Antes, o modelo de pagamento recorrente costumava ser um privilégio somente das prestadoras de serviços: escolas e academias, assinaturas de revistas, TV a cabo e internet. Mas as vantagens do pagamento recorrente são tantas que até mesmo quem vende produtos começou a aderir.

Antes de começar a ler o restante, veja esse vídeo.

O famoso site de e-commerce Amazon criou um modelo que permite que os clientes estabeleçam padrões de compra. Se você encontrar um produto que gostaria de comprar todos os meses – um xampu, por exemplo -, você pode programar as compras durante certo período. A cobrança desse produto, então, é feita através de pagamento recorrente. O que você acha da ideia?

O que é pagamento recorrente?

O pagamento recorrente é aquele feito no caso de um serviço contínuo, em que existe uma “assinatura” ou pagamento de mensalidades. Isso significa que, enquanto o serviço continuar a ser prestado, o cliente deverá continuar realizando os pagamentos. A determinação de quanto tempo essa relação irá durar é feita em contrato. Na maioria das vezes, existe um período mínimo e, caso o serviço seja cancelado antes do final deste período, o cliente deverá pagar uma multa por rescisão.

Quais as diferenças entre parcelamento e pagamento recorrente?

O parcelamento ocorre quando o pagamento de uma taxa única é dividido em várias vezes. Isso significa que, mesmo que o serviço ou produto já tenha sido completamente entregue, o cliente deverá continuar pagando até completar o valor da taxa única e possíveis juros.

Enquanto isso, o pagamento recorrente implica que o serviço continua sendo entregue regularmente. Se o serviço não for entregue, o cliente pode recorrer a serviços de proteção ao consumidor e ficar isento de qualquer pagamento naquele período.

Também existe um modelo de pagamento chamado de “assinatura parcelada”, que envolve aspectos do parcelamento e do pagamento recorrente. Ele acontece quando o valor da assinatura de um mês de serviços (por exemplo) é parcelado para se tornar mais acessível. Por isso, um cliente pode comprar um curso que dura 12 meses, mas pagar em 24 parcelas.

Quais as modalidades de boleto e cartão no pagamento recorrente?

Quando você trabalha com pagamento recorrente, uma das formas de pagamento mais comuns para os clientes é o boleto bancário. Você, como empresa, pode optar entre duas modalidades de boleto: carteira de cobrança sem registro ou carteira de cobrança com registro.

Em primeiro lugar, é preciso esclarecer que sua empresa deve sempre pagar uma taxa ao banco pela emissão dos boletos. A diferença entre essas modalidades consiste em quando a taxa deve ser paga.

A carteira de cobrança sem registro permite que você pague essa taxa somente depois que o cliente quitar o boleto. Geralmente, essa taxa tem o valor fixo de R$3,00 por boleto.

Enquanto isso, a carteira de cobrança com registro exige que você pague a taxa no momento em que o boleto é emitido – ou seja, antes que o cliente tenha efetuado o pagamento.

Para quem prefere trabalhar com cartão, também é possível. As operadoras de cartão de crédito, como a Cielo, oferecem a possibilidade de cobrar mensalidades através de débito automático no cartão de crédito. Dessa forma, o cliente não precisa realizar uma nova transação avulsa a cada mês.

Por que o pagamento recorrente é importante para minha empresa?

Primeiro porque tempo é dinheiro. A maioria das empresas ainda tem um processo manual de faturamento e cobrança dos clientes. Segundo que em  processos manuais, o erro humano é muito comum, ocasionando um péssima experiência em refazer tarefas que a cobrança recorrente permite.

Outro ponto importante é evitar as cobranças pessoais dos clientes inadimplentes. Sua empresa precisa focar naquilo que é necessário (core) e deixar com uma empresa especialistas a parte complicada que é cobrar.

Benefícios e vantagens

Existem muitos benefícios para as empresas que adotam o modelo de pagamento recorrente. Para começar, a emissão de boletos é realizada imediatamente para um longo período – seis meses, um ano ou até mais -, economizando tempo. O controle dos pagamentos se torna mais simples e a realização das cobranças também, pois há uma data fixa para os pagamentos.

Para os clientes, o pagamento recorrente permite que eles organizem melhor seu orçamento mensal. A inadimplência também é reduzida, pois eles têm uma ideia clara de quando devem pagar cada boleto, por exemplo. Se o pagamento for através de cartão de crédito, a inadimplência pode chegar a 0%, pois o pagamento é automático.

Ficou interessado pelo modelo de pagamento recorrente? Mesmo que você não trabalhe com serviços que envolvam mensalidades ou assinaturas, ainda é possível usar esse recurso. Siga o exemplo da Amazon, que encontrou uma maneira de fidelizar seus clientes a longo prazo, vendendo seus produtos de uma maneira inovadora.

economia da recorrencia

Curta nossa página no facebook e fique por dentro de conteúdos incríveis!

Você vai gostar também

Quais são as vantagens do pagamento recorrente? Diversos são os motivos que te beneficiam como empresa quando você opta por oferecer o pagamento em débito recorrente. Com a Vindi, por exemplo, você ...
As 20 marcas mais valiosas do mundo A consultoria Millward Brown publicou seu relatório anual BrandZ, onde elenca as 100 maiores marcas do mundo. A Apple lidera a lista. A curiosidade é ...
Sabe quantas árvores você ajudou a salvar em 2016?... “N” motivos contribuem para que as empresas ofereçam pagamentos online: adesão do consumidor, facilidade, comodidade, melhor gestão e controle, reduçã...
Clubes de assinatura de produtos saudáveis Os clubes de assinatura crescem sem parar. Cada vez mais, encontram-se nichos inexplorados, altamente rentáveis e carentes de um negócio que atenda be...