O sócio-torcedor é um programa em que todo mundo sai ganhando. De um lado, o torcedor não perde um jogo do seu time do coração e desfruta de uma série de benefícios. Do outro, o clube pode contar com uma receita mensal que tem feito toda a diferença em tempos de crise.

Renda recorrente, aliás, é uma das especialidades da Vindi, pioneira nesse assunto no Brasil. Nossa expertise é perfeita para os clubes que precisam organizar e operacionalizar esse sistema tão vantajoso.

Com isso, o programa de fidelização do seu clube poderá ser muito mais eficiente e reter mais sócios, combatendo a inadimplência e melhorando a saúde financeira em geral.

Acompanhe a leitura para saber mais sobre o assunto!

Sócio-torcedor: uma estratégia que já nasce recorrente

Recorrência é o modelo de negócio em que o cliente paga por um período contínuo para ter acesso a um produto ou serviço.

O segredo do sucesso está no plano de assinaturas, que gera receita todos os meses com segurança e facilidade, fidelizando consumidores.

Foi graças ao poder da recorrência que Netflix e Spotify, por exemplo, tornaram-se as gigantes que são.

Lendo isso, você já percebe como esse sistema tem tudo a ver com a estratégia do sócio-torcedor, não é mesmo?

Na prática, o conceito é igual: o fã de um clube esportivo paga um determinado valor para ter acesso aos jogos no estádio, no ginásio ou na arena, ou pelo menos para ter desconto e facilidades na hora de comprar o ingresso, além de outras vantagens.

Essa renda entra na conta do clube de forma periódica, ou seja, recorrente. É como assinar um serviço de streaming de música ou de filmes ou mesmo um plano semestral ou anual na academia, enfim, qualquer produto por assinatura: enquanto está pagando, o cliente tem acesso ao serviço.

Dessa forma, a renda gerada por esses programas se tornou vital para os clubes de futebol do Brasil, como veremos em detalhes no próximo tópico.

Importância do programa de sócio-torcedor para os clubes

O programa de sócio-torcedor virou uma fonte de renda primordial dos clubes brasileiros, que também precisam desse aporte para pagar contas, saldar dívidas e contratar jogadores.

Ou seja, os valores são reinvestidos diretamente na atividade fim da instituição, o futebol, porque o que o sócio-torcedor mais quer é que seu time ganhe jogos e campeonatos.

De acordo com uma pesquisa da XP Investimentos e da consultoria Convocados, divulgada em junho de 2022, as entradas com bilheteria e sócio-torcedor foram responsáveis por 7% da receita total dos clubes da Série A em 2021.

Pode parecer pouco, mas são valores fundamentais e indispensáveis. Esta quantia faria uma enorme falta aos caixas desses clubes, que em sua maioria têm dificuldade para manter em dia suas despesas milionárias.

Até porque há um detalhe importante a ser considerado: entre 2020 e 2021, esse tipo de receita foi fortemente abalado pela pandemia, que paralisou o futebol por alguns meses – e quando os jogos voltaram, foi com portões fechados. O público só voltou a ser permitido nos estádios entre agosto e setembro de 2021.

A renda que entrou durante o período em que os portões ficaram fechados foi dos torcedores que se mantiveram fiéis e continuaram pagando o plano de sócio mesmo sem poder ir aos jogos, afinal, a bilheteria ficou zerada – olha a importância da recorrência!

Em 2022, os clubes têm divulgado aumentos frequentes em sua base de associados. A tendência, portanto, é que os números deste ano, quando consolidados, mostrem uma relevância ainda maior da receita com sócio-torcedor, que já foi bem expressiva no ano anterior, considerando o cenário.

Segundo o levantamento citado, o Flamengo arrecadou R$ 70 milhões e foi o clube que mais ganhou com planos de sócios e bilheteria em 2021 (contra R$ 101 milhões em 2020), seguido pelo Internacional, com R$ 64 milhões (R$ 77 milhões no ano anterior).

Grêmio e Atlético Mineiro somaram R$ 56 milhões cada, sendo que o clube gaúcho havia tido R$ 69 milhões em 2020, e o Galo, R$ 12 milhões.

