Para quem está pensando em realizar vendas online, é comum ficar na dúvida entre anunciar seus produtos em um site ou ter sua própria loja digital. Por isso, listamos as vantagens, desvantagens e a diferença entre marketplace e e-commerce para te ajudar.

Não é de hoje, que o consumo digital tem aumentado. As pessoas têm preferido realizar compras pela internet e, ter sua marca bem posicionada, é uma estratégia vital para um bom volume de vendas.

Para conhecer melhor sobre as duas opções e escolher qual a melhor para o seu tipo de negócio, continue lendo este artigo.

Diferença entre marketplace e e-commerce

Para começar, vamos pensar que o marketplace é como uma vitrine de um shopping, onde várias marcas estão expostas para que o consumidor escolha qual deseja comprar. Já o e-commerce, é como uma loja própria em uma rua, por exemplo, onde você anuncia somente os seus produtos. Digamos que o concorrente não “mora” ao lado, como no marketplace.

Marketplace

Como comentei acima, o marketplace é uma plataforma de varejo online que reúne diversas marcas e vendedores. O vendedor anuncia seus produtos através dessa plataforma e a questão de taxas, pagamento, logística de entrega são um pouco diferentes do e-commerce.

Separei até alguns exemplos para entendermos melhor:

  • Elo7 – um marketplace que reúne vendedores que produzem artesanato para casamentos, batizados, aniversários e muitas outras ocasiões;
  • Mercado Livre – quem nunca fez uma compra no Mercado Livre, não é mesmo? Ele é um exemplo clássico de marketplace, onde os vendedores anunciam seus produtos e utilizam a tecnologia do site para realizar as vendas;
  • Americanas.com – a loja online das Lojas Americanas também se transformou em um marketplace, onde é possível encontrar produtos de diversos vendedores, das mais variadas partes do país.

Imagem do marketplace da Elo7

E-commerce

Já o e-commerce, funciona como uma loja própria. Você contrata uma plataforma, cria seu site, todo o processo de vendas, pagamento e entrega.

Diferente do marketplace, no e-commerce você não disputa diretamente com o seu concorrente. Exceto pelo fato de que seu site deve estar bem posicionado nos mecanismos de busca. Mas, quando acessado, tudo o que for comprado é, apenas, da sua loja.

Veja alguns exemplos:

Chico Rei – um e-commerce mineiro de camisetas e canecas personalizadas;
Sephora – além da loja física, a marca possui a loja online de produtos de beleza nacionais e importados.

Imagem do e-commerce do Chico Rei

Bom, agora que já sabemos a diferença entre marketplace e e-commerce, vamos conhecer um pouco mais sobre as vantagens e desvantagens de cada um.

Vantagens e desvantagens do marketplace

Visibilidade e confiança

Vamos começar falando sobre a visibilidade e a confiança. Quando uma marca é nova no mercado, leva um tempo para que as pessoas comecem a confiar e a comprar, principalmente, quando falamos de compras online.

Ao anunciar os produtos em um marketplace, sua marca ganha força junto com a marca detentora do varejo. Além de trazer muitos acessos, afinal, são nomes já consolidados no mercado e que possuem muitos acessos diários em seu site.

Isso ajuda a economizar um bom dinheiro em questão de marketing, já que não é preciso fazer anúncios que levam as pessoas até seus produtos. O próprio marketplace já se encarrega disso.

Redução de custos

Como mostrei acima, o marketplace é responsável por toda a estrutura, para que você realize a venda dos seus produtos. Ele será o responsável por manter o site no ar, por trazer o cliente até sua loja e muitas outras coisas.

Isso reduz, e muito, os custos quando comparamos com um e-commerce. Em troca, ele fica com uma porcentagem em cima do que você vende. Afinal, a empresa está te dando toda a estrutura necessária para vender.

Apesar da taxa cobrada em cima das vendas, o lucro ainda pode ser alto, já que não há gastos com tecnologia e marketing. Porém, toda a parte de logística de entrega, fica por sua conta.

