Falar do mercado de Clubes de Assinatura é uma grande responsabilidade da Vindi. Isso porque estamos nos referindo a um mercado bilionário, que cresceu muito em 2020 e que merece toda atenção e destaque para fazer jus ao seu potencial.

Nossa plataforma de pagamentos é especializada em atender negócios sobretudo guiados pelo motor da Recorrência, que gira toda a máquina das assinaturas. O mesmo multiplicou sua potência em um ano como esse, em que o consumidor precisou, como nunca antes, fazer suas compras em casa e ter possibilidades para passar o tempo com mais qualidade de vida.

É importante destacar que, quando falamos em “Clubes de Assinaturas”, não nos referimos apenas às assinaturas de boxes de produtos. Hoje, existem dezenas de modalidades de assinaturas, que incluem produtos digitais, serviços recorrentes e benefícios para associados.

Primeiro, vamos aos números do setor. Veja no post de hoje um panorama completo sobre o mercado de clubes de assinatura em 2020 e o que esperar das tendências para 2021.

Você tem um Clube de Assinaturas e quer escalar seu negócio ao próximo patamar? Então, baixe nosso e-book gratuito e aprenda dicas e técnicas para otimizar sua operação e faturar mais!

Clubes de Assinatura: de olho nos números de 2020

No Brasil, os Clubes de Assinaturas ainda não têm tanto tempo de presença no mercado. O setor ganhou força na última década, quando se popularizaram os clubes mais tradicionais, como a Wine, por exemplo, que é o maior clube de assinaturas de vinhos conhecido internacionalmente. 

Já nos Estados Unidos, por exemplo, o mercado já é mais consolidado e movimenta um faturamento cerca de 50 vezes maior que no Brasil. No país norte-americano, as cifras do mercado de clubes de assinatura chegaram ao total de US$10 bilhões em 2019. 

Só nas transações por cartão de crédito, o mercado mundial de assinaturas corresponde a 18% do total do valor total transacionado por esse meio de pagamento.

No Brasil os Clubes movimentaram em torno de R$1 bilhão em 2019, número que cresceu 10% em 2020.

Isso porque a quantidade e tipos de assinaturas também aumentaram e se diversificaram. Em 2014, segundo a ABComm, havia apenas 300 empresas do tipo no país.

O número saltou para 800 em 2019; e em 2020, mais de 3 mil novos clubes foram abertos, chegando a 4 mil serviços em funcionamento esse ano, como aponta levantamento da Betalabs

Atrativos

Os principais atrativos da gestão de um Clube de Assinaturas são a previsibilidade de estoque pelo número de clientes já quantificado pelo modelo de assinaturas. Isso abrange pagamentos mensais, trimestrais, anuais, ou outras variáveis intermediárias.

O modelo das Assinaturas também ganhou protagonismo pela sua praticidade, comodidade e pelas experiências de consumo e entretenimento que vem proporcionando aos clientes.

São diversos segmentos contemplados pelas assinaturas: desde produtos alimentícios e bebidas, até itens de decoração, beleza, cultura, petshop; além de conveniências, entretenimento e clubes de vantagens.

Os maiores consumidores de assinaturas

Estima-se que, a cada dia, 600 novas pessoas aderem a algum tipo de assinatura. O público mais propenso a ter algum tipo de assinatura são os Millenials e a Geração Z, ou seja, as gerações, considerando-se os titulares, são aqueles que têm entre 18 e 40 anos.

Entre eles, cerca de 90% tem algum tipo de assinatura, como apontou Guilherme Almeida, head de e-commerce da Nestlé, durante o Grocery&Drinks (Congresso de e-Commerce para os setores de Supermercados, Alimentos e Bebidas) de 2020. 

Essas gerações aderem a soluções para seu dia a dia que trazem praticidade e agilidade para necessidades recorrentes, sem ter que perder tempo em filas de lojas, supermercados e estabelecimentos. Dessa forma, os Clubes de Assinaturas se tornaram bem-vindos entre os jovens, que são adeptos das compras online e do recebimento em casa.

