Você pode não conhecer a sigla RTP, mas certamente já deve ter utilizado a tecnologia.

Afinal, o Pix se enquadra nessa categoria.

Assim como o sistema de pagamentos do Banco Central, existem mais de 50 espalhados pelo mundo.

Inclusive no Brasil há outro sistema de pagamentos em tempo real que funciona desde 2002 – e você provavelmente também já usou!

Neste artigo, vamos explicar o que é a RTP, suas vantagens e quais são os outros países que contam com esse sistema, além de mostrar dados atuais e perspectivas para o futuro.

Acompanhe e tire suas dúvidas!

O que é RTP (Real-Time Payment)?

RTP é uma transferência financeira entre contas bancárias realizada e concluída em alguns segundos, praticamente instantânea.

Em inglês, Real-Time Payment significa exatamente isso: “pagamento em tempo real”.

Vários países contam com sistemas que permitem a transferência na hora, como o Brasil.

As transferências dependem de uma rede digital que permite a comunicação entre redes de diferentes bancos, chamada de infraestrutura de trilho.

Inicialmente, alguns sistemas de RTP tinham restrições de horário, mas a tecnologia atual permite que os pagamentos sejam feitos 24 horas por dia mesmo em finais de semana e feriados.

Por causa da instantaneidade, o RTP é irrevogável – ou seja, uma vez que o pagamento feito, não tem como voltar atrás.

Qual a relação entre Pix e RTP?

O Pix é um dos vários exemplos de aplicação do conceito RTP que existem pelo mundo.

Por meio da infraestrutura de trilho administrada pelo Banco Central, o sistema permite a realização de transferências a qualquer dia e horário.

Embora o Pix seja o principal exemplo brasileiro de aplicação do conceito de RTP, não é o primeiro sistema do tipo do país.

Surgido em 2002, o Sistema de Transferência de Fundos (Sitraf) permite a realização de transferências eletrônicas quase instantâneas, chamadas de Transferência Eletrônica Disponível (TED).

Esse sistema é restrito à comunicação entre os bancos e tem limitações de horário.

Por isso, podemos considerar o Pix a grande referência de RTP no Brasil.

Quais os benefícios do RTP?

Com a popularização do Pix, negócios de vários segmentos têm tido uma amostra das vantagens de contar com um sistema de RTP no país.

Confira os principais benefícios do modelo:

  • Instantaneidade: como os pagamentos por RTP são instantâneos (ou quase isso), esse sistema pode ser usado em cobranças por comerciantes e prestadores de serviço de qualquer segmento
  • Confirmação imediata: o destinatário de um pagamento pode se certificar de que o valor foi recebido, possibilitando que uma empresa possa entregar um produto ou prestar um serviço
  • Segurança: Além da menor exposição menor ao risco de crimes virtuais devido à agilidade, os sistemas de RTP permitem a identificação de atividades suspeitas a partir da transmissão de dados sobre transações
  • Menos problemas com liquidez: uma transferência instantânea só pode ser realizada se houver fundos suficientes na conta bancária naquele momento, o que praticamente garante os pagamentos.

Em quais países existem pagamentos em tempo real?

Existem 73 países no mundo com sistemas de RTP ativos, segundo a pesquisa Prime Time for Real-Time 2023 (em inglês), realizada pela ACI Worldwide em parceria com a GlobalData.

Os países, conforme a divisão por regiões feita pelo estudo, são os seguintes:

  • América do Norte: Canadá e Estados Unidos
  • Ásia e Pacífico: Austrália, Camboja, China, Hong Kong, Indonésia, Japão, Cazaquistão, Malásia, Filipinas, Singapura, Coréia do Sul, Taiwan, Tailândia e Vietnã
  • Europa: Áustria, Azerbaijão, Bélgica, Bulgária, Croácia, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Países Baixos, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Rússia, Sérvia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Turquia e Reino Unido
  • África, Sul da Ásia e Oriente Médio: Bahrein, Egito, Etiópia, Gana, Índia, Quênia, Kuwait, Líbano, Nigéria, Omã, Paquistão, Catar, Arábia Saudita, África do Sul, Sri Lanka, Tanzânia e Emirados Árabes Unidos
  • América Latina: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Honduras, México, Peru e Uruguai.

A pesquisa cita também seis países com planos para implantação de sistemas de RTP: Mianmar, Nova Zelândia, Eslováquia, Ucrânia, Marrocos e Venezuela.

Números de pagamentos em tempo real no Brasil e no mundo

O relatório aponta o Brasil como o segundo país no mundo com maior número de transações por RTP em 2022, com 29,2 bilhões, considerando tanto o Pix quanto o Sitraf.

O crescimento em relação a 2021 foi de 228,9%, o terceiro maior registrado entre os 52 países pesquisados.

