As edtechs estão revolucionando o mercado da educação com soluções inovadoras para instituições, alunos e professores.

Estamos falando de startups que têm como missão inovar a experiência de ensino e aprendizagem por meio da tecnologia.

Afinal, o mundo digital tem muito a oferecer em termos de personalização, flexibilidade e engajamento.

Neste artigo, vamos entender o que são as edtechs, como anda esse mercado e quais vantagens essas empresas trazem para a educação.

Continue lendo e fique por dentro dessa tendência.

O que é edtech?

Edtech é uma startup que desenvolve soluções tecnológicas para o mercado de educação com o objetivo de inovar as práticas de ensino e aprendizagem.

A palavra é uma junção de education (educação) e technology (tecnologia).

São empresas da economia criativa que oferecem plataformas LMS (Learning Management System ou Sistema de Gestão de Aprendizagem), soluções de ensino gamificadas, bibliotecas digitais, aplicativos de microlearning, simuladores e muito mais.

Além disso, as edtechs também trabalham com sistemas de gestão pedagógica e softwares pensados para o controle financeiro e administrativo de instituições.

Esses negócios surgiram da necessidade de reinventar o mercado educacional em todos os níveis – ensino básico, graduação, pós-graduação, especialização, educação corporativa, etc.

Com a tecnologia, é possível promover uma aprendizagem mais dinâmica, utilizando recursos como e-learning, gamificação, inteligência artificial, mobile learning, realidade aumentada, entre outras tendências.

Dessa forma, as edtechs vêm revolucionando a forma de ensinar e aprender em cursos, escolas, universidades e empresas, tendo como base a eficiência e flexibilidade que a tecnologia proporciona.

Panorama edtech no Brasil

Segundo o último Mapeamento de Edtechs realizado pela Abstartups, existem cerca de 566 startups desse segmento no Brasil.

Mais da metade dessas empresas oferece uma solução SaaS (Software as a Service ou software como serviço), cobrando assinaturas pelo acesso às plataformas e aplicativos.

Em geral, os produtos oferecidos são plataformas (46,8%), ferramentas (26%) e conteúdos online (12,4%).

E tudo indica que o setor vai muito bem, pois 88% das edtechs não precisaram demitir funcionários durante a pandemia de coronavírus, e os investimentos seguem crescendo.

De acordo com dados da plataforma de inovação Distrito publicados na Exame, as edtechs brasileiras receberam cerca de US$ 22,5 milhões em investimentos em 2021, superando em 770% todo o valor arrecadado no ano anterior.

Além disso, dados da KPMG publicados no Terra mostram que as startups educacionais estão em quarto lugar na lista dos segmentos com mais “Emerging Giants” – startups que se destacam em sua categoria e participam de rodadas de investimentos relevantes.

Logo, esse é um excelente momento para as edtechs no país, que hoje já comercializam suas soluções para instituições públicas e privadas.

Quais as inovações de uma edtech no modelo pedagógico?

O mercado de edtechs propõe uma transformação profunda no modelo pedagógico utilizado nas instituições.

Com a tecnologia, é possível transpor qualquer barreira e chegar a um nível de personalização da aprendizagem que nenhum método tradicional é capaz de proporcionar.

Considerando que cada pessoa tem um ritmo próprio de absorção de conteúdos, as soluções das edtechs conseguem criar ambientes onde o ensino é individualizado e os professores podem acompanhar o desempenho dos alunos de forma mais estratégica.

Além disso, a tecnologia também democratiza o acesso à educação, uma vez que não há mais fronteiras físicas e a linguagem pode ser adaptada a todos.

Por fim, as inovações das edtechs favorecem a ideia de “lifelong learning”, que posiciona a aprendizagem como uma atividade contínua na vida do ser humano, em vez de estar limitada a cursos formais e alguns períodos específicos de formação.

Benefícios do modelo edtech

São muitos os benefícios que as edtechs proporcionam para o mercado da educação.

Confira os principais:

Personalização

Como já mencionamos, a personalização da aprendizagem é um dos grandes méritos das soluções oferecidas pelas edtechs.

Com um sistema de ensino virtual, por exemplo, é possível criar fluxos de conteúdo e jornadas de aprendizagem adaptadas ao ritmo de cada aluno.

Além disso, o estudante tem autonomia para controlar sua produtividade e estudar da maneira que for mais fácil para ele.