Como foi o ano na Vindi

De acordo com o Vindi Insights, pesquisa realizada mensalmente com nossos clientes, os Clubes de Assinaturas que utilizam a Vindi como plataforma de pagamentos cresceram cerca de 48% em seu TPV (Total Payment Volume) de janeiro a outubro de 2020. 

Dessa forma, mesmo em meio à crise econômica de 2020, que atingiu diversos setores, os negócios que se baseiam em assinaturas tiveram uma performance resiliente e até de crescimento.

Na Vindi, observamos esse crescimento de perto, e nossa plataforma passou a atender mais de 6.000 empresas que utilizam a recorrência em seus pagamentos.

A performance de TPV transacionado na Vindi durante a pandemia de Covid-19 foi superior à média de mercado conforme medido pela Cielo. Veja o comparativo abaixo:

Fonte: Cielo/ ICVA – Índice Cielo do Varejo Ampliado. Baseline fev. 2020. Agosto d1 a d29. Índice Vindi usa baseline de comparação de janeiro.

O indicador de crescimento acumulado contra o baseline de janeiro da Vindi já é positivo em 2%, enquanto o indicador Cielo continua próximo de 19% negativo.

E a tendência continua bastante positiva para o futuro. Estima-se que, em 2023, 75% das empresas oferecerão assinaturas entre suas opções de venda.

Segmentos de clubes em alta em 2020

Confira os setores por assinatura que mais tiveram procura no ano.

1. Bebidas e Alimentação

Com a pandemia em 2020, o consumo – até de itens básicos – migrou, em parte, para as compras online:

  • De acordo com levantamento da Synapcom, solução de inteligência de mercado, de março a outubro, o segmento de bebidas no e-commerce teve um crescimento de 960% em volume de vendas.
  • Com essa onda, houve oportunidade para empreendedores lançarem novos clubes de assinaturas e e-commerce focados no setor, como o Sempre em Casa, da Ambev.
  • As entregas de alimentos por assinatura também foram uma grande tendência do ano. O consumidor passou a evitar os supermercados, optando pelo recebimento de itens em casa e mais qualidade na alimentação.
  • Com isso, ganharam protagonismo os aplicativos de entrega, além das assinaturas de orgânicos, como o Fruta Imperfeita e o Orgânicos in Box, e as assinaturas de supermercados, como o Shopper e o Sam’s Club.

2. Entretenimento

Esse ano, também houve um intenso crescimento em novas assinaturas de plataformas de entretenimento, principalmente naquelas com teste gratuito. É o que aponta relatório da Recurly.

Segundo os dados, a quantidade de usuários que migraram do trial para as versões pagas aumentou imediatamente durante as primeiras semanas do período Covid, variando de 20% a 40% maior do que o período pré-Covid.

Abril teve o maior crescimento de qualquer mês, com um pico de crescimento de 85%, segundo o report.

  • Nesse sentido, diversas plataformas de games e streaming gringas chegaram ao Brasil esse ano. Entre as principais delas estão a Luna, da Amazon; o Project xCloud, da Microsoft; e a Disney +. O mercado de entretenimento está bem aquecido.
  • E tem mais novidades na área! O Clube Fortnite (Fortnite Crew) é o mais novo serviço de assinatura do Battle Royale da Epic Games. Ele foi lançado no dia 2 de dezembro de 2020 e traz diversos benefícios para os assinantes. A assinatura custará R$38 mensais e poderá ser feita na Loja de Itens ou pelo site do jogo.
  • Para o entretenimento infantil, o app PlayKids, integrante do Grupo Movile, que tem mais de 6 milhões de usuários em 187 países, viu o aumento no consumo foi de 50% nos vídeos infantis esse ano.
  • Além disso, aumentou a busca por soluções para entreter as crianças em casa. Com isso, por exemplo, o clube de Assinaturas de livros infantis, o Leiturinha, pertencente à PlayKids, integrante do Grupo Movile, viu seu número de assinantes subir 15% na pandemia, segundo dados do Mercado&Consumo.