Além disso, o país respondeu por 15% do total de transferências em tempo real no mundo.

A projeção para 2027 é que o país alcance o total de 111,2 bilhões.

O relatório não cita valores, mas um levantamento do Banco Central apontou que o total movimentado somente via Pix em 2022 foi de R$ 10,9 trilhões.

Apenas a Índia teve mais transações que o Brasil por RTP, um total de 89,5 bilhões, 46% do total no mundo.

Os demais países com mais pagamentos em tempo real foram China (17,6 bilhões), Tailândia (16,5 bilhões) e Coreia do Sul (8 bilhões).

Os RTP vão substituir outras formas de pagamento?

Em maio de 2023, a Febraban confirmou que as transferências via DOC serão encerradas até fevereiro de 2024.O serviço será desativado para pessoas físicas e jurídicas. 

Um dos pontos para o seu encerramento foi a baixa utilização. Em 2022, apenas 3,7% das transações bancárias realizadas por clientes foram via DOC.

Ainda assim, dificilmente os RTP serão a única forma de pagamento eletrônico.

O cartão de crédito ainda é amplamente utilizado, por causa de facilidades como a possibilidade de parcelamento e do seu uso cada vez mais comum na recorrência.

Porém, a projeção do Prime Time for Real-Time 2023 mostra que o RTP veio para ficar.

Até 2027, o estudo aponta que 27,8% do total de transações eletrônicas no mundo serão realizadas em tempo real.

O sucesso do Pix no Brasil é uma boa amostra disso.

E já existem estudos para a implantação de um sistema internacional, o que deverá aumentar bastante essa tendência.

Portanto, embora não haja perspectiva de uma substituição definitiva, os dados mostram que a empresa que não estiver preparada para receber pagamentos em RTP vai acabar ficando para trás.

Como receber pagamentos via RTP?

Como um dos grandes focos do RTP é facilitar a vida dos usuários, receber os pagamentos é bem fácil.

A melhor maneira de receber pagamentos via RTP no Brasil é usando o Pix.

A forma mais simples é criar uma chave e repassar ao cliente, mas isso também gera uma fricção na hora da cobrança.

Para evitar esse problema, há duas soluções:

  • QR Code: a empresa fornece um código na para que o cliente aponte a câmera do celular e faça o pagamento, facilitando o ato da cobrança
  • Copia-e-cola: muito usado no e-commerce, o sistema consiste no envio de um código correspondente ao QR Code para que o cliente copie e cole no seu app.

Como a Vindi pode te ajudar a receber pagamentos via RTP?

A Vindi conta com várias soluções para facilitar a cobrança via RTP em diferentes modelos de negócios.

Se você tem uma loja presencial, a melhor opção é a maquininha de cartão Smart POS.

Com ela, é possível gerar o QR Code dinâmico, aquele em que o vendedor acrescenta o valor da venda para que o cliente só precise confirmar o pagamento.

Para lojas virtuais, nosso sistema permite enviar uma fatura com o QR Code ou o Copia-e-Cola.

Com a nossa plataforma, você também pode usar o Pix na recorrência, com a cobrança automatizada.

Saiba mais sobre o PIX da Vindi no episódio 45 do podcast Dentro do Ringue:

Conheça a Vindi, um ecossistema completo de pagamentos!

O que é RTP?

RTP é uma transferência de valores quase instantânea, feita em segundos. A sigla significa Real-Time Payment (Pagamento em Tempo Real em português). Existem vários sistemas de RTP pelo mundo, sendo que o mais conhecido no Brasil é o Pix. Para implantar esse sistema, é preciso uma rede digital entre os bancos, chamada de infraestrutura de trilho. Com a tecnologia atual, o RTP pode ser feito todos os dias sem restrição de horário.

O que RTP tem a ver com o Pix?

O Pix é o principal formato de RTP no Brasil e um dos que têm crescido mais no mundo. Sua utilização cresceu mais de 200% em 2022, segundo uma pesquisa da ACI Worldwide em parceria com a GlobalData. O Brasil também conta com o Sitraf, um modelo de RTP criado em 2002, que permite a Transferência Eletrônica Disponível (TED). Mas esse sistema tem limitações de horário, diferentemente do Pix.

Como cobrar o cliente via RTP?

Para uma empresa fazer cobranças em tempo real, o ideal é usar o Pix. Porém, somente repassar a chave para o cliente não é a melhor forma, pois gera uma fricção. Uma alternativa é gerar um QR Code, para que o consumidor apenas aponte a câmera do celular e confirme o pagamento. Negócios virtuais podem usar o Copia-e-cola, um código que o cliente pode colar no aplicativo para fazer o pagamento.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar.
Aceitar consulte Mais informação Aceitar Leia mais

Política de privacidade e cookies
-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00