O Vindi Insights de maio de 2021 vem no ritmo do crescimento digital e da renovação da confiança do consumidor. 

Todo mês, trazemos para você um resumo do mercado da recorrência com direito a notícias, indicadores econômicos e desempenho dos principais segmentos que compõem nossa carteira de clientes.

Nesta edição, você vai conferir novidades sobre o avanço dos pagamentos digitais, acompanhar indicadores econômicos e entender como cada setor está se saindo na crise.

Continue lendo e entenda o panorama atual do nosso mercado. 

Por que fazemos o Vindi Insights?

O Vindi Insights é um relatório exclusivo do mercado da recorrência produzido mensalmente pelo time de analytics da Vindi.

A primeira edição saiu em março de 2020, em um momento de grande demanda por dados que nos ajudassem a reajustar as rotas no meio da pandemia.

Com o forte impacto da recessão, as empresas precisavam de informação de qualidade para entender como cada segmento vinha se comportando. 

Então, o Vindi Insights surgiu como mais uma forma de contribuir para o ecossistema de empreendedores, startups e executivos que atuam na recorrência.

Por meio de uma análise mês contra mês do TPV (Total Payment Volume) dos principais segmentos que atendemos, conseguimos oferecer um panorama geral de cada setor.

Além disso, trazemos notícias e indicadores econômicos relevantes no mercado.

“Esses dados são muito importantes para que uma empresa de um determinado segmento entenda como a crise afetou o seu negócio versus a concorrência.

Além disso, também olhamos muito para o cenário exterior para capturar as tendências

– contam Jooji Matheus Arima e Leonardo Martinez da equipe analytics da Vindi. 

Até agora, já foram mais de 25 relatórios publicados

Notícias do mercado da recorrência

Vamos começar pelas notícias mais relevantes para o mercado da recorrência.

Veja o que você precisa saber este mês:

40% dos brasileiros usam meios de pagamento digitais

Uma pesquisa feita pela Generation Pay e publicada na revista Exame entrevistou consumidores em diversos países para entender como diferentes gerações estão fazendo seus pagamentos e gastando seu dinheiro desde o início da pandemia.

O resultado é que cerca de 25% das pessoas já fazem compras via redes sociais e os cartões de crédito seguem dominantes entre os consumidores de todas as idades.

No Brasil as carteiras digitais já são utilizadas por praticamente 40% dos consumidores, o que mostra claramente o avanço da transformação digital nos pagamentos. 

Enterprise SaaS mostra sua resiliência no modelo de assinaturas

De acordo com o relatório Subscription Economy Index referente ao primeiro quadrimestre de 2021, publicado pela Zuora, o Enterprise SaaS continua a prosperar no cenário de crise.

O crescimento anual do ARPA (definido como taxa de crescimento da receita média por conta), mais do que dobrou de 6% no quarto trimestre de 2020 para 13% no primeiro trimestre de 2021. 

Isso mostra o crescimento acelerado em termos de receita média por contas, já que a resiliência do modelo depende do aumento da receita dos clientes atuais. 

De acordo com o benchmark SEI, de economia da recorrência, em média 70-80% da receita de assinaturas de alto crescimento bem-sucedido devem vir dos clientes existentes.

Uma das estratégias para manter esse crescimento em assinaturas é utilizar uma análise preditiva, que cruza dados para identificar futuras demandas e comportamentos dos clientes.

Confira a variação, em porcentagem, do crescimento anual do Enterprise SaaS no gráfico abaixo:

Imagem do gráfico 'Enterprise SAAS, ARPA Growth annualized"

Indicadores econômicos

Neste mês, o destaque dos indicadores econômicos é o aumento da confiança do consumidor, que vinha apresentando quedas há meses.

O resultado é reflexo do avanço da vacinação do país, que está renovando as esperanças na superação da crise.

Por outro lado, a alta nos custos da energia elétrica, gasolina, gás e etanol seguem pressionando os índices de inflação.

