Mais de 200 MIL PESSOAS sabem como vender mais e sempre.

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos você também.

É extremamente desafiador usar dados em qualquer tipo de negócio. Especialmente para empresas que crescem muito. Em SaaS, os desafios não não diferentes.

Existem muitas empresas (inclusive no modelo SaaS) se desafiando a ter uma gestão de dados eficiente. Algumas fazem dentro de casa essa gestão, outras conseguem modularizar integrando soluções ideais.

“Nós acreditamos em Deus, todos os outros devem trazer dados“, William Edwards Deming.

Juntar dados de CRM, ERPs, Billing, Customer Success e Atendimento vira um caos, dependendo da maturidade da empresa. Quero compartilhar uma experiência que estamos vivendo aqui na empresa.

Quem é o dono do dado cliente?

Essa é a primeira pergunta para empresas que querem começar a usar big data ou fazer uma gestão simples de dados. Os dados mais completos do seu cliente está aonde (em qual plataforma). A maioria das empresas sofrem para achar dados de clientes, eles costumam estar fragmentados em plataformas de marketing, financeiro, comercial e de retenção. E pior, não estão integrados. Cada área tem uma visão diferente de cliente.

Como melhoramos aqui?

Identifique qual plataforma irá centralizar todos os dados do cliente. Essa é uma decisão importante e difícil de tomar. Existe uma tendência forte no mundo do conceito Data LakeO conceito, difundido por James Dixon, sugere que você crie um “lago de dados” para usar ele depois, ou seja: será muito inteligente você criar internamente um Data Lake, recebendo dados de todas plataformas que usa para trazer e gerenciar clientes e à partir dele, usar os dados como preferir.

Aqui na Vindi construímos um Data Lake recebendo dados de:

  • Zendesk – Atendimento;
  • Vindi – Billing (sim, a gente obviamente usa a gente mesmo para cobrar);
  • Pipedrive (CRM de vendas);
  • RD Station – Inbound Marketing;
  • Sensedata (Customer Success);
  • Analytics e Ads (em estudo);
  • E estamos estudando outras ferramentas que usamos para colaborar com os dados.

O que a gente quer fazer com isso? Centralizar os dados de toda empresa em uma plataforma proprietária para decidir qual ferramenta usar e ter a autonomia de mudar a solução quando puder (e quiser).

Não vai existir uma solução única para a gestão de todos os dados. Importante ter isso em mente. Acredito que isso será sempre uma utopia. Vai precisar amadurecer bastante os times em termos de cultura de dados dentro da própria empresa. Usar bastante planilhas, testar ERPs, CRMs, provocar o uso de alguns dados, até ter a certeza do que quer fazer com os esses dados e como poderá usar eles a favor do negócio.

Mais importante que a ferramenta é ter cultura de dados. Lembre-se também que estamos com uma nova fase nessa era dos dados, por conta da GDPR.

* Update: Ah, fui provocado pelo Allan Sene (Data Minders) e pelo Vinicius Marino (Reviewr). Eles me lembraram do MetaBase, vale olhar. A gente usa aqui na Vindi.

Artigo publicado originalmente no QUORA.

Author

Fundador e CEO da Vindi, plataforma líder em recorrência e criador do maior evento de empresas SaaS e Assinaturas do país, o “Assinaturas Day”.