“font-weight: 400;”>É inegável que a cobrança recorrente traz benefícios gigantescos às empresas – não fosse isso, não teríamos grandes organizações olhando e se “rendendo” ao formato. Mas há um conjunto de aspectos que contribui para que o modelo de assinaturas seja eficiente e eficaz a uma empresa. É aí que entra a gestão de assinaturas.

Gestão de assinaturas é todo o processo de controle e automação dos serviços de assinatura. Isso inclui gerenciamento e controle de informações importantes para o negócio de uma empresa, como: inadimplências, receita, relatórios e etc.

O ponto crucial de um negócio por assinatura é entregar valor ao consumidor por meio do produto ou serviço oferecido. Mas a falta de gestão adequada pode gerar diversos problemas, como pagamento atrasado, não liberação do acesso do cliente, a não entrega de um produto e a desistência da assinatura.

Por isso, selecionamos alguns dos processos que você deve entender e aplicar, caso tenha ou queira abrir uma empresa baseada em recorrência. Veja:

1-  Potencialize o uso do cartão

Os dois principais meios de pagamento utilizados hoje no Brasil são: cartão de crédito e boleto. Então é imprescindível oferecer essas duas formas de pagamento no seu negócio baseado em recorrência, seja ele físico ou online.

Mas, quando comparado ao boleto, o formato mais vantajoso é o cartão de crédito:

  • Recebimento automático;
  • Previsão de receita mais assertiva;
  • Resposta de transação imediata;
  • Redução de inadimplência e etc.

Por esses motivos, ao potencializar o uso do cartão é mais assertivo nos modelos de cobrança recorrente.

2- Acompanhe o assinante

O modelo de assinatura ajuda a entender de perto o que seu cliente quer, precisa ou pode precisar. Assim você melhora o seu produto/serviço e atende ele cada vez melhor, o que contribui para que ele aumento o ‘tempo de vida’ como seu cliente – o que consequentemente gera receita.

Mas para isso é importante que você o acompanhe no processo de uso do seu produto/serviço, entenda os motivos de ele ter contratado, como você o atende, se atende bem às necessidades dele, como melhorar a entrega do que você oferece a ele e etc.

Para isso você pode usar e-mail, pesquisas, telefone e diversas outras interações para entender e acompanhar seu assinante.

3- Automatize sua cobrança

Se você não tem uma base de clientes muito grande, dá para fazer a cobrança manualmente inicialmente. Mas, como a ideia de todo negócio é escalar, em algum momento vai ficar complicado fazer cobrança manual, já que demanda tempo e recursos humanos que poderiam estar focados no desenvolvimento da empresa.

Ter um software de cobrança recorrente vai otimizar todo o processo de recebimento e te dar ferramentas importantes para o financeiro, como os relatórios que ajudam no fluxo de caixa e conciliação; receita programada; controle de inadimplência e muitos outros.

O financeiro é o coração de uma empresa, a automação é o que vai ajudá-lo a ‘bombear’ melhor os investimentos. Ou seja, ele vai ampliar sua análise e ajudar nas tomadas de decisão importantes para outras áreas do negócio.  

4- Controle inadimplência

Por si só a automação ajuda no controle de inadimplência, mas assim como em qualquer outro modelo de venda, os modelos de negócio baseados em assinatura estão suscetíveis à inadimplência. Portanto, usar ferramentas de cobrança é importante porque te ajuda a cobrar sem estragar o relacionamento com cliente.

Existem alguns fatores envolvidos no atraso do pagamento de uma assinatura, como a troca de cartão e falta de limite na data programada para a cobrança. Aplicações como Renova Fácil e retentativa de cobrança resolvem esse tipo de problema.

Em outros casos, o envio de mensagens por SMS e e-mail podem ser usados para lembrar o cliente de ficar em dia com o pagamento. Neste post a gente explica mais sobre esse tema.

Em geral, essas ferramentas são soluções desenvolvidas pelo próprio software de cobrança, a exemplo da Vindi, que oferece relatórios de acompanhamento, Renova Fácil, retentativas de cobrança, SMS e e-mails de cobrança.

Por onde começar?

É possível que algumas empresas já façam alguns dos pontos citados acima, então é importante identificar o que não foi feito e trabalhar nisso.

Você usa um software e não acompanha o cliente? Então comece por aí. Se você ainda nem começou as operações do seu negócio de assinaturas, mas vai, é importante que todos esses passos estejam no seu radar.

Com uma boa gestão de assinaturas, você vai conseguir extrair ao máximo os benefícios da recorrência e ter tempo para se preocupar com outros processos e projetos com foco no seu crescimento.

Você vai gostar também

Confira a lista de indicados ao prêmio Assinaturas... A cerimônia de entrega do Assinaturas Awards acontecerá no maior evento de assinaturas do país, o Assinaturas Day, que acontece no dia 8/6. Integra...
O Mercado de Sites de Assinaturas no Brasil O Mercado de Sites de Assinaturas no Brasil é um grande caminho a ser explorado pelos ecommerces e sites de assinaturas. Em pleno amadurecimento nos E...
Como fazer uma boa gestão e ainda reduzir custos? Perder tempo é uma coisa que ninguém quer. Mas, imagine aí: meados dos anos 2060, um sistema onde a moeda de troca não é mais o real, dólar, euro, pes...
Life as a Service – Murilo Gun e a mudança d... O Murilo Gun, comediante pernambucano, é famoso por frequentar o programa Agora é Tarde do Danilo Gentili, criou uma palestra para falar de um negócio...