Dropshipping é um método muito utilizado no e-commerce, e alguns especialistas até defendem ser o grande segredo de sucesso dos grandes players do segmento.

No entanto, será que Amazon, Ebay e Mercado Livre são empresas que têm apenas isso em comum? O que faz deles tão relevantes do mercado?

Se você ainda não sabe o que é dropshipping ou já sabe, mas não sabe como trabalhar com este método, daremos dicas essenciais neste artigo!

O que é Dropshipping?

A raiz da palavra dropshipping tem dois significados: drop, que na tradução é largar e shipping, que significa remessa. 

Basicamente, uma empresa que usa o dropshipping está deixando que outra empresa cuide de parte do estoque de produtos ou dele por completo. Ainda assim, aquela loja virtual é responsável pela venda das remessas, mas os fornecedores é que enviam ao cliente.

Além disso, os lucros também são divididos entre todas as partes. No caso, a empresa que faz a venda daquele estoque de produtos fica com a diferença entre o preço cobrado para o usuário e o valor cobrado pelo parceiro.

Dessa forma, todo mundo sai ganhando. Este método traz mais eficiência para a entrega dos produtos, já que é o fornecedor quem se preocupa com esse ponto. 

O cliente recebe mais rápido, a loja fica mais conhecida e o fornecedor continua movimentando seu estoque e produzindo com frequência. Parece bem fácil, não é mesmo?

No entanto, é preciso entender exatamente como essa “parceria” pode funcionar com sustentabilidade e relacionamento de longo prazo. Foi aí que empresas como a Amazon conseguiram destaque.

E é sobre isso que falaremos nos tópicos seguintes!

Como funciona o Dropshipping?

No dropshipping, o cliente acessa o site de uma empresa, escolhe os produtos e realiza a compra por lá. Assim que o pagamento é confirmado, o pedido é transferido para um dos fornecedores parceiros que, no caso, tem em mãos o estoque dos produtos comprados por aquele cliente.

Dessa forma, o fornecedor parceiro faz a separação e embala os produtos que serão enviados por uma transportadora ou pelos Correios. Assim que o cliente receber seu pedido em mãos, pode avaliar a compra no site que teve contato. 

dropshipping para e-commerce
Reprodução: E-commerce Brasil

Para os clientes, todo esse processo não é mostrado e, muitas vezes, ele nem tem contato com o fornecedor do produto. 

Em outros exemplos, como os que citamos neste texto, é possível saber que o site em si faz a intermediação entre quem tem acesso ao produto e quem quer comprá-lo. 

Essa política de transparência é fundamental para que o cliente sinta confiança no serviço. Além disso, é necessário construir uma boa reputação de marca para que os clientes vejam valor naquele site e que fornecedores se sintam seguros em vender por lá.

Agora que você já entendeu como funciona, em linhas gerais, o fluxo de dropshipping, vamos conhecer as maiores vantagens e desvantagens desta opção para o seu negócio?

Quais as vantagens e desvantagens do Dropshipping?

Por causa do comércio eletrônico no Brasil, o termo dropshipping está muito mais popularizado, mas este método já é usado há anos pela indústria de radiodifusão. 

Basta pensar nas estações de rádio e nos pacotes de televisão à cabo para ter uma ideia de que essa não é uma estratégia tão nova nova no mercado. 

Você podia comprar canais pelo telefone ou ligar para uma central dizendo que queria um produto anunciado na rádio, e foi essa “publicidade” a responsável por boa parte da fonte de receita de anunciantes na grade de programação.

Além disso, nos EUA e na China, grandes exemplos do mercado também usam o sistema de logística até hoje. Já falamos da Amazon, mas também podemos citar o grupo Alibaba com a empresa Aliexpress, o maior do mundo na categoria.

No entanto, existem vantagens e desvantagens para quem está nas duas pontas de negociação, e elas precisam ser avaliadas por quem decidiu aplicar dropshipping no negócio.

