Os modelos de negócio recorrentes têm uma grande vantagem em relação aos outros: a receita previsível. Sendo que por meio desse fator fica mais fácil crescer com rapidez. Além disso, esse elemento também ajuda a atrair mais investidores. 

Esses aspectos são muito interessantes e devem ser considerados na hora de criar o planejamento para abrir uma empresa do zero. Porém, quem já possui um negócio e gostaria de transformá-lo no modelo recorrente, a boa notícia é que isso também é possível. E diversos segmentos podem se aproveitar da recorrência.  

Não há dúvidas que grandes empresas da era digital, como Amazon Prime, Netflix ou mesmo Spotify, são fortes exemplos de sucesso da economia da recorrência. Porém, vale lembrar que não são apenas modelos de negócio online que podem se beneficiar da recorrência. 

Nesse texto, vamos listar 11 segmentos físicos e virtuais que podem começar baseados na recorrência ou mesmo mudarem seu modelo para se tornarem recorrentes. 

Como funciona a recorrência?

Depois do “boom” da internet e as diversas empresas que escalaram numa velocidade impressionante, como as que citamos no começo do texto, é comum que se pense na recorrência apenas no mundo online.

Porém, esse modelo de negócio já existe há muito tempo. Pense, por exemplo, nas contas do dia a dia, como telefone ou internet. Elas são pagas todo mês e, normalmente, funcionam pela adesão a um plano.

Além disso, os cursos de idiomas, a universidade privada ou a academia também é paga continuamente por meio de um plano ou mensalidade. Outro exemplo bem comum é a assinatura de conteúdo, como revistas e jornais que eram entregues direto em sua casa.

Todos esses serviços que mencionamos acima funcionam pelo modelo recorrente. E, com a chegada da internet, ainda mais opções de negócios surgiram. 

Então, recorrência é  

Todo serviço ou produto que é oferecido e consumido de forma contínua. Podendo ser por meio de planos, mensalidades ou mesmo assinaturas. 

Já o termo Economia da Recorrência passou a ser utilizado em 2007, por uma empresa com sede na Califórnia, a Zuora. E ele se refere exatamente a todas as companhias que nascem ou adotam um modelo de negócio recorrente. 

Recorrência x venda pontual 

Ao contrário da recorrência, a venda pontual, como o nome mesmo já diz, é aquela em que você vende apenas uma vez um serviço ou produto para um cliente. É, claro, que ele pode voltar a comprar com você. Porém, isso é incerto. 

É possível criar modelos de negócio baseados na venda pontual que sejam lucrativos. Aliás, algumas empresas conseguem levar esse conceito ao extremo, oferecendo até produtos que prometem durar toda uma vida. 

Antigamente, eletrodomésticos e móveis seguiam bastante esse conceito e mesmo assim existiam empresas com um faturamento impressionante. No entanto, é preciso perceber que modelos de negócio baseados na venda pontual podem enfrentar maior dificuldade para crescer a longo prazo. 

Por quê? O motivo é que além de uma enorme concorrência em praticamente todos os segmentos, a venda pontual, como já dissemos, é incerta. Talvez em um mês você consiga atrair mais clientes, porém, nos meses seguintes será necessário esforços para sempre atrair novos consumidores.

E, sabemos que conquistar novos clientes pode ter um custo de aquisição até cinco vezes maior do que reter um atual. 

Por outro lado, em modelos de negócio recorrentes, você precisa atrair o cliente uma única vez. Depois, passará a vender seu serviço ou produto para a mesma pessoa enquanto o contrato estiver valendo. Assim, sua receita se torna muito mais previsível.

Mas, é claro que o sucesso de uma empresa não depende apenas de adotar a recorrência. Porém, certamente, com esse modelo você será capaz de crescer mais rápido e atrair mais investidores.

