Nubank, PagSeguro e GuiaBolso são alguns exemplos de fintechs no Brasil que todo mundo conhece. Mas, você sabia que existem mais de 740 fintechs no país? Segundo o estudo Distrito Fintech Report 2020, do ano passada pra cá, houve um aumento de 34% da quantidade de empresas criadas neste modelo.

A área que reúne serviços financeiros e tecnologia é uma das que mais se desenvolvem no mundo. Em questão de investimentos, a pesquisa da Distrito aponta que as fintechs captaram cerca de 35% de todo os aportes de Venture Capital contabilizados no Brasil, na casa das centenas de milhões de dólares.

Ecossistema de Fintechs no Brasil em 2020. Fonte: Fintechlab

Se você ainda tem dúvidas sobre o que é uma fintech, veja a definição a seguir e exemplos de fintechs no Brasil, para entender melhor!

O que é Fintech?

O termo “fintech” vem do inglês, da junção das palavras “financial” e “technology”, traduzidos livremente como “tecnologias financeiras”.

Então, você já pode imaginar o que as fintechs fazem, não é? Elas proporcionam soluções digitais para inúmeros serviços financeiros, voltados para pessoas físicas ou para empresas (B2B). O foco é, portanto, desburocratizar operações tradicionalmente complicadas e demoradas.

Geralmente, as fintechs funcionam por aplicativo ou website. Essa é uma das suas principais vantagens: tudo pode ser resolvido de forma online, sem que o cliente precise pegar filas, enfrentar papelada e longa espera.

E as fintechs não são somente os bancos digitais. Na verdade, elas são qualquer tipo de empresa que atue de forma inovadora, online e especializada em uma ou mais áreas relacionadas a finanças, como:

Muitas fintechs também são consideradas startups: elas nascem com alto potencial de crescer em pouco tempo, já que trazem serviços novos e atrativos para investidores e programas de aceleração.

Quais são os principais exemplos de Fintechs no Brasil?

Conheça as empresas brasileiras que estão mudando o setor financeiro e, de quebra, liderando uma cultura mais ética para o segmento.

Bancos Digitais

Eles impulsionaram a transformação digital nos bancos, oferecendo abertura de conta e serviços bancários de forma completamente online. Alguns exemplos de fintechs no Brasil deste tipo são: Nubank, C6 Bank, Inter, Banco Original e Neon. Veja mais sobre os destaques:

Nubank

O Nubank foi fundado em 2013 e foi uma novidade que mudou a forma das pessoas abrirem conta e usarem serviços bancários. Alguns destaques da fintech são: aplicativo com ótima experiência do usuário, cartão de crédito e débito sem anuidade, abertura de conta pelo aplicativo, Nubank Rewards (programa de pontos do cartão).

Ele é também um unicórnio, ou seja, startup avaliada em pelo menos 1 bilhão de dólares.

C6 Bank

O C6 Bank é também bastante relevante na área de bancos digitais, oferecendo facilidades similares ao Nubank. Os destaques vão, no entanto, para seu recente lançamento de uma maquininha própria e para sua plataforma de investimentos mais robusta.

Crédito pessoal ou empresarial

As fintechs de crédito disponibilizam a contratação de crédito por aplicativo, desde o atendimento até a avaliação de crédito e liberação. Dessa forma, a maioria delas oferece taxas mais atrativas que as demais empresas de crédito. 

Creditas

O Creditas é uma plataforma de crédito online para pessoas físicas. Por ser uma fintech, ela consegue repassar taxas de juros menores aos clientes. Isso porque sua tecnologia ajuda a otimizar processos, ter menores custos operacionais e evitar fraudes. Assim, o cliente aproveita melhores taxas e maiores prazos de pagamento, podendo usar imóveis ou veículos como garantia.

TrustHub

A TrustHub oferece diversos serviços para pequenas empresas, dentre eles o de crédito. Fundada em 2017, ela promete análise simplificada e parcelamento. No site é possível fazer uma simulação de contratação de crédito.

TuTu Digital

A fintech é especializada em empréstimos para micro e pequenas empresas, sendo diferente do crédito tradicional: a TuTu Digital conecta investidores a negócios em busca de investidores, para dar o “match” através do peer-to-peer lending.

Pagamentos

A área de pagamentos é muito ampla em frentes de atuação. Assim, temos diferentes modelos de fintechs neste setor:

  • Meios de pagamentos para pessoa física: são os apps de pagamento que o consumidor pode utilizar em suas compras, como carteiras digitais e pagamentos por QR Code;
  • Adquirentes e subadquirentes (B2B): fornecem tecnologia para transações por cartão de crédito e débito;
  • Plataformas de cobrança (B2B): plataformas para gestão de pagamentos, emissão de cobranças e operações de pagamentos, para negócios.