Lista de programas com mais sócios-torcedores em 2022

Em recuperação de Norte a Sul do Brasil, os programas de sócios-torcedores devem ser responsáveis por uma fatia ainda maior da receita dos clubes, como vimos no tópico anterior.

Em levantamento da Sports Track, na parceria XP/Convocados, de junho de 2022, mostrou o ranking de clubes brasileiros com mais sócios-torcedores naquele momento:

  • 1° lugar: Atlético-MG (125,5 mil)
  • 2° lugar: Corinthians (116 mil – em julho, o Timão chegou a 154.194, assumindo a liderança da lista)
  • 3° lugar: Internacional (96,4 mil – em julho, o Colorado anunciou ter voltado a mais de 100 mil sócios ativos)
  • 4° lugar: Flamengo (69,2 mil)
  • 5° lugar: Palmeiras (65,7 mil – em agosto, o time afirmou que atingiu 80 mil sócios)
  • 6° lugar: Cruzeiro (60,7 mil)
  • 7° lugar: Grêmio (60,6 mil)
  • 8° lugar: Vasco (55,4 mil)
  • 9° lugar: Ceará (47,3 mil)
  • 10° lugar: Fortaleza (43,4 mil).

O ranking de valores arrecadados, porém, vai depender dos preços pagos por cada plano, ou seja, o velho ticket médio.

Quais clubes podem ter um programa de sócios?

Qualquer clube, de qualquer esporte, pode ter um programa de sócios e faturar com a recorrência. Vamos olhar algumas possibilidades além do futebol.

Vôlei

A Superliga de Vôlei é um campeonato muito forte, que lota ginásios pelo Brasil inteiro. E nada mais natural do que aproveitar esse apelo para fidelizar os fãs e ganhar uma receita recorrente.

Os clubes atentaram para esse potencial recentemente e começaram a estabelecer seus programas de sócio-torcedor.

Um exemplo é o Osasco, que lançou o Juntos Por Osasco, projeto que, segundo o clube, teve uma alta nas adesões na reta final da Superliga 2021/2022.

Diversas outras equipes já contam com associados para dar um reforço no caixa.

Basquete

O Novo Basquete Brasil (NBB), liga inspirada na NBA, é o formato atual do campeonato nacional de basquete. Inaugurado em 2008, também movimenta torcidas apaixonadas nas capitais e no interior dos estados do Brasil.

O basquete é muito forte em cidades como Franca e Bauru, por exemplo, além de Brasília e Belo Horizonte, sem contar o apelo de nomes gigantes do futebol, como Flamengo e Corinthians.

É um enorme potencial para garantir receita recorrente com programas como o Franca Fanatics, Sócio Dragão (Bauru), Eu Sou Torcedor (Mogi das Cruzes), Sou Basquete Glorioso (Botafogo), entre outros.

Mais ainda do que no futebol, é importante oferecer, além de ingressos, ações de engajamento com o clube, descontos em material esportivo, etc.

Futsal

O futsal mobiliza comunidades inteiras, principalmente no interior, e é relevante para a economia de cidades como Pato Branco (PR), Sorocaba (SP), Carlos Barbosa (RS) e Jaraguá do Sul (SC). Os clubes aproveitam isso com programas como o do Pato Futsal, Magnus, ACBF, Jaraguá, Assoeva, entre muitos outros.

Vantagens da recorrência para programas sócio-torcedor

Aqui na Vindi já falamos sobre como alavancar o programa sócio-torcedor com os princípios da recorrência. Abaixo vamos listar algumas vantagens e motivos para o seu time aproveitar os benefícios desse programa:

Capitalizar a paixão do torcedor

Diferentemente de outros tipos de assinaturas, a decisão de se associar ao clube do coração tem um forte componente emocional.

Ao fazer um comprometimento financeiro periódico e ganhar uma carteirinha com seu nome e foto ao lado do escudo do time, o sócio-torcedor se sente parte da instituição. Afinal, se existe um público fiel, engajado e apaixonado, é o torcedor esportivo.