Vindi Insights

Confira também o glossário de cada índice:

Vindi Insights

TPV da Vindi

Após uma queda de 3,2% em abril, o TPV da Vindi voltou a crescer no mês de maio.

O aumento foi de 4% em comparação com abril de 2021, e o crescimento é de 71% em relação a maio de 2020.

Os segmentos com maior crescimento de volume financeiro na comparação entre maio de 2020 e maio de 2021 foram Turismo e Hotelaria (808%) e Seguradoras (295%).

Na variação mês a mês, se destacaram Turismo e Hotelaria (134,5%), SaaS (16,8%) e Fitness (16,8%).

Já o crescimento anual mais tímido foi o da Educação, com apenas 2%, enquanto o item Associações e Doações registrou queda de 25,2% em relação ao mês anterior.

Vindi Insights

Em relação aos segmentos, a composição do TPV da Vindi sofreu várias alterações ao longo da pandemia.

Atualmente, o SaaS continua aumentando sua representatividade, com um aumento de 3,5 p.p. em relação ao mesmo período do ano passado. 

Por outro lado, o segmento de educação continua em queda: após cair apenas 1,1 p.p. em abril, acabou tendo uma queda brusca de 8,8 p.p. em maio de 2021, em relação a maio de 2020. 

Vindi Insights

Distribuição dos meios de pagamento

Na distribuição dos meios de pagamento, a carteira digital segue em queda mês a mês, enquanto o cartão de crédito cresce. 

Na comparação anual, o cartão de crédito saltou 27%, e o aumento mensal foi de 2%.

O débito em conta também teve um bom desempenho anual (crescimento de 40%), mas apresentou mais uma queda mensal consecutiva, de 7,1% (no mês anterior, foi de 9,7%).

Vindi Insights

TPV por segmento

Agora vamos conferir a evolução do TPV por segmento dos clientes Vindi:

infográfico apresenta a % de transações de cada segmento atendido pela vindi

  • Turismo e hotelaria: teve o maior crescimento de todos os segmentos, com alta de 134,5%. Mesmo sem o maior player, 76% dos clientes ainda tiveram resultado positivo
  • SaaS: cresceu 16,8% em maio, graças a um grande cliente que representa sozinho 29% do TPV. Sem seu principal player, ainda teve variação positiva de 14%
  • Fitness: teve alta de 16,2%, com o principal player tendo crescido 10,7%
  • Clube de assinaturas: cresceu 11,4%, mas deve muito ao player que representa 51,1% do segmento. Sem ele, cresceu 4,2%
  • Saúde: teve variação positiva de 6,4%, que teria sido de 3,5% sem seu principal player
  • Educação: depois de uma leve queda em abril, alcançou uma variação positiva de 2,7% em maio. No entanto, um dos clientes conseguiu crescer 253%, enquanto o maior player caiu 6,7%
  • E-commerce: teve leve alta de 1,5%, com seu principal representante crescendo 7%. A maioria dos clientes teve variação negativa, e apenas um deles alcançou crescimento de 71%
  • Estética e beleza: teve uma pequena alta de 0,7%, mostrando estabilidade em relação a abril. Na média, 53% dos clientes tiveram variação positiva e 44% negativa
  • Serviços financeiros: alta sutil de 0,4%, com boa parte dos clientes mostrando um TPV estável. O principal player teve alta de 3,9% e, sem ele, a queda foi de 2,5%
  • Associações e doações: teve uma queda considerável de 25,2%, devido à variação negativa de 28% de um de seus principais representantes
  • Seguradoras: após um elevado crescimento de 64,2% em abril, apresentou uma queda natural de 19,3%. O motivo foi um dos principais players ter caído 25,8% no mês (sem ele, haveria um leve aumento de 3,4%).

Agora você tem informações confiáveis sobre o mercado da recorrência, que podem ser úteis na sua tomada de decisão.

Continue acompanhando o Vindi Insights para ficar por dentro da evolução dos nossos números.

Reduza a inadimplência e a evasão escolar