Mercado Pago

Ele é um braço do Mercado Livre, e funciona como um app de carteira digital para pessoas físicas fazerem pagamentos online. O usuário pode realizar compras à vista ou parceladas em sites por meio de boleto ou cartões de crédito ou débito em conta corrente. Somente em sites que aceitem o Mercado Pago.

Além deste, outros exemplos da categoria são a Ame e o Pic Pay.

Vindi

A Vindi é uma plataforma que nasceu em 2013 e oferece uma estrutura completa de cobrança para as empresas. Com ela, é possível operar as principais formas de pagamento, como cartões de todas as bandeiras e boletos. 

Além de realizar cobranças avulsas, a fintech tem o diferencial de permitir a automação de um ciclo de cobranças para assinaturas, planos e mensalidades, para empresas que trabalham com o modelo da recorrência. 

Recentemente, a Vindi liderou o ranking Virtuous Company de Cultura Ética 2020. Veja mais aqui sobre o prêmio e sobre a empresa!

Investimentos

Nessa categoria, as fintechs cuidam dos investimentos dos clientes, oferecendo também consultoria e conteúdos. Algumas delas também utilizam tecnologia de Inteligência Artificial para direcionar os investimentos dos clientes para oportunidades na Bolsa.

Toro Investimentos

A Toro Investimentos é a primeira fintech brasileira que abriu uma corretora de valores independente dos bancos, em 2010. No entanto, a plataforma começou com educação financeira. Hoje, foca em gerar praticidade, segurança e maiores rendimentos aos clientes direcionando investimentos para Renda Fixa e Bolsa de Valores. Além disso, os consultores atendem de forma digital.

Urbe.Me

O URBE.ME é uma plataforma de investimento online voltada para o setor imobiliário, que simplifica e torna o investimento em crédito imobiliário. Criada em 2014, a empresa utiliza o conceito de crowdfunding para democratizar os aportes para valores mais baixos, a partir de R$ 1.000,00. 

Magnetis

A Magnetis é pioneira no uso de robôs especialistas em investimentos para os clientes no Brasil. Dessa forma, desde 2015, a fintech cria carteiras de investimentos alinhadas ao perfil do cliente e seus objetivos, com tecnologia e equipe especializada, tudo pela sua plataforma online.

Seguros

Também chamadas de insurtechs, as fintechs de seguros oferecem a contratação de seguros de forma mais prática, por app, e com valores mais flexíveis. 

ThinkSeg

A ThinkSeg é uma fintech que trouxe ao setor seguro de automóveis do Brasil o conceito de “Pay Per Use”, em que você paga o quanto usa. Isso por causa da ideia de um preço mais justo: você paga uma assinatura mensal (fixa) e a cada km rodado são adicionados alguns centavos ao valor mensal do seguro, de acordo com as coberturas escolhidas. No entanto, o valor compensa para quem usa menos o carro. 

Youse

A Youse oferece seguros auto, residencial e de vida a preços também mais acessíveis. Simulando os seguros online Youse, o cliente escolhe as coberturas e assistências que quiser, pra caber no bolso. Assim, conforme os serviços são acrescentados ou retirados, o valor mensal do seguro é calculado para o cliente, que só paga pelo que pretende usar.

Minuto Seguros e Bidu

Existem também fintechs que são corretoras de seguros, como a Minuto Seguros e a Bidu, que realizam cotações com as maiores seguradoras do Brasil para o cliente escolher o que se encaixa em seu perfil.

Contabilidade

A contabilidade de uma empresa pode ser simplificada por plataformas que realizam as principais obrigações e relatórios de forma online e automatizada. 

Contabilizei

A Contabilizei é uma fintech que busca democratizar a contabilidade, sendo uma plataforma voltada tanto à abertura de empresas quanto aos serviços relacionados ao processo contábil de empresas já em funcionamento. Dessa forma, ela pode ser contratada mensalmente para ajudar com notas fiscais, guias de impostos e relatórios contábeis como balanço, DRE e outros.

Controle financeiro

Aqui se enquadram as fintechs que oferecem ferramentas para ajudar o usuário a ter maior controle financeiro, ou seja, não operam transações, apenas ajudam com o planejamento e pesquisa.

GuiaBolso

O GuiaBolso, lançado em 2014, ajuda milhões de usuários a realizar o controle financeiro, estabelecer metas de consumo, planejar despesas e fazer cotações. Sua tecnologia se aprimorou ao longo dos anos, permitindo integração com a conta bancária do usuário, com total segurança. Assim, fica mais fácil controlar o saldo, as contas e não entrar no vermelho.

Konkero

A Konkero é um portal independente sobre empréstimos, consórcios, seguros e muito mais, voltada a informar e ajudar na educação e consciência financeira. Portanto, o site pode ser usado como um guia gratuito pelo público.

Se você gostou desses exemplos de fintechs no Brasil, acompanhe o blog da Vindi e fique por dentro de notícias do mercado!