Já falamos algumas vezes por aqui sobre a economia do acesso, tá lembrado? Ela, juntamente com a economia da recorrência, estão revolucionando não só a forma como você consome as coisas – sim, você mesmo -, mas também a forma como as grandes empresas se posicionam no mercado.

Bem, se você ainda tem dúvidas, eu vou te explicar um pouquinho mais sobre a economia do acesso e como ela está ligada à recorrência. Tá preparado?

Acesso, não propriedade

Essa é a premissa do termo. Afinal, a economia do acesso, como o nome diz, foca em facilitar que produtos e serviços cheguem até as pessoas. Em contraponto à posse, o acesso não só torna as coisas mais fáceis para os consumidores, como também colabora para a sustentabilidade do planeta.

Pensa comigo lá no início dos anos 2000. Quando você queria comprar um jogo ou instalar algum software em seu computador, o que você precisava fazer? Ir até a loja e comprar um o jogo físico ou CD-Rom, certo? Pense no descolamento, da sua casa até a loja (até achar uma loja que venda o que você quer), nas embalagens utilizadas para os produtos, e no longo caminho da compra. Pensou?

Agora, pense em como você instala softwares hoje e como você joga? Que diferença, né?

A famosa Recorrência

A recorrência é a venda por planos, assinaturas ou mensalidades. Seja de serviços ou produtos. Através dela, é possível que você estabeleça uma data de cobrança, que será repetida automaticamente até quando o plano ou assinatura acabar. Com a recorrência, é possível ter uma maior previsibilidade do seu faturamento, além de minimizar a inadimplência e, claro, fidelizar os seus clientes.

Ela entra na história como uma forma de facilitar o pagamento por este acesso. E isso é bom tanto para o empreendedor quanto para o consumidor. Ao cobrar pela recorrência, o empreendedor tem uma maior previsibilidade do seu faturamento, além de inúmeras ferramentas que podem ser utilizadas para reduzir a inadimplência. 

Quando você paga pela recorrência, você não tem o limite do cartão de crédito preso e não precisa se preocupar com mais “um boleto” a ser pago. A cobrança vem direto na sua fatura. Não é preciso sair de casa ou ir na loja/empresa fazer o pagamento. Dá para ver isso através do seu internet banking, por exemplo. 

Recorrência: 3 empresas que inovam

Pensando nisso, algumas grandes empresas já estão mudando seu modelo de venda, com o foco na Recorrência. É o caso de grandes como a Nike, que este ano lançou o seu primeiro clube de assinaturas voltado para crianças. Ou a Netflix, começou aos poucos até virar uma gigante do streaming (o Spotify segue o mesmo caminho).

Ou a Rolls RoyceTurbina fabricada pela Rolls Royce

Você acha que recorrência e acesso são coisas recentes? Não não. Em 2019, a empresa completou mais de 50 anos do seu projeto “Power by the hour”. Ao invés de simplesmente vender turbinas para as companhias aéreas, a Rolls Royce inovou com o projeto lá no final da década de 60 ao criar um serviço de aluguel de turbinas cobrado de acordo com as horas em que a peça é utilizada. 

A empresa poderia vender suas turbinas. Mas, não. Decidiu vender o acesso à uma peça cara e essencial para o uso de aeronaves. Criado em 1962, o serviço engloba, também, a manutenção das turbinas. EM 2002, o serviço foi reinventado utilizando novas tecnologias, como sensores nas turbinas para monitorar o desempenho.

Mas não é só isso que a Rolls Royce faz. Além de carros, a empresa ainda investe em tecnologias de ponta para proporcionar soluções mais limpas, seguras e competitivas. 

Ou a FenderAnúncio Fender Play App Recorrência

A empresa do mercado musical que possui uma das guitarras mais famosas do mundo também teve que mudar para sobreviver. É isso mesmo, sobreviver. Enquanto outros grandes nomes estavam se afundando nas vendas, a Fender decidiu criar um dos clubes de assinaturas mais legais do mundo, a Fender Play

O projeto consiste em oferecer, através do aplicativo, aulas de guitarras online para milhares de pessoas pelo mundo. E, como quem faz aula de guitarra precisa de uma guitarra, a empresa também disponibiliza descontos exclusivos para os seus alunos comprarem uma tão sonhada guitarra Fender. 

Sabe por que eu disse sobreviver lá em cima? Por que a Gibson, outra gigante do serviço, decretou falência meses atrás. Coincidência?

Ou o Barcelona

O gigante time catão também está alinhado com a evolução da forma como as pessoas consomem. Pensando nisso, foi lançado o “Fan Subscribe”, uma estratégia do time junto ao Facebook. Por causa do grande número de torcedores do Barça na rede social (cerca de 340 milhões de curtida), foi visualizada uma oportunidade de faturar e oferecer conteúdo exclusivo e de qualidade para os fãs. 

Com o Fan Subscribe, os torcedores terão acesso à experiências interativas, livres com personalidades do time, desconto em produtos oficiais, grupos exclusivos e muito mais. Outros clubes, como Real Madrid, também possuem serviços de assinatura, mas em formato de streaming – bem diferente da oportunidade que o Barcelona está enxergando no Fan Subscribe. 

Mas e aí, como dá pra entrar nessa de recorrência?

Calma, as coisas são  mais simples do que você imagina. O primeiro passo é você ter um produto ou serviço que possa ser consumido de forma frequente. Depois, procure uma plataforma de pagamentos, como a Vindi, que ofereça excelência nas cobranças recorrentes. 

O terceiro passo, para você se familiarizar mais, é participar do Recorrência no dia 24 de outubro. Em sua 8ª edição, o evento reúne grandes nomes do mercado para discutir sobre transformação digital e as mudanças na forma de consumo que estão movimentando o mercado.

Quer participar? Então clique na imagem abaixo e garanta agora o seu ingresso!