No dia 19 de fevereiro, o Banco Central lançou o sistema de pagamento eletrônico, o PIX. Todos os bancos e fintechs com mais de 500 mil contas ativas devem se adaptar a essa nova modalidade até o mês de novembro de 2020. Por isso, é importante que empresas e consumidores fiquem atentos e se informem sobre essa nova possibilidade de transação. Saiba como funciona este sistema e quais são as vantagens. Acompanhe aqui comigo!  

Mas, para que serve este novo serviço? 

Certas operações eletrônicas podem levar dias e custam dinheiro. Quando você vai transferir algum valor para alguém, por exemplo, entre bancos diferentes, como TED (Transferência Eletrônica Disponível) ou DOC (Documento de Ordem de Crédito), é cobrada uma taxa de aproximadamente 20 reais e, ainda, pode demorar quando realizado em período considerado não útil. Pensando em segurança também, não será mais preciso andar com dinheiro em espécie, devido à instantaneidade da proposta do Pix.

Com o Pix, será possível fazer transações financeiras 24h por dia, sete dias por semana, inclusive nos feriados, em tempo real! Isso significa ter mais liberdade em relação ao TED e DOC, pagamento de contas e boletos, recolhimento de impostos e taxas de serviços. 

O que é Pix?

Resumindo, o Pix é um sistema que chegou para agilizar todas as transações financeiras. Algo que, de fato, é necessário nos dias de hoje, pois temos a necessidade do imediatismo, né? A partir desse sistema, será possível fazer transferências entre contas de bancos diferentes de forma instantânea, pagar contas e boletos no final de semana, por exemplo, e muito mais. 

Como funciona o Pix?

Com todo auxílio da tecnologia, o Pix vai ficar funcionar através de QR Code, uso de chave de endereçamento (senha), número de celular, e-mail, CPF ou CNPJ ou aproximação. Porém, existe uma grande aposta com o uso dos aplicativos de bancos para as transações. 

Para o QR Code, provavelmente, vão ter diferentes formas de uso: estático e dinâmico. O estático é mais indicado para transferências entre duas pessoas, por exemplo. Já o dinâmico, é melhor para pagamento de compras, pois é possível apresentar diferentes informações. Algo mais concreto sobre esse tema dependerá do prazo de quando for implementado. 

Segundo o Banco Central, será possível realizar: transações entre pessoas, entre pessoas e estabelecimentos comerciais, entre estabelecimentos e para entes governamentais, no caso de impostos e taxas. As transferências acontecem diretamente na conta do usuário que pagou e na conta do usuário que vai receber, sem a necessidade de intermediários. 

Será que os boletos bancários estão com os dias contados?

Com a chegada do pagamento instantâneo, muitas pessoas estão se perguntando sobre a continuidade do uso do boleto bancário. Por isso, no nosso blog, temos um conteúdo sobre os benefícios do boleto para empresas e para consumidores.