Modelos de negócio que podem ser recorrentes    

Bom, agora que você já entendeu como funciona a recorrência e sua vantagem em relação às vendas pontuais, chegou a hora de falarmos sobre os tipos de negócios que podem ser recorrentes. Veja só:

1 – Clubes de assinatura

Nos últimos anos, os clubes de assinatura se tornaram uma ótima oportunidade de investimento. Para se ter ideia, em 2018, o segmento chegou a faturar R$ 1 bilhão

As opções de negócios são as mais variadas. Um exemplo é o Leiturinha, um dos clubes de assinatura mais bem sucedidos em livros infantis. Além disso, também encontramos clubes de vinhos, cerveja, produtos especiais para quem tem alergia, cosméticos e por aí vai. 

Um dos grandes diferenciais desse modelo de negócio recorrente é a curadoria. Ou seja, é feita uma seleção de produtos que é do interesse do público. Para funcionar bem, é importante manter a qualidade e incluir o fator surpresa. 

A questão da logística e custo de produção também são importantes para os clubes de assinatura. Já que, por mais que a assinatura seja, normalmente, feita pela internet, a produção e a entrega acontecem no mundo físico. 

2 – Software as a Service (SaaS)

Outro segmento que tem a recorrência como um dos seus principais elementos é o SaaS, em português chamado de Software como Serviço. 

Sendo que um de seus principais objetivos é facilitar o trabalho do cliente por meio da automatização de alguma tarefa. 

Como exemplo podemos citar uma das empresas pioneiras do segmento, a Salesforce. Ela oferece uma plataforma completa de CRM (Customer Relationship Management ou Gestão de Relacionamento com o cliente).  

Uma das principais inovações desse modelo aconteceu pelo fato do cliente não mais comprar uma versão de um software que precisa ser instalado ou mesmo uma licença. Pelo SaaS, o consumidor passa a utilizar um serviço na nuvem que costuma ser comercializado no modelo de planos e mensalidade.

A Vindi também se encaixa nessa categoria. Já que nossos clientes têm acesso a uma plataforma de pagamento completa, podendo fazer a gestão financeira de seus negócios recorrentes com muito mais facilidade. 

3 – Educação 

O segmento da educação pode usar a recorrência tanto para escolas e universidades físicas, como também para o ensino a distância. 

É cada vez mais comum que as pessoas busquem cursos, atualização profissional e aprendizado em geral pela internet. Por isso, esse é um segmento com grande potencial para quem quer investir em um dos modelos de negócio recorrentes.

Já as instituições de ensino que atuam fisicamente, também operam na recorrência. Pois precisam cobrar o mesmo aluno continuamente. Além do tradicional boleto bancário, uma opção de pagamento que tem ajudado a reduzir a inadimplência no segmento é o pagamento recorrente, feito pelo cartão de crédito.

4 – Seguros e planos

O nicho de seguros é uma ótima oportunidade de modelo de negócio recorrente. Já que os clientes fecham um plano e passam a pagar mensalmente.

Um dos seus principais objetivos é gerar tranquilidade e dar segurança às pessoas. E as opções podem ser de seguro de vida, de residência ou mesmo de aparelhos eletrônicos (como celulares).

Além disso, outros serviços que possuem a função de gerar tranquilidade ao cliente são os planos de saúde, dentários e até mesmo funerários. Todos eles se enquadram no modelo da recorrência, pois precisam cobrar o mesmo cliente diversas vezes. 

5 – Estacionamento

Oferecer a opção de mensalistas é uma ótima maneira de gerar receita previsível para seu estacionamento e entrar para a economia da recorrência.

Para facilitar a cobrança, evitar a inadimplência e reter clientes, o pagamento recorrente é uma opção que automatiza o processo e facilita a gestão financeira do estabelecimento. 

6 – Fitness

Cada vez mais as pessoas buscam uma vida saudável e equilibrada. Com isso, investir em um modelo de negócio fitness se torna uma oportunidade lucrativa. O Brasil é considerado a maior receita da América Latina e a terceira da América quando o assunto é atividade física. 

O faturamento do segmento fitness é de 2,1 bilhões de dólares. As academias, como SmartFit, e centros esportivos já são negócios recorrentes. Pois oferecem opções de planos mensais ou anuais. 