Insight

O Leiturinha é o maior clube de assinaturas de livros infantis do país. Hoje, ele conta com uma base de 100 mil assinaturas, número que resulta de um aumento de cerca de 15% em 2020.

A plataforma de cobrança utilizada pelo Leiturinha é a Vindi, especialista em pagamentos recorrentes. Saiba mais:

Principais tendências de Clubes de Assinatura para 2021

Quando falamos em tendências, é importante entender que existem estratégias diferentes para cada tipo de produto ou serviço, e da forma de consumo e de uso. Assim, não existe uma única tendência.

Por isso, ter conhecimento de mercado e do que é possível melhorar no segmento é imprescindível para quem pensa em abrir um negócio do tipo.

Abaixo, você pode conhecer algumas das principais categorias de Assinaturas e as tendências dos modelos de negócios:

1. Nicho e Curadoria

Os Clubes situados no modelo de Nicho e Curadoria são os mais conhecidos tipos de assinaturas. São aqueles que oferecem boxes de produtos de determinado segmento, por assinatura. 

Por uma assinatura mensal, o consumidor recebe um box de produtos em casa. Imagem: Tirachardz/ Freepik

O clube é responsável por montar possíveis kits destinados a agradar determinados perfis de público interessado no nicho. 

Exemplos

  • Beleza: boxes de maquiagens, cosméticos e produtos de beleza;
  • Pets: boxes de produtos, ração e brinquedos para cães e gatos;
  • Vinhos: caixas com vinhos e/ou espumantes selecionados para o perfil do cliente;
  • Cervejas: caixas com cervejas gourmet ou artesanais;
  • Produtos Artesanais: cestas de queijos, geléias e produtos da fazenda;
  • Geek: boxes de quadrinhos, games, toys, camisetas, itens de colecionar;
  • Astrologia: objetos customizados para signos; incensos; cristais;
  • Livros: envio de livros selecionados para um tipo de público ou de acordo com determinadas categorias literárias.

A tendência no mercado de clubes de assinatura voltados a nichos específicos de consumidores é uma micro segmentação cada vez mais especializada. Isso porque com a alta dos entrantes no mercado, é preciso diferenciação para conquistar o público.

Por exemplo, um clube de cosméticos pode ser focado em produtos veganos; uma assinatura de alimentos pode trazer orgânicos para a mesa do consumidor, ou focar em um público fitness, e assim em diante. A ideia, portanto, é conquistar os assinantes também pela exclusividade e personalização dos produtos.

Veja também: 5 Clubes de Assinaturas que você nem imagina que existe

2. Clube de Associados

O modelo de Associados está presente em serviços onde, realizando a assinatura, o cliente recebe alguma vantagem, como frete grátis, descontos, pontos e recompensas. Esse modelo não contempla produtos.

Temos, por exemplo, as plataformas que oferecem esse tipo de assinatura:

  • Amazon Prime: oferece benefícios de compra e entretenimento em uma única assinatura, por exemplo, frete grátis em determinadas compras;
  • Rappi Prime: pela assinatura, o usuário tem entregas grátis do de compras pelo app da Rappi;
  • Uber Pass: oferece desconto nas corridas de Uber para os assinantes.

Essa é uma forma de as plataformas terem uma receita recorrente pelas assinaturas, mesmo em períodos em que o usuário utilize pouco os serviços ou benefícios. E, além disso, esse pagamento fideliza o cliente, que passa a comprar mais na plataforma onde ele já tem descontos para usufruir, e não nas concorrentes.

Portanto, a tendência é que cada vez mais serviços e o varejo ofereçam assinaturas para a comodidade do consumidor, oferecendo frete grátis e preços especiais para os associados.

3. Assine e Economize

Esse tipo de assinatura é mais aplicado na venda de produtos recorrentes, ou seja, que o usuário precisa sempre, ou com uma periodicidade alta. Como, por exemplo, produtos de limpeza, cápsulas de café, verduras, legumes, frutas, ovos, dentre outros produtos de consumo frequente.