Maiores vantagens 

  • Facilidade para começar um negócio online: usando este método, você não precisa de tanto capital investido para começar o seu negócio. Dar os primeiros passos é possível, mesmo que você não tenha muito dinheiro na largada.
  • Flexibilidade geográfica: o seu potencial de alcance é potencializado nacionalmente e até mesmo internacionalmente usando dropshipping, sendo que antes você estava limitado a vender apenas na sua região. Se alguém quiser comprar um produto do seu site e estiver em Roraima, um fornecedor de Roraima pode atendê-lo. Da mesma forma, se você vender produtos em Roraima, não precisa desenvolver um site para movimentar o estoque da sua marca.
  • Versatilidade de produtos: com vários fornecedores, você consegue atender às necessidades de diferentes clientes e oferecer um leque muito maior de opções de produtos dentro do site.
  • Possibilidade de vender para diferentes públicos: assim como a versatilidade de produtos, também temos a versatilidade das personas que você consegue atender e o aumento do seu Perfil Ideal de Cliente (ICP).
  • Economia no gerenciamento: se você é fornecedor, não precisa se preocupar com a gestão de uma loja virtual e com as vendas efetivas. Da mesma forma, se você tem uma loja virtual, não precisa se preocupar com gerenciamento de estoque e logística de entrega. O trabalho é muito mais dividido entre as partes do negócio, cada um com a sua especialidade.

Maiores desvantagens

  • Controle de gestão entre fornecedores: com vários fornecedores, é realmente um desafio controlar essa integração e suporte, principalmente quando o negócio começar a expandir. Uma boa prática para resolver esta questão é abrir chats de conversas entre fornecedores e clientes, como faz o Mercado Livre.
  • Redução das margens de lucro para ambas as partes: com o trabalho dividido, o lucro também é dividido, o que significa que seu crescimento em faturamento provavelmente será menor também, principalmente no início. Ter reservas e outras estratégias de aquisição, neste cenário, é fundamental.
  • Dificuldade de rastrear pedidos a caminho de entrega: se você está na ponta da venda, provavelmente terá dificuldades em mapear as entregas feitas, principalmente porque algumas transportadoras não oferecem este serviço de acompanhamento. Isso pode trazer diversas inseguranças ao consumidor e fazer com que você tenha mais dificuldades em vender outras vezes para o mesmo cliente. Se os fornecedores fizerem envios pelos Correios, é fundamental enviar o código de rastreio para consulta.
  • Integrações tecnológicas a longo prazo: a expansão e o crescimento do seu negócio vai depender diretamente da robustez e das integrações das plataformas e-commerce e de gestão de recebíveis. Ter parceiros especialistas nessas duas áreas desde o começo pode te ajudar a ter menos dor de cabeça no futuro.

Leia também: Omnichannel no e-commerce

Aproveite o nosso kit de conteúdo e veja como o modelo recorrente é ideal para o seu site de assinaturas! Banner que oferta um kit de conteúdo sobre recorrência para sites de assinatura.

Quais são as diferenças entre Dropshipping e revenda?

Uma dúvida muito comum que pode aparecer na definição de dropshipping é quem é o fornecedor na história, já que as grandes redes varejistas trabalham de forma parecida na revenda.

No entanto, existem distinções conceituais básicas, e que podem ser analisadas no fluxo que mostramos nos tópicos anteriores.

Dessa forma, no caso de uma empresa de varejo, por exemplo, que não tem fabricação própria e quer trabalhar como fornecedor, pode acontecer que o fluxo se inverta um pouco:

  • Empreendedora trabalha com roupas femininas, mas compra as roupas no Aliexpress;
  • Essa mesma empreendedora quer ser fornecedora do Mercado Livre e vender as roupas que comprou;
  • Então, a Aliexpress acaba atuando como uma fornecedora para a empreendedora (na verdade, revendedora), da mesma forma que ela é para o Mercado Livre.

Esse fluxo é um fluxo de revenda, e não de dropshipping. No caso, independente de qual o canal de confecção daquele produto, ele passa a ser de quem o comprou. 

Dessa forma, sempre que o estoque estiver em mãos de alguém, esse alguém é o fornecedor de estoque.

É muito importante que não exista essa confusão com a revenda de produtos, que é muito comum no comércio!

Como trabalhar com Dropshipping?

Se você chegou até aqui e acredita que as vantagens são mais relevantes para a sua empresa do que as desvantagens, é hora de aplicar o dropshipping agora mesmo!

Para que você seja mais efetivo, guarde essas dicas e coloque em prática, porque com certeza elas farão toda a diferença!

1. Escolha fornecedores de confiança

Evitar fraudes e fornecedores que agem com má fé no seu negócio é um dos maiores desafios para quem usa essa modalidade.

Por isso, faça uma triagem cuidadosa, verifique a reputação daquela loja e tenha uma política clara em casos de quebra de confiança.

É essencial que você se certifique que aquele fornecedor realmente tem aquele estoque para oferecer antes de divulgar na sua loja.

