Tem taxa no Pix? Essa é uma das dúvidas mais frequentes sobre o sistema de pagamento instantâneo do Banco Central.

Desde o início, ficou claro que a ideia era oferecer transações gratuitas para pessoas físicas.

Já para as pessoas jurídicas, o Pix pode ter tarifas, mas a promessa é de que serão mais baratas do que aquelas praticadas em boletos e em transferências do tipo TED.

Acontece que esses valores vão depender única e exclusivamente da definição dos próprios bancos.

Então, o melhor que você tem a fazer é se informar – e este conteúdo pode ajudar.

Quer saber o valor da taxa no Pix para empresas?

Acompanhe o texto até o final e comece a comparar as tarifas desde já. 

Há cobrança de taxa no Pix?

Sim, há uma taxa no Pix que é cobrada apenas de pessoas jurídicas nos pagamentos e recebimentos de valores das vendas. 

O sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC) começou a vigorar oficialmente em novembro de 2020 e, desde o início, teve a proposta de gratuidade para pessoas físicas.

Logo, qualquer cidadão já pode enviar e receber dinheiro via Pix sem pagar nada, com a vantagem de poder fazer as transações 24 horas por dia, 7 dias por semana e em apenas 10 segundos.

A única exceção são os autônomos que recebem dinheiro de vendas por meio da conta de pessoa física – vamos falar sobre esse caso mais à frente. 

De modo geral, é cobrada uma tarifa no recebimento quando o Pix é usado para fins comerciais. 

No entanto, são os bancos e fintechs que definem qual será essa taxa para as contas de pessoa jurídica. 

Até então, poucas instituições divulgaram os valores cobrados de empresas, pois a maioria ofereceu gratuidade por tempo limitado durante a fase de lançamento do sistema. 

Quanto custa fazer um Pix?

Para a pessoa física e microempreendedor individual (MEI), vale lembrar, o custo para fazer um Pix é igual a zero, já que não é cobrada nenhuma tarifa.

De acordo com o regulamento do Pix divulgado pelo Banco Central em outubro de 2020, “o envio de pagamentos é gratuito e ilimitado para todas as pessoas físicas, empresários individuais e MEIs”. 

No entanto, o BC acrescenta que “aos que adotarem o Pix para fins comerciais, poderão ser tarifados no recebimento da transação”.

Acontece que não são apenas as empresas que fazem transações com fins comerciais.

Um profissional autônomo, por exemplo, pode usar sua conta bancária de pessoa física para receber o dinheiro de uma venda. 

Então, o BC criou duas regras para garantir a cobrança de tarifa quando o Pix for usado para compras:

  • A tarifa poderá ser cobrada quando transações forem recebidas por meio de QR Code dinâmico (o QR Code com valor especificado);
  • A tarifa poderá ser cobrada quando a pessoa física realizar mais de 30 transações com Pix em um único mês, sendo aplicada a partir da 31ª transação.

Logo, nessas duas situações, mesmo a pessoa física pode ser cobrada nas transações com Pix.

Pix cobra taxa para receber dinheiro?

Sim, a taxa do Pix é cobrada quando empresas recebem dinheiro de vendas pelo sistema. 

Ou seja, há um custo para os negócios que pretendem oferecer o Pix como forma de pagamento para seus clientes. 

Da mesma maneira, os bancos também estão autorizados a cobrar tarifas pelos pagamentos via Pix realizados por pessoas jurídicas. 

No entanto, como o sistema entrou em vigor há poucos meses, muitas instituições estão oferecendo um período promocional de gratuidade para as empresas experimentarem o Pix. 

A ideia é que ele seja uma opção de cobrança mais barata, segura e eficiente do que boletos e transferências. 

Para você ter uma ideia, o BC cobra apenas R$ 0,01 (um centavo) das instituições para cada dez transações com Pix, enquanto cada TED custa R$ 0,07. 

Entre as vantagens do Pix para empresas, podemos destacar:

  • Custo da transação inferior ao da emissão de boletos e transferências como TED e DOC;
  • Recebimento imediato da receita de vendas a qualquer hora e dia da semana;
  • Ampliação do alcance de clientes com uma forma de pagamento online prática e rápida;
  • Otimização de processos de cobrança de clientes (inclusive na cobrança recorrente);
  • Facilidade para pagar fornecedores e impostos;
  • Mais segurança nas transações, já que o Pix conta com recursos de criptografia e autenticação avançados;
  • Redução dos prazos de entrega do e-commerce com a confirmação imediata de pagamentos. 

Pix tem taxa para negócios?

Sim, qualquer transação com fins comerciais envolve a cobrança da taxa do Pix para recebimentos e pagamentos. 

Até dezembro de 2020, já foram realizadas mais de 144 milhões de transações com Pix, segundo estatísticas do BC

Outros dados publicados pelo órgão em janeiro de 2021, divulgados na Veja, mostram que apenas 7% dos pagamentos são realizados de pessoas físicas para empresas.

Uma das explicações para essa baixa adesão é justamente a ausência de valores claros para as empresas na fase inicial do Pix. 

Como cada instituição tem liberdade para definir suas próprias tarifas para pessoas jurídicas que usam o sistema, os custos ainda são incertos. 

Qual a taxa do Pix para empresas?

Dos cinco maiores bancos do país, apenas dois divulgaram as taxas do Pix para empresas: Itaú e Bradesco.

