E-commerce: o que você precisa saber sobre comércio eletrônico

Diversos mercados foram negativamente impactados pela recessão, mas o e-commerce vem se destacando. O setor começou o primeiro trimestre de 2016 com ótimos resultados, faturou alto em 2015 e ainda prevê aumento de 18% na receita este ano na comparação com o ano passado. Os números apontam para um crescimento exponencial que gera, além de faturamento, oportunidades. Veja o que você precisa saber sobre esse mercado:

No primeiro trimestre de 2016, os números do setor de e-commerce apresentaram um faturamento de 9,75 bilhões de reais. Até o final do ano, a expectativa é que o comércio eletrônico fature 56,8 bilhões, de acordo com a ABComm.

Esses números são resultado da migração do canal de compra do consumidor. E, claro, dos benefícios que as compras online oferecem. Para acompanhar essas mudanças, cada vez mais empresas têm apostado no comércio eletrônico. Por isso, preparamos esse conteúdo para você saber um pouco mais do segmento:

Como começar as operações

Uma dica importante para quem quer empreender é:

Aposte em um mercado que você conhece!

Isso porque quando você investe em um negócio que você já possui experiência fica mais fácil tomar as decisões, tais como: público-alvo, tipo de produto, melhores fornecedores, canais de comunicação que alcançam seu cliente, etc.

Pegando o gancho, outras coisas que precisam ser definidas na hora de montar um e-commerce são:

• O que vender – tipo de produto, quem vai fornecer, etc
• Para quem vender – seu público-alvo
• Como vender – os canais de comunicação para atingir seu cliente

Esses três tópicos podem ser bem definidos quando você faz uma pesquisa de mercado. Por isso, saliento a necessidade de fazer uma.

Outra dica é: esteja por dentro de tudo o que envolve o mercado de e-commerce, como:

O que precisa para funcionar

Seu e-commerce precisa seguir uma série de passos para estar apto para vender. Por isso, existem ferramentas e processos que você deve seguir para se adequar, tais como:

Legislação

A Lei 7.962/13, Lei do E-Commerce, é o decreto que regulamenta as empresas do comércio eletrônico do Brasil fazendo exigências como: apresentação de informações claras e visíveis, atendimento ágil e eficaz e o direito de arrependimento;

Plataforma

O recebimento de pagamentos é, sem dúvidas, fundamental para a sua loja. Para que você consiga recebê-los, existem três opções: facilitadores de pagamento, gateways de pagamento e as adquirentes, que integram diretamente

Antifraude

Você precisará também de um bom sistema antifraude, para evitar que aconteçam compras com cartões de créditos roubados, por exemplo. Nesse caso, você pode ficar sem o seu produto e sem o dinheiro também

Segurança

Você deve ter muito cuidado com a segurança em seu e-commerce, pois, você deve proteger os dados de seus clientes e eles se preocupam muito com isso. Os dois tipos de segurança fundamentais em todo e-commerce são: SSL (Secure Socket Layer) e Scan de Aplicação e IP

Suporte

Você precisará oferecer um suporte adequado para os seus clientes, tanto no pré-venda quanto no pós-venda. De acordo com a Lei do E-Commerce, o suporte deverá ser oferecido 24 horas por dia, sete dias por semana.

Plataforma

A plataforma é uma das primeiras coisas com que você terá que se preocupar ao montar a sua loja virtual, pois ela será a base de sua loja.

WooCommerce ou Magento

A escolha da plataforma é o primeiro passo que você deve dar ao abrir seu e-commerce. As duas principais opções do mercado são Woocommerce e Magento.

Woocommerce: é um plug-in do WordPress que transforma o blog em uma página de comércio eletrônico. É ideal para lojas virtuais pequenas;

Magento: é uma plataforma open-source completa e desenvolvida especificamente para comércio eletrônico. É mais utilizada por grandes empresas porque requer maiores investimentos financeiros para a criação e manutenção;

O que oferecer ao cliente

Depois de se adequar às questões de softwares de gestão, segurança e às leis, você precisa entender que precisa oferecer ao seu cliente a melhor experiência de compra. Caso contrário, ele pode abandonar o carrinho por distrações visuais ou usabilidade ruim. O que implica em não voltar a adquirir produtos pelo seu site e não indicar para outros consumidores. Por isso, é importante ter:

  • Site responsivo: as compras não são só efetuadas em desktops ou notebooks, o uso de outros dispositivos já é muito comum entre os que fazem compras online. Por isso, tenha uma plataforma que se adeque ao tamanho da tela dos dispositivos móveis;
  • Segurança nas compras: como já apontamos anteriormente, os dados de seus clientes devem ser mantidos em completa segurança;
  • Contato facilitado: mantenha seus dados de contato em local visível para que os usuários possam se comunicar facilmente com a sua empresa, caso seja necessário;
  • Atendimento: é essencial o suporte pré-venda e pós-venda para prestar o melhor serviço possível a quem está comprando em sua loja;
  • Opções de pagamento: cada cliente terá uma preferência em relação à forma de pagamento. Esteja preparado para todas. Por isso destacamos a importância de uma solução que disponibilize diferentes opções de pagamento, como o gateway que tem entre tantos benefícios a aceitação de cartões emitidos no exterior. Assim, o e-commerce amplia as possibilidades de venda; 

Plataformas de pagamento

Existem algumas soluções no mercado que facilitam muito a vida das empresas de e-commerce. A Vindi, por exemplo, possui uma plataforma completa para receber pagamentos online. Através dela, você pode vender com cartão de crédito, débito em conta ou emitir boletos bancários
Além disso, a Vindi oferece uma diversa série de vantagens, tais como:

  • Integração com todos adquirentes
  • Trabalha com qualquer carteira de boleto
  • Possui sistema antifraude
  • Faz emissão de nota fiscal automática
  • Cobrança de inadimplência
  • Pagamento direto sem repasse

Jornalista que passou por redações de entretenimento, varejo e economia, mas acabou se apaixonando por marketing digital e hoje atua em suas principais vertentes.

Você vai gostar também

Por que academias precisam ter independência ao es... Imagine a seguinte situação: João decidiu dar um importante passo e fazer um condicionamento físico. Ele realizou uma busca pela internet (e você esta...
Facebook avalia investir em modelo de assinatura c... Há umas semanas nós falamos neste post sobre o crescimento das assinaturas do New York Times, que em três meses conquistou 308 mil novos assinantes - ...
O que é o pagamento recorrente? Antes, o modelo de pagamento recorrente costumava ser um privilégio somente das prestadoras de serviços: escolas e academias, assinaturas de revistas,...
Produtos Criativos A criatividade quando bem explorada é capaz de gerar ideias em produtos que vão além da imaginação. Para os nerds e geeks qualquer produto simples pod...