A ideia dessa assinatura é providenciar para o cliente esses produtos frescos entregues em casa, a um preço otimizado para a quantidade.

Imagine um consumidor que compra uma dúzia de laranjas por R$7,00 toda semana no supermercado. Uma assinatura desse produto pode cobrar R$20,00 por mês para entregar toda semana essa dúzia de laranjas para o consumidor. 

Assim, o cliente não pensa duas vezes: ele pagará menos pela assinatura do que pagaria nas compras avulsas, e ainda terá o produto entregue em casa, com toda a comodidade. Um bom negócio, com certeza!

Além disso, para o comerciante, esse modelo garante que a sua receita mensal tenha previsibilidade (pela quantidade de assinaturas) e ele possa também otimizar e ter melhor controle de estoque, entre outras vantagens.

4. Infoprodutos

Antigamente, as pessoas assinavam revistas e jornais impressos. Hoje, o consumo de conteúdo migrou em grande parte para o digital, e tais produtos se transformaram em ‘infoprodutos’. Eles são diversos formatos de informação digital, que são vendidos avulso ou por assinatura.

Os principais exemplos são as assinaturas de plataformas portais de notícias, análises, dados e conteúdos de revistas, como:

  • Empiricus, empresa especializada em publicação de conteúdo financeiro e de ideias de investimentos, com conteúdos para assinantes; 
  • Revista HSM Management, com assinatura de conteúdos voltados a crescimento profissional; 
  • Portais jornalísticos, como Estadão, Folha de S.Paulo e etc, que tem conteúdos fechados para assinantes.

A tendência desse segmento é que cada vez mais produtores independentes de conteúdo consigam monetizar seu trabalho oferecendo o acesso por meio de assinaturas.

5. SaaS (Software as a Service)

Hoje, a maioria dos softwares de computador não precisam mais ser instalados, eles são usados de forma online, sem a necessidade da compra, apenas da assinatura. O SaaS, portanto, é um modelo que transformou a forma como as pessoas pagam e usam a tecnologia. Ela passou a ser posicionada como “serviço” e não mais “produto”.

Além disso, muitos SaaS também possuem versões freemium (gratuitas), mas, dependendo da finalidade, como, por exemplo, o uso por um time grande, precisam ser assinados pela empresa. E, geralmente, quanto maior o tempo do plano assinado, menor o preço cobrado.

A principal vantagem do SaaS é que ele tornou as antigas licenças de software mais práticas e de fácil acesso, inclusive financeiro!

Confira: Os principais exemplos SaaS do mercado

Como cobrar por assinaturas?

Em meio a uma infinidade de possibilidades ocasionadas pela Economia da Recorrência, estes são os principais tipos de assinaturas que temos no mercado, hoje em dia. Cada um tem suas vantagens e, na verdade, o modelo certo sempre depende do tipo de produto ou serviço, e da forma de consumo e de uso.

O denominador comum é que as assinaturas trazem vantagens para os dois lados: consumidores e empresas que disponibilizam as assinaturas para seu público. Afinal, que consumidor não quer preços melhores, produtos selecionados e benefícios? E que comerciante não quer uma fonte de receita fixa e previsível mês a mês?

> Confira nosso Guia para Planos de negócios de Clubes de Assinatura.

Automação

Para otimizar a cobrança das mensalidades para ambos os lados, contar com uma plataforma especializada em Pagamentos Recorrentes é a melhor solução.

Isso porque ela automatiza a cobrança a cada período, sem comprometer o limite do cartão de crédito do cliente. Além disso, traz para as empresas controle total de quais clientes pagaram e quais estão em débito, através de relatórios em tempo real na plataforma.

Com essa solução, é possível cobrar por cartão ou boletos, com taxas competitivas e podendo optar entre múltiplas operadoras de cartão e sistemas emissores de boleto, o que garante flexibilidade e dinamismo na gestão financeira.

Se você quer saber mais como funciona uma plataforma de pagamentos recorrentes para o mercado de clubes de assinatura, fale hoje mesmo com nossos consultores! A Vindi pode ajudar seu negócio a crescer.