Por outro lado, fornecedores precisam ficar atentos às informações que são divulgadas pelo site, com o tempo de entrega prometido e se a “vitrine” dele é de qualidade. Além disso, repasses periódicos também precisam ser feitos com muita transparência.

2. Ofereça aos clientes só o que pode ser entregue

Se o estoque daquele produto acabou, o anúncio precisa ser pausado e aquela fornecedor só deve vender quando a reposição for feita.

Dessa forma, certifique-se que o controle de estoque do seu fornecedor está sendo bem gerenciado, já que o que está aparecendo efetivamente, é a marca da sua empresa. 

3. Acompanhe a entrega 

Como já dissemos nos tópicos anteriores, o acompanhamento da entrega transmite confiança e segurança para os clientes, mas também é fundamental que a loja tenha o mínimo de visibilidade.

Dessa forma, ter como rastrear e entregar com esse tipo de visibilidade com certeza será um diferencial, além de enviar e-mails ou SMS com o acompanhamento do pedido ao cliente.

4. Foque em comunicação e relacionamento 

Da mesma forma que você precisa se comunicar com seus clientes e ter foco total em retenção e recompra, seus fornecedores também precisam criar um relacionamento com a sua empresa.

Por outro lado, se você está na ponta de quem fornece aquele estoque, também precisa se certificar que está sempre alinhando expectativas e sendo transparente com a loja que abriu as portas para a sua marca.

5. Lembre-se que a devolução de mercadoria é uma possibilidade

A devolução de mercadoria é uma realidade no e-commerce brasileiro, e dificilmente uma empresa que vende online será imune a ela.

Portanto, tenha uma política clara, agilizada e que priorize o cliente. Aqui no Blog da Vindi, explicamos como neste artigo aqui.

Quais os principais exemplos de Dropshipping? 

Existem muitos exemplos no mercado de lojas e marketplaces que utilizam a estratégia de dropshipping para escalar seu negócio.

Além disso, também existem muitos fornecedores que lucram muito e conseguem crescer estando nesses grandes players.

Por isso, separamos sete exemplos, três internacionais e quatro nacionais, para que você consiga se inspirar e usar como benchmark!

Amazon

A Amazon é um dos grandes destaques da década, principalmente nos EUA, e conhecido por clientes que dizem encontrar tudo por lá.

Fundada em 1994, a loja começou a crescer e a incomodar muito rápido, e aposta inclusive na recorrência para complementar a receita da companhia.

Ebay 

A empresa Ebay foi inaugurada no mercado um ano depois da Amazon, em 1995. Naquela época, a ideia era a de fazer leilões de produtos pela internet. 

Hoje, milhões de usuários fazem compras no site todos os dias, que se tornou mais uma grande referência no mercado.

Alibaba 

O grupo Alibaba, que tem a empresa Aliexpress no leque de serviços, se intitula como a maior plataforma de negócios B2B do mundo, conectando fornecedores a clientes.

Fundado em 1999, hoje são os líderes do mercado mundial, ultrapassando as fronteiras do comércio chinês.

Mercado Livre 

Nosso primeiro exemplo brasileiro é uma grande referência quando o assunto é interatividade no dropshipping e conexão entre fornecedores e clientes.

Assim como os grandes players internacionais, é possível encontrar de tudo no Mercado Livre

Além disso, grandes marcas do mercado, em diferentes segmentos e categorias, também abriram lojas lá, como é o caso da Pampers, marca da P&G.

Lojas Americanas 

O marketplace das Lojas Americanas reflete toda a variedade que a companhia sempre imprimiu nas lojas físicas. 

Hoje, é possível utilizar a grande vitrine da loja para vender produtos de todos os tipos e categorias.

Elo7 

A rede conhecida por abraçar pequenos empreendedores do nicho de artesanato e de trabalhos manuais é outro exemplo que não para de crescer.

Com a Elo7, é possível vender, expor, conversar com clientes e recolher feedbacks importantes para o trabalho através de uma plataforma bastante intuitiva.

Magazine Luiza

Se enganou quem achava que a rede Magazine Luiza entraria somente na concorrência de lojas de móveis e eletrodomésticos.

No marketplace da Magalu, é possível comprar qualquer coisa, e também vender seus produtos pelo aplicativo ou desktop.

Agora que você já sabe tudo sobre o que é Dropshipping e como aplicar, clique no banner abaixo e assine a newsletter do blog da Vindi para não perder nenhuma novidade do mercado!banner do texto de ICP

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos você também.