Branding

Apesar das vantagens, o marketplace acaba prejudicando as empresas em questão de branding. É ótimo para anunciar quando se está começando, mas para se consolidar no mercado, é preciso investir em outros tipos de canais, para que sua marca comece a ficar conhecida.

Se você apostar todas suas vendas somente no marketplace, o nome da sua empresa sempre ficará encoberto pela marca do mesmo.

Dependência

Caso você decida investir apenas no canal de marketplace, é preciso ter a visão de que se a empresa falir, acaba levando a sua também.

Dessa forma, todas as lojas que anunciam na plataforma acabam perdendo seu espaço de anúncio e, consequentemente, deixando de faturar.

Concorrência

No marketplace, diversas lojas podem anunciar, inclusive, as que vendem produtos semelhantes aos seus. Ou seja, acaba ganhando quem anuncia melhor e o menor preço. Afinal, o cliente consegue comparar os valores dentro do site.

Formas de pagamento

As formas de pagamento entre um e-commerce e um marketplace pouco mudam. Mas, é preciso escolher bem o marketplace em que irá anunciar seus produtos.

Alguns, utilizam uma página de checkout própria e que não causa problemas. Já outros, acabam redirecionando o cliente na hora de finalizar a compra e realizar o pagamento, o que pode acarretar em um abandono de carrinho. Isso acontece porque o cliente pode não se sentir seguro de inserir seus dados em outro lugar fora da sua página.

Vantagens e desvantagens do e-commerce

Sua marca com exclusividade

Ao criar um e-commerce você consegue deixar tudo do seu jeito. A cara do site, as categorias, descrições, fotos dos produtos e tudo mais.

Sua marca é única e você não concorre com outros lojistas, como no marketplace.

Investimento

Tudo que é exclusivo ou personalizado acaba sendo mais caro. Mas, o retorno vale a pena!

Para ter um e-commerce, é preciso investir em tecnologia.Ou seja, contratar uma plataforma para transformar seu site em loja e criar todo o fluxo de compra. Exemplo o Magento, que possui código aberto e permite que você customize seu e-commerce da forma que quiser. Ou o Woocommerce, plugin que transforma um blog em uma loja online.

Com a tecnologia das plataformas de e-commerce mais de uma plataforma de pagamento, sua loja está pronta para começar a vender.

Mas, não se esqueça, além disso, é preciso investir em marketing, já que você precisa atrair clientes para sua loja, acertar o público alvo e fazer os anúncios certos.

Pagamento

Como você é dono do e-commerce, pode escolher a plataforma de pagamento que melhor atender suas necessidades. Procure dar o maior número de opções de formas de pagamento para seu cliente, como cartão de crédito, débito e boleto.

Lembre-se que aceitar todas as bandeiras é importante, além de ter uma própria página de checkout, o que aumenta a confiança do cliente para preencher seus dados e finalizar a compra.

Equipe

É preciso ter uma equipe para operar seu e-commerce. Lembre-se que ele precisa estar bem posicionado nos mecanismos de busca, precisa ter um controle de estoque, alguém precisa cuidar da logística, atualização do site e deixar tudo rodando perfeitamente.

Marketplace ou e-commerce: qual o melhor para o meu negócio?

Você já conferiu a diferença entre eles e as vantagens e desvantagens de cada um. Agora, é preciso analisar qual modelo faz mais sentido para o seu negócio, qual vai impactar menos no seu bolso e te dar mais retorno. E, nada impede que você migre de um para outro no futuro, é importante fazer testes e entender qual é o melhor para você agora.

Existem até algumas empresas que possuem o próprio e-commerce, mas que anunciam alguns produtos em marketplace, tudo depende da estratégia tomada para aquele momento.

Quer receber outros conteúdos sobre o mercado? Então assine nossa newsletter e fique por dentro de tudo que está acontecendo no mundo dos negócios!

banner_newsletter_blog_2