A Black Friday 2021 está chegando e, com ela, muitas oportunidades para seu negócio lucrar mais – e, para o cliente, de comprar a preços imbatíveis.

Nunca é demais lembrar que, com o passar dos anos, a desconfiança do público sobre a campanha vem diminuindo.

Hoje em dia, apenas 16% dos brasileiros não acreditam no que dizem as marcas que aderem ao período promocional, como revela uma pesquisa do Instituto Ipsos.

Mas o aumento da credibilidade é só um dos motivos que você tem para não deixar passar essa grande oportunidade para vender mais.

Afinal, a Black Friday é uma liquidação e, como tal, é extremamente importante se preparar para atender à demanda, tanto na parte estratégica quanto na logística.

É isso que você vai saber como começar a fazer neste conteúdo a partir dos seguintes tópicos:

Fique por aqui e saiba como não errar a mão na hora de conceder descontos para seus clientes!

O que é a Black Friday?

O termo Black Friday tem origem nos Estados Unidos e refere-se à sexta-feira seguinte à última quinta-feira do mês de novembro, o Dia de Ação de Graças.

Para o comércio, a data simboliza a última chance de liquidar os estoques antes do início do período mais aguardado do ano, o das festas natalinas.

Sendo assim, a Black Friday é a chance de unir o útil ao agradável, ou seja, fazer a necessária queima de estoque visando ao Natal, enquanto aproveita para potencializar as vendas.

Quando acontece a Black Friday 2021?

Anote na sua agenda ou grave no seu celular: a Black Friday 2021 está prevista para acontecer no dia 26 de novembro.

Portanto, você ainda tem algumas semanas para preparar o seu negócio para arrasar nesse dia, de maneira que consiga não só liquidar seu estoque como conquistar novos clientes.

Vale ficar atento para não desperdiçar essa oportunidade única de faturar mais, ganhar notoriedade e fidelizar o consumidor.

Se você está lendo este texto muito perto da data final da Black Friday, confira aqui 7 dicas para quem deixou para a última hora.

A propósito, vale também prestar atenção às tendências que, em 2021, deverão pautar as decisões das pessoas na hora da compra.

Conheça a seguir algumas delas.

Tendências aguardadas para a Black Friday em 2021

Com o varejo físico cada vez mais conectado ao online, as empresas têm buscado dados para saber como explorar melhor o fervor da Black Friday.

Uma dessas fontes é a pesquisa feita pela Méliuz, em que são apontadas as tendências de consumo para 2021, entre outras informações estratégicas.

Cabe destacar, por exemplo, que 74% das pessoas entrevistadas revelaram o desejo de pagar por suas compras com cartão de crédito de forma parcelada.

Não menos importante, o levantamento aponta para os produtos que deverão estar em alta nesse ano.

Confira abaixo:

  • Eletrodomésticos e eletroportáteis: 46%
  • Acessórios e calçados: 31,7%
  • Eletrônicos e informática: 31,7%
  • Móveis e decoração: 26,6%
  • Smartphones: 24,4%
  • Roupas: 24,2%
  • Perfumes e cosméticos: 15,4%
  • Alimentos e bebidas: 15,4%
  • Livros: 14,2%
  • Viagens: 10,6%
  • Artigos esportivos: 9,1%
  • Relógios e jóias: 8,5%
  • Jogos e consoles: 8,3%
  • Produtos pet: 6,9%
  • Assinatura de serviços: 4,5%.

Como empresas podem se preparar para a Black Friday

Para a próxima Black Friday, há uma série de boas possibilidades para empresas que trabalham no segmento de receitas recorrentes.

Como vimos, a maioria das pessoas pretende pagar de forma parcelada com o cartão de crédito.

Embora isso signifique mais receitas recorrentes, traz consigo o risco da inadimplência.

Logo, é preciso estar pronto não só para vender, mas também para cobrar e evitar atrasos nos pagamentos.

Uma maneira de fazer isso é investir em automação, e a Vindi oferece uma plataforma completa para você gerir suas receitas e cobrar pelas suas vendas

Como fazer promoção e planejar descontos?

Repare, ainda, que a pesquisa da Méliuz aponta como uma das tendências de consumo para a BF 2021 a assinatura de serviços.

Então, sua empresa precisa estar preparada para aparecer com destaque e vender mais planos, não é mesmo?

A maneira mais simples de alcançar esse objetivo é oferecer o bom e velho desconto para quem aderir na data promocional.

