O Pix para empresas e pessoas físicas está chegando no dia 16 de novembro como a solução do Banco Central para pagamentos instantâneos.

Com ele, você terá mais agilidade e praticidade no seu negócio, além de diminuir as taxas de transferência entre contas e muitas outras vantagens.

Portanto, neste artigo falaremos sobre as possibilidades do Pix para empresas e como aderir a essa nova forma de cobrar e receber!

O que é Pix?

Anunciado em fevereiro de 2020 pelo Banco Central, o Pix é um meio de pagamento que permite que pessoas físicas e jurídicas realizem transações instantâneas. 

Dessa forma, por ser em tempo real, todo o fluxo de transação de pagamentos será mais prático e agilizado.

Aqui no Blog da Vindi, nós temos um artigo completo sobre o Pix, explicando todos os benefícios dessa novidade do mercado de pagamentos. Você pode ler mais clicando aqui!

Como funciona o Pix?

Na prática, o Pix será oferecido por toda e qualquer instituição financeira que estiver homologada no Banco Central e cumprir os requisitos básicos para oferecer pagamentos instantâneos.

Além disso, cada banco é responsável pelo desenvolvimento dessa página dentro do próprio internet banking. Acessibilidade e usabilidade são pontos fortes para discutirmos daqui para frente.

Dessa forma, as instituições serão conectadas ao SPI (Sistema de Pagamentos Instantâneos), e pessoas físicas e jurídicas poderão solicitar o cadastro no Pix a qualquer momento para usar o meio de pagamento.

Não existe um aplicativo específico em que o Pix funcionará. É necessário ter uma conta em banco, cadastrar uma ou mais chaves e pronto, o sistema já estará habilitado.

Lembrando que o Pix para pessoas físicas permite o cadastro de até cinco chaves por instituição. Já o Pix para empresas permite o cadastro de até 20 chaves por instituição.

Por que o Pix para empresas é bom? 

Se você ainda está se perguntando se o Pix para empresas é uma boa opção, vamos listar aqui as maiores vantagens que o seu negócio pode ter:

  • Recebimento de pagamentos em até 10 segundos;
  • Taxas menores que o DOC e TED, a partir de R$ 0,01;
  • Pagamentos sem intermediadores, apenas entre pagadores e recebedores;
  • Possibilidade de transferências avulsas, sem utilizar a chave Pix;
  • Possibilidade de saques em canais variados da rede varejista;
  • Segurança do Banco Central.

E muitos outros benefícios!

Leia mais: Regras de padronização Pix: conheça as principais e fique atento!

Qual a diferença entre o Pix para empresas e outras formas de pagamento?

Quando falamos das formas de pagamento atuais, temos as transferências (DOC e TED), pagamento via boleto bancário, cartão de crédito e cartão de débito:

Transferência bancária (DOC e TED) 

Em primeiro lugar, o Pix é muito mais rápido que uma transferência tradicional. Enquanto TED demora até uma hora para transferência entre contas e até o final do dia para bancos diferentes, e o DOC pode demorar um dia útil, o Pix é instantâneo.

Além disso, as taxas do Pix são muito mais atraentes e muito menores do que ambas as partes. Alguns bancos chegam a cobrar mais de R$ 10 por transferência, então o pagador será beneficiado com o Pix.

Da mesma forma, temos o período para realizar essas transferências, que são limitadas em dias úteis e horários comerciais. Com o pagamento instantâneo, será possível pagar e receber 24 horas por dia, sete dias por semana.

Por último, a disponibilidade de valores por transferência são bem diferentes também. Enquanto um DOC se limita a R$ 4.999, o Pix não tem teto de valor.

Boleto bancário 

Na batalha entre boleto bancário e Pix, a usabilidade já dá uma vitória para o meio de pagamento do Banco Central. Quem aqui nunca teve problemas com o leitor de código de barras de um boleto, não é mesmo?

Com o Pix, esse pagamento será feito por Qr Code, tornando o processo mais fácil para quem emite esse código e para quem paga também.

Além disso, quem paga por boleto só recebe em D+1. Isso não acontecerá com o Pix para empresas, que também terá a vantagem de ser instantâneo.

Cartão de crédito 

O Pix não oferecerá crédito, mas existirá sim um limite para usar a conta, mais parecido com o cheque especial.

No entanto, do ponto de vista de quem vai receber o pagamento, geralmente uma transação via cartão só fica disponível ao lojista 28 dias depois. Com os pagamentos instantâneos, não veremos mais essa espera.

Além disso, um cartão de crédito tem anuidades, necessidades de aluguel de maquininhas de cartão e o cliente depende do lojista para conseguir pagar, caso ele ofereça esse meio de pagamento.

Cartão de débito

O cartão de débito é um pouco mais ágil para receber que o cartão de débito, mas não tão ágil quanto o Pix. 

Da mesma forma, é necessário contratar uma maquininha e manter o aluguel dela em dia, sempre se vinculando a uma adquirente para trabalhar. A ideia do Pix para empresas é trazer mais flexibilidade.

Como fazer uma cobrança e receber pelo Pix?

O Pix para empresas é uma solução que contempla qualquer tipo de transação, desde compras, até serviços, tributos e contas em geral.

Para cobrar com o Pix, é necessário gerar um Qr Code e enviar ao cliente. Além disso, as chaves também podem ser informadas, ou ainda digitando manualmente, em casos de transferências instantâneas.

Este Qr code pode ser padronizado, em caso de produtos com o mesmo valor e descrição, ou gerados a cada nova transação. E, essa emissão poderá ser feita em todos os aplicativos das instituições financeiras.

Vale conversar com o seu gerente e entender melhor quais as diretrizes que o seu banco emissor disponibilizará!

Leia também: A corrida maluca pela chave do Pix: o que você precisa fazer?

O Pix para empresas é seguro?

Basicamente, as formas de autenticação feitas pelo Banco Central para transferências tipo DOC ou TED seguirão as mesmas diretrizes.

Portanto, sim, o Pix é seguro para empresas. Estamos falando de criptografia de alta complexidade e rastreio pelos parceiros do Sistema de Pagamentos Instantâneos, além da CIP e SPB.

E, se você confia na sua instituição financeira, pode se tranquilizar, uma vez que eventuais fraudes serão de responsabilidade delas, assim como acontece hoje.

No entanto, ainda existem muitas discussões e padronizações do Pix. Ainda não temos um pronunciamento oficial, com protocolos de controle de fraudes. 

O que sabemos, por exemplo, é que cada instituição poderá definir um limite de valor para transferências, para manter a segurança e evitar possíveis roubos dessa forma. 

Esses limites já são válidos em outras esferas, e a única exigência é que esse teto não seja inferior ao estabelecido para TED e DOC.

Agora que você já sabe tudo sobre o Pix para empresas, assine agora os conteúdos sobre Pix que a Vindi está lançando. Clicando no banner abaixo, você terá acesso a tudo gratuitamente e em primeira mão!