Criar uma base de dados

Quando construídos de forma correta, os programas de sócio-torcedor oferecem uma série de informações preciosas sobre o seu público. Os dados armazenados podem ser estudados para criar ações que gerem mais engajamento e faturamento

É importante lembrar que, principalmente depois da promulgação da Lei Geral de Proteção aos Dados (LGPD), que alterou o Marco Civil da internet e regulamentou o assunto, uma prioridade absoluta do seu negócio deve ser proteger os dados dos assinantes.

Reduzir a inadimplência

É claro que a paixão envolvida na decisão de se associar não garante o pagamento em dia que o clube tanto precisa.

A inadimplência é significativa nesse segmento, dependendo da situação do time nos campeonatos e da possibilidade de o torcedor assistir aos jogos no estádio ou não. Estimativas indicam que os índices vão de 20% a 50%.

De forma geral, os clubes da elite do futebol brasileiro arrecadaram R$ 459 milhões com bilheteria e sócio-torcedor em 2021, contra R$ 435 milhões em 2020, segundo o levantamento da XP que mencionamos anteriormente. Por isso, é importante garantir o pagamento de forma automática.

Se a equipe está mal no campo e o torcedor precisa fazer o pagamento de forma “voluntária”, ou seja, tendo que acessar uma plataforma ou buscar um código de barras de boleto, a tendência é o atraso.

A recorrência, com o uso de uma plataforma confiável, pode reduzir drasticamente esse problema, como veremos a seguir.

O que dizem os dirigentes?

O evento Innovation Pay reuniu dirigentes de quatro dos maiores clubes esportivos brasileiros para um debate sobre a importância da economia da recorrência para o futebol. Especialistas de Atlético-MG, Botafogo, Grêmio e Santos subiram no palco para contar suas experiências e desafios, e a conversa você pode conferir na íntegra, gratuitamente. Basta clicar no banner abaixo e se cadastrar na plataforma Sympla Play!

Como combater a inadimplência em programas de sócio-torcedor?

Como vimos, a inadimplência é o grande gargalo dos programas de sócio-torcedor dos grandes clubes. Por isso, listamos abaixo algumas medidas a serem tomadas para combater esse mal.

Gerando valor

Apesar de fiel e apaixonado, o torcedor de futebol é exigente, espera sempre o melhor do seu clube. Se com o passar do tempo ele achar que a associação não está revertendo em benefícios suficientes, a tendência é de cancelamento, não de retenção. Portanto, apenas facilidade para compra de ingresso não é suficiente.

Seu sócio-torcedor precisa ver valor no dia a dia: descontos nas lojas dos clubes, sorteios, informações e anúncios em primeira mão, ações promocionais como ligações telefônicas de jogadores, tour no estádio, etc.

Há muitas maneiras de gerar valor fora dos dias de jogos ‒ e os clubes brasileiros aprenderam isso na marra com a longa proibição de público nas arquibancadas durante a pandemia.

Investindo em relacionamento

Como complemento ao tópico anterior, a experiência do associado não termina ao confirmar a assinatura e reservar ingressos ocasionalmente. É preciso estar em contato constante com ele.

Invista em customer experience e você rapidamente verá os resultados positivos de conversar com o seu fiel torcedor.

Contratando uma plataforma confiável

Para que todas as vantagens do programa sócio-torcedor sejam realmente aproveitadas pelo clube, é preciso, antes de mais nada, uma plataforma confiável.

Não vai adiantar fazer um grande esforço para atrair associados se o sistema utilizado não ajudar a retê-los e não garantir que o pagamento seja realizado em dia.

Além disso, se a plataforma de gestão não cobrar de forma automática e não fizer a gestão das assinaturas, não será possível ter uma visão completa do quadro social, localizando as assinaturas ativas e inadimplentes.

O que nos leva ao próximo tópico.

Como a Vindi ajuda os clubes em programas de sócio-torcedor

A Vindi é pioneira e especialista em recorrência no Brasil. Nossa plataforma se encaixa perfeitamente com as principais necessidades dos clubes esportivos no que diz respeito a programas de sócio-torcedor: a previsibilidade de receitas e o combate à inadimplência.

