Existem diferentes modelos de precificação para negócios que atuam na economia da recorrência. Porém, você deve fazer a escolha certa, já que ela vai impactar no faturamento da sua empresa e na sua capacidade de vender mais para quem já é cliente.

Oferecer serviços e produtos por meio de planos, assinaturas ou mesmo mensalidades tem se tornado a escolha dos mais diversos segmentos. Mas, não se deve esquecer que para aumentar as chances de sucesso é preciso levar em consideração as peculiaridades desse modelo.

Entre elas estão a escolha dos modelos de precificação. Nesse texto, vamos explicar quais são eles, assim, você pode tomar a decisão certa.

4 modelos de precificação da economia da recorrência

Abaixo vamos falar sobre os quatro principais modelos de precificação utilizados por negócios recorrentes. Você vai conseguir entender as vantagens e desvantagens de cada um deles.

1 – Precificação fixa

Ao escolher a precificação fixa, sua empresa decide cobrar um preço único nas mensalidades, planos ou assinatura. 

Esse modelo de precificação não leva em consideração o perfil do consumidor ou qualquer outra variação. Ele é especialmente comum para empresas que oferecem ensino EAD, como cursos de inglês ou universidades. Mas também para cobrar condomínios, estacionamento, sindicatos entre outros.

Porém, a precificação fixa também costuma ser adota por negócios que estão começando, já que ela é mais fácil de implementar, gerenciar e permite uma receita bem previsível.

Já a desvantagem desse modelo de precificação é que ele pode acabar perdendo oportunidades de faturar mais por meio de planos premium. Além de não ter a chance de trabalhar a fidelização por meio de planos personalizados.

2 – Precificação por camadas

Outra opção entre os modelos de precificação na economia da recorrência é por camadas. Nesse exemplo é ofertado ao cliente diferentes opções de planos e ele pode escolher o que mais se encaixa em suas necessidades.

É bem comum na precificação por camadas que a empresa disponibilize planos que vão desde o básico, intermediário até o premium. Sendo que a escolha fica por conta do cliente. É importante nesse modelo que você consiga diferenciar bem os benefícios entre cada plano. 

Pois estando perceptíveis para o consumidor as vantagens de cada um, você terá mais chances de fechar clientes premium ou mesmo conseguir fazer o upsell deles durante o período de uso. Com isso, você cria oportunidade de aumentar sua receita. 

Entre as empresas que utilizam esse modelo podemos citar a Netflix, SmartFit e também a Vindi.  

3 – Precificação por consumo

A precificação por consumo é um modelo de cobrança flexível, pois não existe valores engessados como na precificação fixa e por camada. O preço pago pelo cliente depende, na verdade, de seu consumo. 

Mas, a empresa pode definir um valor mínimo que será cobrado mesmo se o cliente fizer uso mínimo do serviço. 

Esse modelo de precificação é comum em serviços de telefonia, internet, luz ou mesmo água. Para o cliente, essa opção pode gerar menor preocupação em fechar o plano, já que ele não precisa se preocupar em pagar mais do que utiliza. 

E para empresa, a vantagem é o potencial de aumentar seus lucros. Porém, esse cenário também acaba dificultando a projeção de faturamento nos meses seguintes, já que o consumo do cliente pode variar bastante.

4 – Freemium

A opção freemium é um dos modelos de precificação na economia da recorrência que pode ser interessante para quem quer atrair novos clientes com mais facilidade.

Já que ele permite que o usuário utilize uma versão gratuita dos serviços. Mas, a grande estratégia está em disponibilizar apenas funcionalidades básicas nesse modelo, deixando as mais atraentes restritas para assinantes. 

Diversos aplicativos para celulares e softwares apostam nessa estratégia. Um dos exemplos mais famosos é o Spotify e, agora, o YouTube. Já que os usuários são capazes de utilizar o serviço da plataforma gratuitamente, mas se quiser ficar livres de publicidade ou acessar funcionalidades extras precisam se tornar assinantes.

Vale dizer que ao criar sua estratégia freemium você precisa garantir que as vantagens de assinante são realmente atraentes para seu público. Caso contrário, você pode encontrar dificuldades em converter usuários em assinantes.

Como escolher seu modelo de precificação

A melhor forma de não errar ao escolher seu modelo de precificação é levar em consideração seu público-alvo, quais eles preferem, qual modelo eles já estão acostumados a utilizar e quais a concorrência disponibiliza. 

Além disso, outro ponto importante é entender qual o momento do seu negócio. Depois, se você achar que o modelo escolhido não está trazendo bons resultados, troque para outro. 

E não se esqueça de levar em consideração que independente de qual você escolher entre os modelos de precificação, um fator essencial para o sucesso do seu negócio é como será feita a gestão dessas cobranças. 

Contar com a tecnologia por meio de uma plataforma de pagamento completa, claro que seja especializada em cobrança recorrente, vai permitir que você automatize as atividades repetitivas. Podendo, assim, focar nas vendas e satisfação dos seus clientes.

Além disso, algumas ferramentas disponibilizam recursos essenciais para ajudar a combater o número de inadimplentes. Um fator super importante para quem escolhe o modelo recorrente.

A Vindi é uma delas! Quer saber mais como podemos ajudá-lo a escalar o faturamento da sua empresa? Fale agora com um de nossos consultores.

consultor vindi