Flexibilidade

A tecnologia aplicada à educação também torna o ensino muito mais flexível para alunos e professores.

Para começar, acaba com a dependência de espaços físicos e do modelo tradicional de sala de aula.

Com o e-learning e mobile learning, o aluno pode aprender a qualquer hora e lugar, tendo acesso instantâneo a conteúdos e atividades em um toque no celular.

Além disso, é possível criar programas de ensino mais flexíveis, que respeitam o ritmo de cada aluno.

Engajamento

O engajamento faz toda a diferença para os alunos e é um dos pontos-chave das soluções de edtechs.

Basicamente, a tecnologia tem o poder de motivar os estudantes, tornando o acesso ao conhecimento mais dinâmico e divertido.

Um exemplo é a gamificação, que aplica mecânicas de jogos a conteúdos educacionais, fazendo com que os alunos se engajem em missões e busquem recompensas nas plataformas e aplicativos.

Interatividade

A tecnologia das edtechs também proporciona aulas mais interativas, em que estudantes e professores podem se comunicar ativamente.

Esse ponto vem ganhando força com simuladores de realidade aumentada (RA) e realidade virtual (RV), que misturam o mundo físico com o mundo digital para oferecer conteúdos engajantes.

Um exemplo são os simuladores utilizados em cursos de Medicina e Engenharia, que criam uma experiência única de aplicação prática para os alunos.

Como as edtechs revolucionam modelos de negócio

As edtechs possibilitaram a criação de novos modelos de negócio que combinam soluções educacionais a recursos tecnológicos.

Um exemplo clássico é o SaaS, uma vez que diversas startups utilizam esse modelo para comercializar softwares na nuvem, sem a necessidade de instalação local.

Outro modelo de negócio de sucesso no segmento é o dos cursos online, que vem crescendo continuamente.

Aqui, na Vindi, temos clientes como a plataforma digital de investimentos Empiricus e a escola de negócios Conquer, que oferecem formações 100% online – inclusive aulas ao vivo.

Além disso, a recorrência também tem sido aplicada com sucesso no mercado de edtechs.

Um bom exemplo é o hub de conteúdo em inovação Oxygen, que oferece planos de conteúdo por assinatura que incluem aulas, webinars, masterclasses, encontros e outros materiais sob demanda.

Qual a relação entre a Educação 4.0 e as edtechs?

A Educação 4.0 é um dos pilares das Edtechs no Brasil, porque diz respeito à evolução da tecnologia e aos impactos desse avanço no dia a dia da sociedade.

Basicamente, o conceito está ligado à Quarta Revolução Industrial, onde além de toda a inovação tecnológica, também vemos a necessidade de aprendizado prático, muito além da teoria.

Na Educação 4.0, os padrões engessados do ensino tradicional dão lugar a métodos de aprendizagem altamente envolventes, que convidam os alunos a interagirem durante as aulas, em vez de absorverem o que é dito passivamente.

Além disso, esse novo contexto educacional tem forte presença dos meios digitais e de tendências como metaverso (ambiente virtual imersivo e hiper-realista) e machine learning (aprendizado de máquina).

Como migrar da educação tradicional para edtech

Para migrar da educação tradicional para o modelo edtech, é preciso seguir alguns passos importantes.

Confira:

Entenda a expectativa dos alunos

O primeiro passo para adotar a tecnologia na educação é entender quais são as expectativas e necessidades dos seus alunos.

Afinal, o foco no cliente é parte essencial de qualquer estratégia de digitalização.

O ideal é fazer uma pesquisa para entender quais métodos e ferramentas podem melhorar a experiência de aprendizagem.

Prepare sua estrutura e método

Antes de adotar qualquer solução tecnológica, sua instituição precisa de uma estrutura eficiente e um método flexível.

Alguns pontos que merecem atenção são a estrutura tecnológica necessária, incluindo servidores, banda larga, computadores e dispositivos móveis, e a adaptação do método às ferramentas.

Lembrando que toda metodologia de ensino deve seguir normas e diretrizes do Ministério da Educação (MEC), ainda que seja inovadora.

Escolha a tecnologia certa

De nada adianta adotar uma tecnologia educacional apenas porque é uma tendência.

Para ter sucesso com edtechs, você precisa escolher uma solução que se adeque à realidade da sua instituição e realmente agregue valor à experiência do estudante.

Por exemplo, se a instituição ainda não tem um bom ambiente virtual de aprendizagem (AVA), não faz sentido buscar soluções mais avançadas como apps gamificados e realidade virtual.

Treine os professores

Os professores precisam ser treinados e capacitados para dominar as ferramentas desenvolvidas pelas edtechs.

Dessa forma, saberão aproveitar ao máximo os recursos oferecidos e transmitir as possibilidades aos alunos.

Quais são as principais edtechs do Brasil?

Além das Edtechs que já mencionamos nos tópicos anteriores, algumas empresas estão se destacando nos últimos anos, conforme o crescimento do mercado.

Vamos conhecer esses negócios?

Alura

A Alura surgiu em 2011 como a plataforma online da escola empresarial Caelum, e assumiu esse nome atual em junho de 2013.

Desde então, acumula mais de 1.200 cursos, com lançamentos novos a cada semana, e 500 mil alunos.

O ensino é focado em educação e tecnologia, e tem como diferencial a forte colaboração entre alunos na comunidade da plataforma.

Coursera

No segundo exemplo da nossa lista, temos uma das maiores plataformas de aprendizado do mundo, indo em níveis globais de acessibilidade.

Dessa forma, a plataforma Coursera realiza parcerias com universidades, professores e produtores de conteúdos para pensar em soluções educacionais para os mais diferentes públicos.

Descomplica

A Descomplica também oferece cursos online, mas o foco é para estudantes do ENEM e vestibulandos.

Além disso, eles também oferecem monitoria online, correção de redações e materiais para quem está estudando para concursos públicos.

Em 2019, desbravaram um mercado regulado pelo MEC, com o lançamento de cursos de pós-graduação online. 

Em 2020, expandiram para a graduação online.

Mundo 4D

A missão de levar robótica para crianças é o norteador do Mundo 4D, que propõe inovações tecnológicas para incentivar as profissões do futuro aos pequenos.

Da mesma forma, eles também oferecem materiais complementares e toda a inclusão necessária sobre o tema para que os professores sejam capacitados.

CodeMonkey

A CodeMonkey é outra iniciativa para crianças, mas com foco em programação.

Além disso, o principal curso da plataforma é o CodeAdventure, que propõe uma jornada de desenvolvimento das funções cognitivas  para os pequenos, além de desenvolver o pensamento matemático.

ClassApp

A comunicação entre pais, alunos e instituições de ensino também está mais facilitada com a ClassApp.

Dessa forma, o aplicativo tem como principal objetivo acabar com a burocracia e aproximar a escola dos seus clientes.

Desafios das edtechs

As edtechs, apesar de representarem uma revolução na educação, enfrentam vários desafios no mercado atual.

O primeiro deles é a resistência de alguns professores e alunos à adoção de novas ferramentas digitais.

Isso acontece porque ainda há receio de que a tecnologia acabe com as experiências presenciais em sala de aula.

Mas, na realidade, o ensino híbrido é uma tendência que se encaixa perfeitamente na realidade das aulas presenciais, e as ferramentas digitais estão cada vez mais interativas.

Outro desafio é a própria burocracia enfrentada pelas empresas para mudar seus métodos de ensino, considerando as diretrizes estabelecidas pelo governo.

Por fim, a infraestrutura tecnológica adequada também é um obstáculo a ser superado por muitas instituições que ainda se baseiam em modelos físicos.

Recorrência no segmento edtech

A recorrência vem crescendo no segmento edtech por oferecer vantagens como previsibilidade de receita e maior fidelização de clientes.

Com o formato de planos e assinaturas, as empresas conseguem combater a inadimplência, automatizar seu processo de cobrança e diversificar seus meios de pagamento.

E é claro que a plataforma da Vindi é a solução mais completa para alcançar esses benefícios.

Somos pioneiros em oferecer um gateway de pagamento independente combinado a recursos como gestão de assinaturas, régua de cobrança, recuperação de inadimplência e controle financeiro – tudo em uma única plataforma online.

Então, se você quer as vantagens da recorrência na sua edtech, já sabe qual sistema utilizar para uma cobrança eficiente.

Aproveite e baixe agora nosso Kit da Recorrência, que tem tudo o que você precisa para adotar esse modelo.

Edtech: você sabe o que é vender de maneira recorrente?

[avg] ([per]) [total] vote[s]

Write A Comment

[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]
[data-image-id='gourmet_bg']
[data-image-id='gourmet_bg']
[data-image-id='gourmet']
[data-image-id='gourmet']