Porém, também é possível lucrar com a recorrência nesse segmento por meio da oferta de suplementos, roupas esportivas ou mesmo tratamentos estéticos. 

7 – Acesso total

Nessa categoria você pode pensar em diversos modelos de negócio que serão oferecidos com o princípio de “acesso total”. Ou seja, o cliente paga uma mensalidade ou escolhe um plano e pode utilizar o quanto ele quiser, sem limites.

É como funciona empresas bem conhecidas por nós, como a Netflix para streaming de filmes e o Spotify para músicas. 

Nesse modelo é possível oferecer uma versão gratuita e uma VIP que conta com funcionalidades completas. É o chamado freemium. Essa é uma maneira eficiente de deixar as pessoas testarem seus serviços e, ao mesmo tempo, atrair assinantes. 

8 – Conteúdo 

Com a chegada da internet, muitos produtores de conteúdo, como jornais e revistas, acabaram precisando ajustar seu modelo de negócio para conseguir lucrar. 

Hoje uma das maneiras mais comuns de ganhar dinheiro por meio de conteúdo é oferecendo opções de assinaturas. Assim, seus clientes passam a ter acesso a um material exclusivo e rico em informações. 

Mesmo os principais produtores de conteúdo, como a Folha de São Paulo, passaram a limitar o número de artigos gratuitos. Deixando os artigos mais completos acessíveis apenas para assinantes.

Esse tópico pode ser uma ótima oportunidade caso você queira oferecer assuntos e temas para um nicho e, ao mesmo tempo, usar a recorrência. 

9 – Lava rápido 

Um setor de serviços que talvez ainda não aproveite a recorrência é o de lava rápido. Porém, é um segmento que costuma atender o mesmo cliente diversas vezes.

Sendo assim, tornar essa receita previsível é uma forma eficiente de contar com caixa e poder investir em equipamentos. 

Você pode pensar em planos trimestrais, anuais e ainda diferenciar a precificação de acordo com os serviços oferecidos, como: limpeza por dentro, enceramento entre outros.

10 – Comodidade

Nesse tópico queremos citar serviços que oferecem comodidade ao cliente, seja por evitar filas ou mesmo garantir um acesso antecipado.

Um grande exemplo de modelo de negócio recorrente nessa linha é o Sem Parar, que oferece a facilidade de evitar longas filas para pagar pedágios ou mesmo em estacionamentos, por exemplo, de shoppings.

Além do benefício da facilidade, quem adere ao Sem Parar também não precisa se preocupar em ter dinheiro na carteira para fazer o pagamento. Já que todas as despesas são cobradas por meio de uma fatura mensal.

11 – Produtos 

Por último, uma opção de modelo de negócio recorrente são os produtos. Mas, não é qualquer um e sim aqueles que precisam ser comprados com frequência.

Um exemplo são as cápsulas de café da Nespresso. A empresa oferece duas opções: a assinatura apenas das cápsulas para receber direto em sua casa, sendo possível escolher quais tipos de café você deseja. E, também, uma opção de assinatura que inclui a máquina de café para quem ainda não a possui.

Além do café, produtos como fraldas, shampoos, produtos de limpeza e outros também precisam ser repostos com frequência. E, por isso, podem se aproveitar da recorrência. 

Essa é uma boa ideia para e-commerces que querem continuar com a venda pontual e também oferecer uma opção recorrente.

Conclusão 

Como você viu nesse texto, diversos segmentos podem adotar o modelo de negócio recorrente. 

E, para ajudar no sucesso da sua empresa, é necessário investir na qualidade do seu Atendimento ao Cliente. Já que ele pode influenciar diretamente nas renovações de assinaturas. Além disso, negócios recorrentes também precisam implantar métricas e acompanhá-las de perto. Algumas são CAC, Churn, LTV e MRR

E, por último, a gestão de cobranças recorrentes também é um fator importante a se considerar. Pois ele não funciona da mesma maneira que em modelos de vendas pontuais e pode afetar diretamente na experiência do cliente. Uma boa solução é buscar parceiros especializados no assunto.

Bons negócios!

banner para contato comercial na Vindi