Conforme divulgado na Folha de S. Paulo em dezembro de 2020, o Itaú deverá cobrar 1,40% por transação e o Bradesco 1,45%, após o período promocional de isenção.

Já entre as adquirentes, temos as seguintes tarifas divulgadas para transações via Pix nas maquininhas:

  • Mercado pago: 30 transações gratuitas, depois 0,99% por transação;
  • PagSeguro: até 1,89% por transação.

Segundo uma pesquisa da Stone realizada com milhares de lojistas e publicada na Folha em 2020, a maior dúvida dos empreendedores em relação ao Pix se relaciona com os custos, com 47,1% das respostas.

Em seguida, vêm a segurança (38,8%), usabilidade (34,9%) e funcionalidades (30%). 

Como as taxas do Pix são definidas e cobradas

Como vimos, as instituições financeiras são livres para decidir quais serão as taxas do Pix cobradas de pessoas jurídicas e pessoas físicas que façam transações com fins comerciais.

No regulamento oficial do BC, estão definidas as seguintes regras para a cobrança de tarifas dos usuários finais do sistema:

  • Os participantes do Pix (instituições) devem divulgar aos usuários finais pessoas naturais e pessoas jurídicas as tarifas, as gratuidades e os eventuais benefícios relativos ao envio e recebimento de um Pix.
  • Considera-se que a transação possui finalidade de compra quando: 
    • Sendo o usuário recebedor pessoa natural:
      • O usuário pagador pessoa natural inicia a transação por meio de QR Code dinâmico ou outra forma de iniciação associada ao Pix Cobrança;
      • O usuário pagador pessoal natural inicia a transação por meio de inserção manual de dados da conta, chave Pix ou QR Code estático, a partir da 31ª transação no mês;
      • O usuário pagador pessoa jurídica inicia a transação por meio de QR Code estático, dinâmico ou outra forma de iniciação associada ao Pix Cobrança.
    • Sendo o usuário recebedor pessoa jurídica:
      • O usuário pagador é pessoa natural;
      • O usuário pagador pessoa jurídica inicia a transação por meio de QR Code estático, dinâmico outra forma de iniciação associada ao Pix Cobrança.
  • As tarifas relacionadas às transações realizadas com a finalidade de transferência podem ser cobradas pelos participantes do Pix provedores de contas transacionais apenas dos usuários pagadores.
  • As tarifas relacionadas às transações realizadas com a finalidade de compra podem ser cobradas pelos participantes do Pix provedores de contas transacionais apenas dos usuários recebedores.

Como consultar todas as taxas do Pix

Para consultar as taxas do Pix, você deverá acessar a tabela geral de tarifas da instituição financeira com a qual mantém relação.

A orientação geral é de que as empresas comparem as taxas cobradas pelas instituições antes de cadastrar suas chaves e começar a utilizar o serviço. 

Veja alguns exemplos.

Taxa Pix Itaú

O Banco Itaú possui uma página exclusiva para divulgação do serviço de Pix para empresas. 

Na seção, é informado que qualquer empresa pode usar o sistema sem custo pelo período promocional de 3 meses, respeitando o limite de até 200 transações por mês. 

O valor do Pix após esse prazo está disponível na Tabela Geral de Tarifas com vigência a partir de 1º de fevereiro de 2021. 

No documento, constam as tarifas:

  • Tarifa de pagamento por transferência via Pix de 1,45% do valor pago, com valor mínimo de R$ 1,75 e máximo de R$ 9,60;
  • Tarifa de liquidação de QR Code de 1,45% do valor pago, com valor mínimo de R$ 1,00 e máximo de R$ 150,00.

Taxa Pix Bradesco

O Bradesco, assim como o Itaú, possui uma página dedicada ao Pix para empresas. 

O banco divulga que “para empresas, será permitida cobrança de tarifa por transferências e recebimentos, mas como o modelo está em construção, ainda não há divulgação de valores”.

Mais uma vez, é preciso recorrer à Tabela Geral de Tarifas da Pessoa Jurídica de janeiro de 2021, que possui os seguintes registros:

  • Tarifa de transferência para pagamento Pix de 1,40% do valor, com valor mínimo de R$ 1,65 e máximo de R$ 9,00.
  • Tarifa de recebimento via QR Code Pix de 1,40% do valor, com valor mínimo de R$ 0,90 e máximo de R$ 145,00. 

Pix Nubank tem taxa?

O Nubank isenta as empresas da cobrança da taxa Pix.

Na página de tarifas, consta que o valor do Pix é de zero reais para transferências e recebimentos tanto na conta de pessoa física quanto de pessoa jurídica. 

A fintech decidiu assumir o custo das transações via Pix para empresas, como forma de aumentar sua competitividade. 

Pix e cobrança recorrente para você

Já imaginou poder fazer cobranças recorrentes utilizando o Pix?

Com a plataforma da Vindi, você tem essa opção e ainda pode oferecer formas de pagamento como cartão de crédito, boleto bancário e link de pagamento para seus clientes.

Além disso, conta com recursos de gestão de assinaturas, controle de inadimplência, gestão financeira e integração com os sistemas que você já utiliza na empresa. 

Tudo para facilitar o processo de cobrança e a gestão da receita recorrente no seu negócio. 

Se você está procurando o melhor meio de pagamento e um sistema billing eficiente para o seu negócio, nós podemos ajudar