Um shopping virtual. Essa é a melhor definição para descrever o que é um marketplace. Ele funciona como um portal de vendas online colaborativo. Ou seja, diferente de um clube de assinatura ou e-commerce tradicional, esse modelo reúne diversos lojistas em um único espaço.

Para os lojistas a vantagem é que ele será visto por mais gente e aumenta as chances de atingir o público-alvo. Já para o consumidor, a ideia é oferecer a mesma experiência de compra de um shopping (que reúne uma grande diversificação de lojas), só que online.

Vamos ver um pouco mais sobre o assunto:

Como funciona o marketplace?

O portal é dividido em dois níveis de acesso: um para o lojista e um para o cliente. Dessa forma, o lojista tem a oportunidade de customizar o seu mix de produtos ofertados e lidar com a organização do marketplace. Enquanto isso, para o cliente, é como acessar uma loja virtual comum, com a diferença de que existem várias opções de lojas.

Isso quer dizer que, na hora de fechar uma compra, o procedimento adotado é como em qualquer outro comércio virtual. Não é necessário redirecionar o consumidor para o site de cada loja ou fazer cobranças separadas.

O marketplace pode ser desenvolvido para um determinado segmento específico ou então trabalhar com todas as lojas interessadas, agrupando-as em segmentos, como em uma loja de departamentos.

Em alguns casos, a visibilidade dos lojistas aumenta porque os marketplaces são sites conhecidos e comumente acessados pelos consumidores. Grandes exemplos de marketplaces são: Americanas.com, Submarino.com, Buscapé, Dafiti, entre outros.

Vantagens do marketplace

Visibilidade

É mais fácil atrair o público para um website que conta com diversas marcas e produtos do que para um e-commerce de apenas uma loja. Portanto, ganha-se visibilidade através da divulgação feita por todo o marketplace.

Baixo investimento e alto retorno

Exige-se um baixo investimento para começar as vendas através de um marketplace e o retorno obtido pode ser alto de acordo com o sucesso das vendas.

Diversificação de público

O público que acessa o marketplace é muito variado. Muitos deles nunca procurariam pela sua loja. Mas, ao ver os produtos todos em um mesmo lugar, podem acabar se interessando.

Desvantagens do marketplace

Depender do marketplace

Um grande perigo é ficar dependente do marketplace e não conseguir vender por conta própria. Isso pode ser um grande problema em casos de imprevistos em relação ao marketplace.

Pouca importância para a sua marca

Por estar exposto com várias outras marcas, a importância e o reconhecimento que você recebe por não ser tão bom quanto nas vendas pelo seu próprio site.

Competição pelo preço

Em marketplaces com muitas lojas de um mesmo segmento pode acontecer de ter tantas opções diferentes que o preço se torna um fator diferencial. E a competição pelo preço nem sempre é vantajosa.

Como vender no marketplace?

Para começar suas operações em uum marketplace, primeiro você precisa fazer um cadastro. A maioria dos grandes marketplaces, como Submarino, MercadoLivre e Americanas.com possui uma ficha de cadastro no próprio site da empresa. Você entra e faz o cadastro como um fornecedor.

No Americanas.com, por exemplo, ao fazer o cadastro a empresa pede informações como: CNPJ da empresa, segmento dos produtos que a empresa vai comercializar, contatos comerciais e endereço do site. Veja o exemplo:

o-que-e-marketplace

Além da documentação, você deverá enviar uma série de documentos importantes para aprovação. Essa documentação varia de acordo com o marketplace, alguns dos documentos geralmente solicitados são:

  • Comprovante de Inscrição Estadual;
  • Comprovante de inscrição e situação cadastral da empresa na Receita Federal;
  • Certidão negativa de débitos tributários;
  • Certidão Negativa de Débitos Previdenciários;
  • Consulta pública ao Cadastro do Estado;
  • Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas – CNDT;
  • Declaração do regime de tributação.

Como disse, esses são alguns documentos. Mas como varia de acordo com o espaço de vendas, os comprovantes podem ser outros. 

Após o envio da documentação, vem a aprovação. Às vezes ela é automática, outras o processo é mais burocrático. Mas depois do envio dos documentos solicitados pelo marketplace, eles entram em contato para continuar o processo.

Se aprovado, o próximo passo é enviar os dados dos produtos que serão vendidos no marketplace e começar as operações de venda. O processo de vendas acontece da seguinte forma:

  • O marketplace divulga seus produtos;
  • O cliente faz a compra via o site do marketplace;
  • Você recebe os dados dos pedidos aprovados
  • O marketplace faz o repasse das transações de venda do mês descontando o percentual dele (que geralmente é negociado no momento da aprovação)

Para fazer o repasse das vendas para cada “parceiro” o marketplace usa o split de pagamento. Isso serve para oferecer maior comodidade para o cliente que quiser comprar produtos de diferentes lojas dentro do marketplace e facilitar os pagamentos para os fornecedores desses produtos. Mas…

O que é split de pagamento?

O Split de pagamento é uma funcionalidade que permite realizar a divisão dos valores da compra no marketplace de uma forma customizada, no ato da autorização do pagamento, entre as partes envolvidas na transação. Isso é feito por meio de um facilitador de pagamentos, como o Aceita Fácil.

Isso quer dizer que se um cliente faz uma compra no martplace com produtos de duas ou mais lojas diferentes, o pagamento será único: para o marketplace. Daí, a parte de cada “fornecedor/loja” do respectivos produtos pelo cliente será feita via split de pagamento.

Uma parte será destinada ao marketplace (que é o percentual negociado antes do início das operações) e cada loja receberá o valor referente aos seus produtos. Muito prático, não é? Facilita a vida de todos os envolvidos: cliente, lojas e marketplace.

Algumas das vantagens do Split são:

  • Aumento da taxa de conversão;
  • Transparência;
  • Lançamentos automáticos;
  • Controle de pedidos.

E é por isso que o split de pagamento é o processo mais indicado para ser usado nos markeplaces ou negócios de vendas compartilhadas, como expliquei ali em cima.

Agora que você já sabe todo o conceito de um marketplace pode decidir melhor se este é um modelo que atende o seu negócio. =)

vindi-banner

 

Você vai gostar também

Como a greve dos Correios afeta as empresas brasil... Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentec), foi marcada uma assembleia para definir a pa...
O que é SSL (Secure Socket Layer)? A segurança é cada vez mais um assunto debatido e um grande diferencial em operações online. Principalmente para as empresas de comércio eletrônico, q...
Tendências do comércio eletrônico para 2017 De acordo com o relatório Webshoppers, da Ebit - que traz os resultados e as tendências do comércio eletrônico - o ano passado teve um crescimento nom...
Principais plataformas e-commerce para seu Clube d... Que o e-commerce tem conquistado a preferência do consumidor e atingido resultados exponenciais ano a ano não é novidade. Mas, outro modelo que vem ga...