Para isso, não deixe de calcular o impacto que esses descontos terão no seu fluxo de caixa, considerando a redução na margem de lucro.

Embora pareça arriscado, compensa vender mais barato porque preços mais baixos podem reduzir a inadimplência enquanto ajudam a aumentar a carteira de clientes.

Isso vale não só para quem vende assinaturas, como para o varejo físico e virtual.

Ouça o Podcast Dentro do Ringue sobre o tema:

Como se preparar para o alto fluxo de vendas?

Claro que não são só as empresas que trabalham no segmento da recorrência que precisam ficar atentas para aproveitar a BF.

O varejo, no caso, é certamente o setor que mais demanda cuidados, já que existem uma série de aspectos estratégicos e operacionais para tratar antes do grande dia.

O próprio aumento no fluxo de clientes, tanto nas lojas físicas quanto virtuais, merece uma atenção especial.

No varejo físico, é preciso tomar medidas no sentido de deixar a loja pronta para receber um fluxo maior de pessoas.

Para isso, vale apostar em uma estratégia de visual merchandising que garanta a exibição dos produtos em promoção e o espaço de circulação para as pessoas.

Para as lojas virtuais, a atenção deve recair sobre as plataformas de e-commerce, que deverão suportar tráfego mais intenso.

Nesse caso, o cliente Vindi fica ainda mais tranquilo, pois sabe que conta com um gateway de pagamento com alta capacidade para suportar os mais altos volumes de tráfego.

Entenda como se planejar estrategicamente para o evento:

Aproveite também para conhecer o curso de planejamento estratégico da Universidade Yapay.

10 dicas de gestão para se preparar para a Black Friday 2021

Como vimos até aqui, gestão é a palavra de ordem para quem está de olho na Black Friday 2021.

Significa que, além de preparar as ações de marketing e vendas, é preciso também avaliar os aspectos gerenciais do negócio para que nada dê errado.

Digamos, por exemplo, que em certa empresa o controle do fluxo de caixa está deixando a desejar.

Nesse caso, como saber se o saldo sobre a Black Friday é positivo, entre outros indicadores como ticket médio e margem de contribuição?

Não se pode esperar sucesso, não só na BF como ao longo do ano, quando o negócio não tem controle sobre suas próprias atividades.

Por isso, destacamos na sequência 10 maneiras de melhorar nesse aspecto para aumentar suas chances de sucesso e, de quebra, minimizar riscos.

Confira!

1. Faça o controle do estoque (se tiver)

Para empresas varejistas, o estoque é como se fosse o pulmão do negócio.

Ou seja, é por ele que seus pontos de venda “respiram” de forma que continuem a manter suas gôndolas e prateleiras abastecidas com produtos.

Um estoque desequilibrado é uma verdadeira bomba relógio, com elevado potencial para causar sérios danos para as operações e para as finanças.

Assim sendo, é fundamental investir em meios e ferramentas para gerir esse setor essencial.

Um sistema ERP pode ser a melhor solução, já que ele integra o estoque aos setores de compras e vendas.

2. Tenha uma infraestrutura virtual

Se até mesmo grandes plataformas como a Amazon estão sujeitas a problemas com servidores, é sinal que ninguém está imune a esse tipo de contratempo.

Considerando o risco sempre presente de haver quedas em razão do número mais alto de acessos, todo cuidado é pouco para que o seu site não saia do ar na Black Friday.

Em certos casos, pode compensar contratar um plano de hospedagem um pouco mais caro, mas que ofereça suporte mais completo ou espaço de armazenamento maior.

Lembre-se de que o consumidor de hoje é exigente nos mínimos detalhes e não perdoa marcas que não contam com estrutura capaz de oferecer uma boa experiência de compra.

3. Esteja atento à segurança online

Outro aspecto que não pode ser deixado de lado é o da segurança online.

Só no ano de 2021, a quantidade de ciberataques no Brasil aumentou em 23%, de acordo com a Kaspersky, perfazendo 1,4 mil ataques por minuto.

Portanto, investir em segurança é evitar problemas muito maiores, considerando os diversos riscos e ameaças que invasões podem causar.

Até porque o que está em jogo é não apenas a segurança da sua loja mas, acima de tudo, a dos seus clientes e seus dados de pagamento.

Por isso, vale apostar em recursos que protejam o seu e-commerce de ações maliciosas, com destaque para o certificado SSL e selos como o Site Blindado.