Trata-se de uma solução para gerenciar e receber pagamentos de forma clara, intuitiva, com cobrança automática e diversas outras ferramentas que são úteis aos clubes. E já temos casos de sucesso no futebol.

Nossos clientes relatam um ganho enorme com o fim do “churn involuntário”, ou seja, quando o assinante (no caso, o sócio) simplesmente esquece de pagar e não percebe. A adesão à Vindi simplesmente acabou com esse problema.

Além disso, não é preciso usar dezenas de maquininhas cobrando a mensalidade presencialmente no estádio. A plataforma automatiza a cobrança no cartão com total comodidade, tanto para o torcedor quanto para o clube.

Sem falar na diversidade de meios de pagamento, que abrange todas as preferências e é outra dor de cabeça a menos Vamos ver a fundo as facilidades que podem ser exploradas.

Ferramentas Vindi para clubes com programa de sócio-torcedor

O seu time precisa de uma plataforma como a da Vindi, que gerencia totalmente a sua carteira de assinaturas, cobra automaticamente os clientes inadimplentes e envia relatórios em tempo real.

É um serviço totalmente seguro, com certificação máxima PCI Compliance e uma API flexível e personalizável. São muitas funcionalidades e recursos disponíveis para ajudar seu programa sócio-torcedor a crescer com sustentabilidade, veja algumas a seguir:

Diferentes meios de pagamento

Em qualquer negócio gerenciado de forma online, é preciso oferecer a maior diversidade de meios de pagamento possível.

Com a Vindi, você tem disponível cartão de crédito, boletos bancários, Pix, débito em conta, e link de pagamento, tudo de forma automática.

Pix

Como mencionado acima, a Vindi já inclui Pix em seus pagamentos, com uma solução pensada especialmente para a recorrência: programe uma vez e a Vindi cobra seus clientes na frequência que você quiser.

É uma maneira de aliar a segurança da recorrência à praticidade desta forma de pagamento que caiu tão rapidamente na graça dos brasileiros, ou seja, unir o melhor dos dois mundos.

Renova Vindi

O Renova Vindi é a funcionalidade de atualização automática de cartões de crédito expirados e reemitidos.

Se uma transação recorrente for rejeitada por motivo de substituição de cartões, a plataforma verifica com a bandeira se há um novo cartão disponível e, em caso positivo, passa a  fazer as próximas cobranças nele.

Tudo isso sem que você tenha que ir atrás do cliente.

Notificação de cobrança

A régua de cobrança, com envio de notificações automáticas de pagamento por email e SMS, é uma mão na roda para combater a inadimplência nas assinaturas. 

Retentativas inteligentes

A retentativa é uma ferramenta clássica em serviços de recorrência, e a Vindi aprimorou esse conceito de forma exclusiva.

Com um amplo trabalho de inteligência de dados, a Retentativa Inteligente de Saldo faz uso de dados históricos e comportamentos observados em milhões de transações para prever informações e fazer cobranças mais assertivas nos dias em que historicamente há mais sucesso no pagamento.

Já a Retentativa com Troca de Adquirente é um recurso da Vindi que usa análise de dados para alternar entre operadoras de forma 100% automática e aumentar as chances da transação ser aprovada. Essa funcionalidade permite agendar até quatro novas cobranças em caso de recusa para evitar a perda da venda.

Todas essas opções são fundamentais para diminuir a inadimplência.

Fale com a Vindi

Depois de ler tudo isso, ficou claro que é hora de dar o próximo passo.

Para poder ajudá-lo, nós queremos conhecer melhor o seu empreendimento, seja um plano de sócio-torcedor ou outro tipo de assinatura ou uma loja online, enfim, qualquer negócio.

Por isso, clique aqui para entrar em contato com a Vindi e desfrute de todos os benefícios que podemos oferecer para que você se livre da inadimplência e fature muito mais!

E para seguir aprendendo sobre o tema, baixe agora o guia e aprenda como vencer a inadimplência em negócios recorrentes.

inadimplência: banner para download de e-book

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar.
Aceitar consulte Mais informação Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies