Como criar um SaaS de sucesso e faturar alto todo mês no mercado de software na nuvem?

Não existe uma resposta pronta para essa pergunta, mas podemos ajudar com um guia inspirador para abrir sua startup nesse segmento.

Para começar, SaaS significa Software as a Service (software como serviço).

Esse é um modelo de negócio em que você vende a tecnologia não como um produto a ser instalado, mas como um serviço que pode ser acessado online livremente por meio de licenças de uso e assinaturas.

Assim, o usuário paga pelo acesso a ele de forma recorrente e você cuida de todo o resto.

Quer entender melhor como isso funciona e como criar um SaaS do zero?

Então, acompanhe o texto até o final e prepare-se para empreender nesse mercado promissor. 

Como criar um SaaS de sucesso? Passo a passo

Saber como criar um SaaS é um passo promissor para se tornar um empreendedor bem-sucedido.

Veja o passo a passo para vender software como serviço e lucrar na era digital. 

1. Identifique um problema a ser resolvido

A jornada de criação de um negócio SaaS começa na identificação de um problema que pode ser resolvido com um software.

E acredite: todo segmento do mercado tem espaço para soluções digitais. 

Prova disso é a quantidade de startups de tecnologia que surgem em todas as áreas possíveis, desde educação (edtechs) até agronegócio (agtechs). 

Por exemplo, você pode identificar a necessidade de um software para controlar o fluxo de caixa em supermercados, gerenciar atribuições de aulas em uma escola ou mesmo a produção de soja em uma fazenda. 

Mas, dependendo das áreas com as quais você tem mais afinidade, surgirão ideias de problemas que podem ser solucionados com o software certo – o primeiro passo para criar um negócio SaaS.

2. Faça uma pesquisa de mercado

Não basta ter um insight genial sobre a solução que você quer criar e o problema que pretende resolver.

É preciso colocar a ideia à prova e investigar o mercado antes de seguir em frente com a proposta. 

Para isso, você pode começar conversando com pessoas próximas e potenciais clientes sobre a existência da demanda identificada e um possível interesse no software que você imaginou. 

Entretanto, outro caminho é pesquisar a fundo as tendências do mercado por meio de estatísticas, estudos já realizados, whitepapers, redes sociais, entre outros canais.

Além disso, você precisa dar uma boa olhada nos softwares de concorrentes para entender a estratégia de quem já atua no segmento. 

Essa imersão inicial é importante para filtrar suas possibilidades, pois nem sempre aquela ideia que parecia genial no início se mostra viável na prática. 

3. Mire no público-alvo certo

A definição do público-alvo é uma etapa essencial na criação de negócios SaaS. 

Nesse caso, você pode segmentar seus potenciais clientes em grupos e até criar personas (personagens que representam seu cliente ideal) para conhecê-los melhor.

Assim, você pode tanto mirar em empresas (B2B, ou Business to Business) quanto em usuários finais (B2C, ou Business to Consumer). 

Lembre-se: no modelo de criação de startups, o público-alvo escolhido será responsável por validar diretamente seu software antes e durante a comercialização. 

Por isso, é melhor definir bem seu nicho de mercado e evitar erros como mirar em públicos amplos demais ou com perfil genérico.

4. Desenvolva seu plano de negócio

Um plano de negócio para um SaaS deve seguir os princípios ágeis das startups, começando pela metodologia Lean.

O método foi criado por Eric Ries, um empreendedor pioneiro do Vale do Silício, que apresentou o conceito de “startup enxuta” ao mundo.

A ideia é simples: você deve cortar excessos e ir direto ao ponto no planejamento do negócio.

Para isso, a sugestão é usar um Business Model Canvas (Canvas de Modelo de Negócio), que resume em um único diagrama todos os elementos que você precisa para criar uma startup.

Veja um exemplo de como preencher o quadro:

  • Proposta de valor: oferecer um software de gestão financeira específico para negócios recorrentes com interface intuitiva e planos para todos os portes de empresa;
  • Segmento de clientes: empresas de pequeno e médio porte de segmentos recorrentes como clubes de assinatura, academias, escolas e escritórios contábeis;
  • Canais: plataforma SaaS e lojas de aplicativos;
  • Relacionamento: autoatendimento, suporte online, chatbot, redes sociais;
  • Receitas: modelo assinatura e sistema de cobrança recorrente com planos e preços flexíveis;
  • Recursos: plataforma tecnológica, API e marca;
  • Atividades: desenvolvimento e manutenção do sistema, marketing digital B2B;
  • Provedores: PaaS e IaaS, plataformas de código aberto;
  • Estrutura de custos: desenvolvimento de sistemas e APIs, contratação de equipe, investimento em marketing e relacionamento, prospecção de parcerias.

5. Crie seu MVP

Com o plano de negócio pronto, está na hora de criar seu MVP (Minimum Viable Product, ou Produto Mínimo Viável). 

Mas ele funciona como uma versão inicial do seu software, que reúne o mínimo de recursos necessários para testar a viabilidade do produto junto a um grupo selecionado de potenciais clientes.

Algumas empresas de SaaS lançam uma simples landing page com informações sobre o sistema e um vídeo explicativo, mas você pode ir além e começar com uma versão beta – lembre-se de enxugar ao máximo as funcionalidades.

Então, o MVP será testado pelo grupo de clientes ou comunidade escolhida e os feedbacks serão consolidados para criar a versão final do software.

Dessa forma, o próprio público-alvo participa do desenvolvimento da solução e suas chances de sucesso são muito maiores.

6. Defina o modelo de precificação

A precificação não é um processo simples nos negócios SaaS, pois você precisa ajustar os preços continuamente, conforme o valor entregue a cada segmento de clientes.

Primeiro, é preciso escolher entre os modelos de receita disponíveis, tais como:

  • Assinatura mensal (planos e pacotes);
  • Assinatura por usuário (planos e pacotes);
  • Freemium (versão grátis com acesso ilimitado e recursos adicionais nas versões pagas);
  • Grátis com publicidade;
  • Comissão (corretagem);
  • Armazenamento;
  • Pay-per-use (pagamento apenas pelos recursos utilizados).

Entretanto, o modelo ideal depende do seu público-alvo e segmento, e deve ser flexível o suficiente para se adaptar a novos cenários. 

7. Defina os métodos de cobrança

Em todos os modelos de precificação, você vai precisar de um método de cobrança eficiente para gerenciar os pagamentos e o faturamento do SaaS. 

No caso dos planos e assinaturas, há diversas soluções voltadas à cobrança recorrente, que automatizam cada etapa do processo e disponibilizam diversas formas de pagamento para os clientes.

Com a Vindi, por exemplo, você controla os pagamentos online de ponta a ponta e pode oferecer opções como boleto, cartão de crédito, carteiras digitais, Pix e link de pagamento aos clientes. 

8. Acompanhe as métricas

O mercado SaaS tem suas próprias métricas de sucesso que são comuns a todos os negócios do ramo.

Veja os principais KPIs para empresas SaaS:

  • Lead Conversion Rate (LCR): calcula a taxa de conversão de leads em vendas;
  • Custo de Aquisição por Cliente (CAC): mostra quanto você gasta em vendas e marketing para conquistar cada cliente;
  • Receita Mensal Recorrente (MRR): é a receita recorrente mensal, ou seja, o valor que você fatura por mês contando todas as assinaturas (quando é anual, se chama ARR);
  • Lifetime Value (LTV): também chamado de valor do tempo de vida do cliente, indica o quanto o cliente contribui com seu faturamento ao longo do relacionamento com a empresa;
  • Churn rate: taxa de cancelamento que mede a quantidade de clientes que interrompem a assinatura do serviço.

métricas saas

9. Capte recursos

Como em qualquer startup, você vai precisar captar recursos para financiar seu negócio SaaS.

As principais opções para isso são o capital próprio (bootstrapping), capital de sócios e recursos de investidores-anjo e fundos de venture capital. 

Com um bom MVP e ótimos argumentos, você já consegue atrair investidores interessados no potencial de crescimento do seu SaaS. 

10. Promova seu negócio

Por fim, o marketing é fundamental para escalar sua startup SaaS e conseguir um bom posicionamento nesse mercado competitivo.

O caminho mais acessível para isso é sem dúvidas o marketing digital, que permite combinar estratégias de links patrocinados, SEO (Search Engine Marketing), marketing de conteúdo e remarketing para alcançar seu público-alvo e promover sua marca online.

Por que criar uma startup SaaS

Não faltam motivos para criar um SaaS e se aventurar em um dos mercados mais promissores do mundo. 

De acordo com a última previsão da Gartner, publicada em novembro de 2020, o segmento de SaaS deve crescer 16% em 2021 e alcançar os 117,7 bilhões de dólares. 

Em 2020, a pandemia do coronavírus desacelerou o crescimento do setor e levou a uma queda de 0,57%.

Porém, se considerarmos todo o mercado de serviços em nuvem, que inclui soluções DaaS (Dispositivo como Serviço), PaaS (Plataforma como Serviço) e IaaS (Infraestrutura como serviço), o crescimento foi de 6,12% em 2020, mesmo em um cenário de recessão. 

Já em 2021, esse mercado deve atingir a cifra de 304,9 bilhões de dólares – um crescimento de 18,4% em relação a 2020. 

Entre as vantagens de empreender no ramo, podemos destacar:

  • Receita recorrente e faturamento previsível;
  • Facilidade para escalar o negócio, já que o software é o mesmo para todos (mudam apenas os recursos e versões);
  • Rapidez para iniciar o negócio;
  • Redução de custos de desenvolvimento e manutenção;
  • Flexibilidade para definir planos e preços;
  • Possibilidade de reter e fidelizar clientes com um CAC estável e um LTV superior. 

Como está o mercado de plataformas SaaS no Brasil?

O mercado de plataformas SaaS segue a todo o vapor no Brasil, acompanhando a tendência global.

Assim, um sinal claro desse movimento é a estimativa de crescimento de 36,6% para o mercado de serviços na nuvem, realizada pelo IDC em fevereiro de 2020 (Valor Econômico).

Com a pandemia, as estatísticas do setor ficaram ainda mais promissoras, já que a quarentena estimulou a procura por soluções em nuvem.

Segundo uma previsão do IDC publicada no Diário do Nordeste, as plataformas em nuvem devem movimentar 3 bilhões de dólares no país em 2021 – 46,5% a mais do que em 2020. 

Exemplos de SaaS – Software como Serviço

Agora que você sabe como criar um SaaS do zero, que tal conhecer algumas empresas do setor para se inspirar?

Conheça negócios de sucesso!

RD Station

A RD Station é líder de mercado no segmento de plataformas de automação de marketing e vendas no Brasil.

A empresa conquistou mais de 25 mil clientes em 10 anos de existência, e levou pouco mais de dois anos para alcançar a receita recorrente anual de R$ 1 milhão. 

É um ótimo exemplo de startup que começou com uma equipe enxuta e já recebeu mais de 30 milhões de dólares em investimentos, conforme publicado na revista Labs em 2019. 

Zoom

A plataforma de videoconferência Zoom teve sua oportunidade de ouro durante a pandemia do coronavírus.

A empresa aumentou seu faturamento em 355% no primeiro trimestre de 2020 e lucrou mais de 192 milhões de dólares (quatro vezes mais que em 2019), segundo dados da gestão publicados na Exame. 

Salesforce

Para fechar, a gigante Salesforce é um dos maiores cases de sucesso da história do SaaS.

A empresa ocupa o primeiro lugar no ranking de valor de mercado da categoria, com estimativa de 220,5 bilhões de dólares – a 42ª empresa mais valiosa do mundo. 

Ao todo, são mais de 58 soluções SaaS de vendas online oferecidas para os mais diversos segmentos empresariais.

Invista em tecnologia ao abrir empresa SaaS

Se tem algo que ficou claro neste texto é que você precisa investir em tecnologia para criar um SaaS de sucesso.

Afinal, será preciso desenvolver uma solução do zero e integrá-la a provedores do mercado para construir a melhor experiência do usuário possível.

Você pode contar com a Vindi para fornecer a melhor solução de cobrança recorrente e gestão de assinaturas do mercado.

Com nossa plataforma, você terá um gateway de pagamento com todos os meios que seus clientes querem, ferramentas para controle de inadimplência, um sistema billing completo e muito mais. 

Então, está pronto para criar um SaaS inovador?

Agora é só conversar com nosso time para começar com o sistema de pagamentos certo.