Saiba mais sobre segurança na Black Friday:

4. Cuide da parte financeira

A Black Friday gera oportunidades de aumentar as receitas, o que implica investir na proporção adequada e de forma estratégica.

Não se pode esperar aumento nas vendas quando a empresa não dispõe de mecanismos de controle financeiro confiáveis.

Um deles é o da própria inadimplência, considerada pela maioria dos empresários brasileiros como o maior desafio para manter um negócio.

Faz todo sentido, já que uma empresa que deixa de receber pelo que vendeu é uma empresa com alto potencial de se tornar insolvente.

Com a Vindi, você consegue minimizar as taxas de inadimplência em seu negócio por meio de uma plataforma desenvolvida para você fazer cobranças mais precisas e assertivas. 

5. Organize as operações logísticas

Talvez um dos maiores desafios para quem trabalha com e-commerce seja garantir a entrega de produtos no prazo.

Rodovias em mau estado, pedágios caros, roubos e furtos são alguns dos problemas enfrentados por quem precisa entregar mercadorias em território nacional.

São motivos mais do que suficientes para organizar as operações logísticas e assegurar que seus clientes recebam aquilo pelo que pagaram.

Embora seja válido contar com uma infraestrutura própria, vale considerar seriamente a terceirização das entregas.

Assim, você repassa para especialistas a responsabilidade por esse importante setor.

Fica também mais tranquilo por saber que essas empresas trabalham com seguros contra os mais diversos tipos de sinistros.

Saiba mais sobre logística no vídeo abaixo: 

6. Marketing e vendas não é a mesma coisa

Uma falha comum na gestão de empresas, tanto no varejo como entre as que trabalham na recorrência, é não separar o marketing das vendas.

Esse é o primeiro passo para falhar na parte comercial, já que cada um tem papéis bastante distintos nos processos relacionados a essa área.

Resumidamente, cabe ao marketing (inclusive o digital) cuidar para que o setor de vendas tenha oportunidades para fechar negócio.

Portanto, se na sua empresa essa divisão de tarefas ainda não existe, aproveite enquanto dá tempo e organize-as para aproveitar melhor a BF 2021.

Saiba como aumentar suas vendas na Black Friday: 

7. Registre tudo o que fizer

Perceba que tudo do que estamos falando até aqui não se restringe ao dia 26 de novembro.

A BF é uma data anual, então, boa parte das medidas e estratégias que você adotar nesse ano poderão ser replicadas e melhoradas nos próximos.

Por outro lado, o que serve em um dia pode não servir em outro, ainda que possa ser usado como referência.

Uma maneira de reaproveitar seus esforços é cuidar para que tudo seja registrado.

Afinal, dados são o novo petróleo, como destacou o CEO da Mastercard, Ajay Banga.

Então, quanto antes você cuidar desse “tesouro”, melhores serão os seus resultados no longo prazo e nas próximas promoções que vier a realizar.

8. Integre sistemas

Sistemas ERP servem não só para integrar estoques com outros setores.

Na verdade, essa é uma solução bastante abrangente, considerando que praticamente todo e qualquer sistema pode ser integrado dessa forma.

Embora não seja um ERP propriamente, a plataforma Vindi é um bom exemplo de integração.

Nela, você conta com gateway de pagamento, gestão de billing, de cobrança, multi adquirência e muitas outras funções em um só ambiente.

É uma maneira de você integrar seus sistemas, melhorar a performance comercial e a sua capacidade de responder aos desafios diários de gestão.

9. Antecipe-se à inadimplência

A propósito, um desses desafios, como também já vimos, é o controle da inadimplência.

Esse é um problema crônico no Brasil, ainda mais agravado no último ano em razão da pandemia de coronavírus.

Prova disso é que, no mês de julho, o endividamento familiar bateu novo recorde, atingindo 71,4% das famílias.

É um risco muito grande para negócios que operam no varejo e, principalmente, para os que trabalham no modelo de recorrência.

A Vindi também é a sua parceria para evitar a inadimplência. 

Com as nossas soluções, você desenvolve rotinas de cobrança automatizadas, evitando assim que um cliente deixe de pagar dentro dos prazos contratados.

10. Tenha ferramentas de cobrança

Já vai longe os tempos românticos em que um devedor era cobrado por um agente mau humorado batendo na porta da sua casa.

Com o avanço da tecnologia e dos meios digitais, é possível hoje cobrar sem precisar sequer encostar em um telefone ou ter que ir aos Correios.

Novamente, vale destacar as soluções que a Vindi oferece para fazer cobranças automáticas, em que os principais recursos são o envio programado de emails e SMS.

Como aumentar seu ticket médio na Black Friday?

A Black Friday é a data perfeita para vender mais e isso pode ser feito de várias formas.

Uma delas é tomar medidas para aumentar o ticket médio, ou seja, elevar o quanto cada pessoa gasta a cada vez que faz compras com você.

Algumas delas são:

  • Upsell: você oferece produtos mais top de linha, baseando-se nos gostos do cliente e no poder aquisitivo deles
  • Cross-sell: quando a loja faz ofertas de itens que sejam complementares aos que o cliente está comprando (exemplo: oferecer chuteiras para os que compram bolas de futebol ou vice-versa)
  • Descontos: o famoso “leve 3, pague 2″ continua valendo como mecanismo para aumentar o TM.

6 ferramentas para vender mais na Black Friday

Além das ações promocionais e de cuidar da gestão, você precisa também contar com ferramentas que permitam a sua marca se comunicar melhor, entre outras funções. 

Conheça então seis que podem ajudar no período promocional e ao longo do ano.

1. Chat online

Segundo a Invesp, o chat online é, para 73% dos consumidores, a melhor forma de se comunicar com as empresas.

Para quem vende online, um chat ao vivo é a forma mais rápida e segura de se fazer contato com o cliente.

Além disso, com chatbots, outra modalidade desse tipo de atendimento, você ganha a capacidade de atender 24 horas por dia.

2. Canais omnichannel

A integração de sistemas também deve se estender ao marketing na forma de canais omnichannel totalmente integrados na parte do atendimento.

Isso significa que quem atender na sua loja física precisará ter acesso ao histórico completo de relacionamento com um cliente que já tenha comprado online, e sua equipe de marketing e vendas online também deverá ter acesso aos dados do atendimento presencial.

3. Plataforma de pagamento

O sucesso nas vendas na BF depende muito da solução que você escolher para gerir os pagamentos.

Para isso, o melhor é contar com uma plataforma que seja ao mesmo tempo um gateway com multiadquirência para você não perder nenhuma oportunidade de venda.

Dica: a Vindi tem essas e muitas outras funções para você vender mais e melhor.

4. Sistemas antifraude

Tendo em vista a ameaça crescente de ciberataques no Brasil, quanto mais protegidas estiverem as transações eletrônicas de um e-commerce, melhor.

Como vimos, essa proteção pode vir de certificados SSL e de selos que comprovam a blindagem de um site.

Outra forma de se proteger é investir em sistemas antifraude, que protegem o cliente na hora da compra por meio de mecanismos de detecção de comportamentos suspeitos.

5. CRM

Vender é se relacionar, ainda mais no competitivo segmento da recorrência.

O relacionamento com o cliente é tão importante que existe até uma vertente do marketing dedicada apenas a entender como ele impacta nas vendas.

Nesse caso, uma ferramenta indispensável para gerir a relação com o consumidor é o chamado Customer Relationship Management (CRM).

Basicamente, o que ele faz é reter todas as informações críticas com origem nos contatos entre você e o seu cliente, ajudando assim a entender melhor o seu comportamento.

6. Apps de mensagens 

Vale apostar também nos aplicativos de troca de mensagens instantâneas para agilizar ainda mais o atendimento.

O WhatsApp Business é, sem dúvida, o mais completo, mas existem outras soluções tão eficazes quanto ele, como o próprio Facebook Messenger.

Além disso, saiba como usar as redes sociais para vender mais neste curso completo da Universidade Yapay.

Golpes na Black Friday: como proteger sua empresa?

A variedade de golpes e tentativas de burlar sistemas de segurança, principalmente os de pagamentos, não deixa espaço para relaxar.

Entre os mais recorrentes, destacam-se o uso de cartões clonados e a adulteração das maquininhas de pagamento (POS) em pontos de venda.

Para proteger sua empresa da ação de fraudadores, aposte em iniciativas como:

  • Auditorias
  • Gestão de riscos
  • Monitoramento de processos
  • Identificação e correção de pontos fracos
  • Treinamentos para funcionários
  • Estreitar os laços com os seus empregados, fornecedores e clientes
  • Implementar um setor de compliance

Saiba mais sobre como se proteger de fraudes:

Grandes datas do último trimestre: Black Friday, Cyber Monday e Natal

A Black Friday também é uma espécie de “aquecimento” para outras datas muito importantes para o comércio.

A Cyber Monday, por exemplo, acontece na segunda-feira após a Black Friday, e nela o foco são as ações de venda online.

Isso sem contar a proximidade da data mais aquecida para o varejo, o Natal, em que o fluxo de clientes online e nas lojas físicas aumenta exponencialmente.

Aliás, a expectativa para esse ano é otimista, considerando que as projeções apontam para aumento nas vendas em 3,8% nessa época do ano.

E o pós-Black Friday?

Você se preparou com antecedência, organizou a empresa, melhorou o site e os canais de relacionamento com os clientes, preparou promoções arrasadoras e colheu os frutos no dia.

Mas e depois, o que fazer após a Black Friday?

Pensar no antes e no depois de uma grande ação é parte primordial de qualquer negócio.

Por isso, a Head de Professional Services da Vindi, Júnia Lino, separou algumas dicas.

Qual o “soft descriptor” da sua empresa?

Há um detalhe que nem toda empresa se dá conta: a forma como a marca aparece na fatura do cartão do cliente depois de uma compra.

Todo mundo que usa cartão de crédito já deparou alguma vez com uma compra que não reconheceu de primeira porque o nome na fatura era completamente estranho – e 20, 30 dias depois já estava difícil de lembrar.

O nome técnico para essa identificação da marca no documento é “soft descriptor”.

Essa configuração traz um diferencial pois ajuda a diminuir o chargeback, principalmente em um momento de grandes promoções em que as pessoas estão imersas em compras e expostas a fraudes.

Por isso, vale escolher bem o seu hub de pagamentos, levando em conta funcionalidades importantes como essa.

Comunicação com o cliente

A comunicação com o cliente no pós-venda é outro fator impactante para o futuro da marca.

Ter notificações em diversas frentes (como e-mail, SMS, WhatsApp…) com informações sobre o pedido realizado é uma forma de engajamento eficiente.

Mesmo em compras pontuais, essa linha de comunicação aberta com o cliente pode deixá-lo propenso a realizar uma próxima compra em sua empresa.

Retentativa automática de cobrança

Não é incomum algum cliente tentar fazer uma compra e, por algum motivo, a operadora do cartão rejeitar a transação.

A retentativa de cobrança, seja em compras pontuais ou recorrentes, agrega inteligência ao processo, gerando eficiência e diminuindo perdas significativas entre 5% e 15%.

Isso gera muito valor e retorno sobre o investimento, e não é apenas para o momento da compra, mas também para a renovação dela, se for o caso.

Como manter o pagamento dos clientes em dia

Um estudo sobre inadimplência do Serasa apontou que 17% dos inadimplentes estão nessa situação por causa de descontrole financeiro, e 7% porque esquecem de pagar as contas.

Esse é mais um motivo para as empresas se prepararem para o pós-Black Friday.

Agora que você já conquistou esse cliente com as promoções da data, a preocupação deve ser “como manter o pagamento deles em dia?”.

Para isso, existem ferramentas que auxiliam a receber e cobrar de forma automatizada, sem que você tenha que passar por situações muitas vezes constrangedoras.

Com a plataforma de pagamento da Vindi, por exemplo, você conecta ao hub de pagamento e usa a retentativa de cobrança e automatização de e-mails e SMS para lembrar o seu cliente de pagar a conta.

Além de reduzir custos, você ainda economiza com boletos, pagando uma única taxa por emissão e manutenção, e consegue melhores negociações de taxa com as operadoras de cartão.

Veja mais dicas para usar na no pós-evento: 


8 ferramentas da Vindi que você precisa conhecer nesta Black Friday

Já que estamos falando de ferramentas, a Vindi tem um pool de soluções completas para o seu negócio vender de forma sustentável.

  • Gateway de pagamento mais robusto do país
  • Multi adquirência e bandeiras
  • Régua de cobrança
  • Renova Vindi
  • Retentativa Simples
  • Página de Pagamento
  • API amigável e de fácil integração
  • Relatórios em tempo real.

A Black Friday 2021 está quase chegando e agora você tem a informação que precisa para se dar bem nessa data tão esperada.

Seja qual for o seu negócio, conte sempre com a Vindi para ajudar você a ter o melhor desempenho em suas rotinas comerciais.

Rate this post