As compras pelo e-commerce vêm crescendo e, mesmo em meio à recessão, o varejo eletrônico tem se destacado, já comentamos isso aqui. Contudo, boa parte dos brasileiros ainda não compra pela internet. Entenda como a logística colabora com essa decisão e como você pode melhorar a sua e conquistar seus consumidores.

De acordo com o relatório TIC Domicílios, do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) – organização que implementa as decisões e os projetos do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI) -, demora na entrega e preocupação com produto entregue(o que inclui os danos causados pela má condução do item) são alguns dos motivos apontados por consumidores que não aderiram às compras pelo e-commerce. Foram entrevistados 23 mil domicílios brasileiros para a pesquisa.

O que é logística

No e-commerce, a logística é a parte de gerenciamento da loja virtual responsável pelo controle, armazenamento, fluxo dos produtos e tudo o que os envolve. Manter tudo isso funcionando é difícil, mas necessário para oferecer a melhor experiência de compra para seu cliente. Agora que você já sabe o que integra a logística da sua empresa, veja dicas que podem te ajudar a gerir melhor essa área:

1- Controle de estoque

Utilize uma plataforma de gestão (ERP) que te ajude a controlar rigidamente os estoques. Dessa forma, você consegue mapear a frequência das vendas dos produtos – saber o que tem mais saída – e pode avaliar o prazo de entrega dos fornecedores para saber quando é o momento de fazer novos pedidos. Uma boa gestão ainda pode te ajudar a identificar falhas que implicariam no atendimento da demanda dos seus clientes.

Cross Docking

Uma opção utilizada por grandes varejos é o Cross Docking. Nesse processo, a mercadoria é enviada ao cliente diretamente do centro de distribuição do fornecedor. Isso resulta no ganho físico, já que você não vai precisar ter um armazém próprio e, consequentemente, custos que envolvem o estoque.

2- Estimativa de vendas

É complicado prever a demanda das vendas de uma loja no modelo tradicional do e-commerce, mas a dica é avaliar seu estoque (o controle rígido vai te ajudar nisso) e fazer uma previsão de vendas média dos itens que você tem para que a demanda não seja maior que a oferta (e vice-versa). Isso evita as possibilidades de atraso nas entregas ou produtos sobrando no estoque, o que te “obriga”, por diversas vezes, a fazer promoções que não geram o lucro esperado com a a venda normal do produto.

3- Relacionamento com fornecedores

Ao abrir sua loja online você fez uma pesquisa de mercado para, entre outras coisas, decidir com quais fornecedores iria trabalhar. Agora, o processo é manter uma boa relação. Avalie se os os distribuidores têm atendido seu e-commerce: cumprimento de prazos, flexibilidade e outros componentes importantes que estejam diretamente ligados aos produtos. Se isso tem funcionado bem, mantenha. Se não, o passo é tomar medidas para que isso aconteça de fato.

Faça também parcerias com seus melhores distribuidores. Dessa forma, você consegue boas negociações e, consequentemente, bons preços para seus clientes. O que gera vendas, fidelização, preferência do consumidor ao escolher compras em sua loja etc.

4- Embalagens resistentes

Como aponta o relatório, um dos receios de consumidores que ainda optam por não comprar pela internet está atrelado ao recebimento da mercadoria. Às vezes por não ser o produto esperado, outras porque o produto chega danificado. Por isso, a escolha da embalagem que você vai usar é importante. Vale fazer testes com os pacotes para evitar que eles não atendam à necessidade de cada produto.

5- Empresas de entrega

Por atender a todas as regiões do país, os Correios é a princiapal referência quando o quesito é entrega da mercadoria. Para empresas eles oferecem alguns modelos de entrega, como:

  • PAC – que é um serviço de entrega econômica para todo o Brasil;
  • e-Sedex – um serviço de entrega expressa para transportar produtos adquiridos no comercio eletrônico (via internet);
  • Sedex – serviço de entrega expressa para todo o território nacional.

Contudo, o mercado tem crescido com novos entrantes no segmento de entrega. Hoje existem diversas empresas especializadas em entregas que são uma opção e, talvez, valham a aposta, algumas como como:

  • JadLog
  • Loggi
  • Axado
  • Direct

Dica: vale uma pesquisa de mercado para entender outras alternativas de entrega. Existem diversas empresas que prestam esse serviço surgindo no mercado.

Ressaltamos aqui que um consumidor insatisfeito pode resultar em comentários negativos na página de compra do produto ou nas redes sociais e, consequentemente, nas avaliações que outros consumidores levam em consideração no momento da decisão de compra, ou até em um processo jurídico para sua empresa.

Uma logística ruim pode trazer grandes prejuízos para seu negócio. Não apenas para o caixa, mas também para a marca. Colocar em práticas essas dicas pode te ajudar a garantir uma melhor gestão da sua logística e, consequentemente, do seu e-commerce. 🙂

vindi-banner

Você vai gostar também

Tributação: quais os principais impostos cobrados ... As operações no e-commerce envolvem, basicamente, dois tipos de atividades: Operações de comercialização de produtos Operação de comercializaç...
Dicas para vendas mais seguras Uma pesquisa do Serasa Experian, realizada entre 2014 e 2015, apontou que a maioria das fraudes no e-commerce acontece, principalmente, às quintas-fei...
Black Friday: o guia completo para aumentar seu fa... Alta do dólar, inflação, preços altos, desemprego e mais um milhão de fatores contribuíram para que as pessoas deixassem de adquirir um produto neste ...
O crescimento de uma empresa SaaS e os maiores des... A empresa atinge um novo patamar e junto com ela chegam alguns desafios na gestão de produtos. Em junho deste ano, quando foi realizada a 6a. ediçã...