você definiu no planejamento estratégico. Em geral, ele é feito pensando sempre nas expectativas de 1 a 3 anos.

O principal objetivo do orçamento é que a empresa consiga estabelecer as estratégias que serão usadas para atingir as metas. Ele facilita o acompanhamento de comparação dos resultados que servirão de base para os investimentos necessário às metas. Ele é quem vai responder a pergunta “cabe no orçamento que eu tenho?”. Se não couber, servirá para fazer medidas preventivas e correções no planejamento estratégico.

Ele é desenhado, planejado, e não é real. Mas é baseado naquilo que você pretende com o objetivo. Portanto, ao ser feito faz-se um orçamento pensando em três diferentes cenários:

  • Pessimista: feito pensando em cenários que podem impactar negativamente o planejamento e afetar o orçamento previsto;
  • Otimista: desenhado em cenários que possam impactar positivamente o planejamento e influenciar o orçamento previsto;
  • Realista: vai levar em consideração a receita, custos e investimentos baseados no cenário real da empresa.

Um erro do financeiro é fazer um orçamento baseado no passado, nos resultados obtidos anteriormente. Ele precisa ser feito levando em consideração o futuro, os objetivos da empresa para aquele ano ou período em que se estabeleceu a meta. .

3- Fluxo de caixa

O fluxo de caixa permite acompanhar a movimentação financeira da empresa, referente ao caixa. Isso torna possível saber o dinheiro que entra, sai, os déficits e etc para a empresa arcar corretamente com seus compromissos.

A falta de um bom controle do fluxo de caixa pode acarretar uma desordem enorme na empresa, gerando o endividamento ou desperdício financeiro.

Todas as receitas e despesas devem ser registradas para que a movimentação financeira seja acompanhada. Assim, a análise e verificação facilitam o processo de acompanhamento.

Tendo esse o controle, a empresa consegue ter uma base real de dados e a equipe financeira, ou dono do negócio, consegue ter maior previsão financeira para a tomada de decisões e tem uma base precisa sobre a saúde do negócio.

Benefícios do fluxo de caixa

    • Análise do cenário atual da empresa;
    • Previsão do melhor momento para fazer investimentos;
    • Controle de despesas;
    • Planejamento financeiro mais consolidado.

Para auxiliar no processo de acompanhamento do fluxo de caixa, você e sua empresa podem utilizar softwares voltados especificamente para esse fim, adquirir um serviço completo de gestão financeira, ou ainda fazer o controle de fluxo de caixa através de planilhas gratuitas, facilmente encontradas no google ou até mesmo no site oficial do Excel.

4- Controle Financeiro

O controle financeiro te ajuda a identificar as possíveis falhas financeiras, como despesas desnecessárias.

No controle financeiro existem dois sistemas que vão te ajudar a gerar as informações importantes para essa avaliação. São eles: contas a pagar e contas a receber. Vamos falar deles.

Contas a pagar

São as despesas e compromissos da empresa, como compra de materiais, salários, aluguel, impostos e todas os custos envolvidos nas operações. O controle desse “sistema” é importante para a tomada de decisões acerca dos gastos já previstos e os que, possivelmente, podem entrar.

Alguns dos benefícios desse controle são:

  • Priorização de pagamentos;
  • Não perder prazo que implicará no atraso e, possivelmente, em multas;
  • Fornecer informações para o fluxo de caixa;
  • Conciliação com os saldos contábeis.

Dessa forma, fica mais fácil para a empresa manter o controle de todas as despesas.

Contas a receber

As contas a receber são o que a empresa tem para receber, valores que vêm da venda de produtos ou prestação de serviços. O controle das contas a receber vai fornecer informações exatas dos ativos que a empresa tem para receber das vendas a prazo.

As empresas que trabalham com recorrência têm mais facilidade em lidar com essa parte porque o modelo consegue entregar as previsões de receita a partir de um cálculo simples, do MRR. Se usarem uma plataforma de cobrança completa, as empresas conseguem ainda comparar os valores recebidos do mês atual com o mês anterior e identificar possíveis problemas.

Alguns benefícios do controle são:

  • Controle dos clientes que pagam em dia;
  • Tomar os cuidados necessários com clientes em atraso usando ferramentas de cobrança;
  • Fornecer informações ao fluxo de caixa;
  • Conciliação de dados contábeis.

Em conjunto com as contas a pagar, as contas a receber completam uma parte importante do fluxo de caixa e contribuem ainda com outro tópico importante. Vamos vê-lo agora.

5- Conciliação bancária

A conciliação bancária nada mais é do que a conferência das contas bancárias com o controle financeiro. A finalidade dessa tarefa é verificar se existem inconsistência nos dados, se o saldo bancário (extratos bancários) confere com a receita e despesas  esperadas (contas a pagar e receber).

Benefícios da conciliação bancária:

  • Previsão do fluxo de caixa;
  • Planejamento financeiro mais realista;
  • Maior controle das movimentações financeiras.

Como é possível observar, as tarefas estão “linkadas” e o controle de uma impacta diretamente na outra. Se todas elas forem feitas corretamente, as chances de você errar na sua gestão financeira diminuem muito a saúde do seu negócio fica mais garantida.

O caso é: quanto mais controle e gestão você tiver sobre as suas atividades financeiras, menores são as chances de você cair no limbo de empresas que “morrem” por má gestão. Agora, é “só” pôr em prática. =)

 

Jornalista que passou por redações de entretenimento, varejo e economia, mas acabou se apaixonando por marketing digital e hoje atua em suas principais vertentes.

Você vai gostar também

5 passos para fazer uma boa Gestão de Academia O Brasil é o segundo maior mercado do mundo em número de academias, segundo dados da Associação Brasileira de Academias (ACAD Brasil), com um total de...
Gestão de cobrança eficaz, como implantar? Você tem noção de quão delicado pode ser o momento de cobrar seu cliente? É complicado saber o real motivo de uma situação de inadimplência, e o clien...
Por que academias precisam ter independência ao es... Imagine a seguinte situação: João decidiu dar um importante passo e fazer um condicionamento físico. Ele realizou uma busca pela internet (e você esta...
Fintechs que substituem os serviços bancários Disrupção, do dicionário, é o mesmo que “interrupção do curso normal de um processo”. Exatamente aquilo que as Fintechs estão fazendo: alterando todo ...