A pré-autorização no cartão de crédito funciona baseada em uma lógica parecida com a daquele antigo ditado: “o seguro morreu de velho”.

Trata-se de uma garantia.

Nunca é demais relembrar que, no Brasil, a inadimplência é um problema que aflige a maior parte das empresas que vendem a prazo.

Ainda que a taxa de inadimplentes felizmente esteja em queda, por outro lado, o endividamento familiar vem aumentando, com 74% das famílias brasileiras suportando algum tipo de débito.

Nesse cenário, medidas como a pré-autorização são altamente indicadas para proteger as finanças do seu negócio e também o bom relacionamento com o cliente.

Entenda como funciona e suas vantagens!

O que é a pré-autorização em cartões de crédito?

Toda operadora de cartão de crédito trabalha com limites.

Ou seja, cada portador de cartão tem direito a um certo valor para gastar por mês, cobrado apenas na fatura do mês seguinte.

Acontece que, em certos tipos de negócio, o cliente precisa apresentar garantias de pagamento em razão da natureza do serviço prestado.

O melhor exemplo disso são as locadoras de veículos, que cobram um valor a título de seguro para cobrir eventuais danos nos carros.

Com a pré-autorização, em vez de efetivamente debitar esse valor, a empresa limita-se a fazer uma consulta de saldo disponível no cartão do cliente.

Se esse saldo for suficiente para cobrir a possível despesa, ele fica pré-reservado, deixando de fazer parte do limite do cartão temporariamente.

Diferença entre pré-autorização e transação de verificação

É importante entender que a pré-autorização não é a mesma coisa que a transação de verificação.

A transação de verificação tem o objetivo apenas de verificar a validade do cartão no exato momento que o cliente cadastra no sistema, sem criar nenhum tipo de cobrança ou reserva nesse momento.

Um exemplo de uso popular da transação de verificação são os serviços de streaming que oferecem um período de uso gratuito, mas exigem a inserção do cartão de crédito no momento do cadastro. Isso garante que, mesmo não realizando a cobrança neste momento, a validade deste cartão será confirmada para, posteriormente, cobrar do cliente.

O que significa pagamento pré-autorizado?

Em certos casos, as vendas realizadas por algumas empresas são feitas mediante pagamento pré-autorizado.

Quando isso acontece, significa que o pagamento não foi consumado.

O que há, na verdade, é apenas a reserva de uma parte do limite do cartão de crédito para a realização de uma compra ou despesa futura.

Se o negócio for concluído, aí sim o valor é debitado no cartão de crédito e cobrado na fatura seguinte.

Caso não haja limite na data estipulada ou o cliente desista da compra, o limite é restituído, voltando a compor o saldo restante do cartão.

Diferenças para o limite de crédito

A pré-autorização pode ser confundida com um crédito extra, afinal, é possível de acontecer mesmo que o limite do cartão de crédito tenha sido ultrapassado no ato da compra.

Por exemplo: imagine que o cartão de um cliente tem limite de R$ 700 e que, no momento de uma reserva no valor de R$ 100, ele só tenha R$ 50 disponíveis.

Ainda assim, a pré-autorização poderá ser feita normalmente, já que em geral ela cobre períodos de até 30 dias.

Se nesse meio tempo o cliente voltar a ter a margem necessária, a reserva poderá ser feita quando chegar o dia de liquidá-la.

Como se vê, a pré-autorização é uma operação que depende do limite de crédito disponível, mas não deve por isso ser considerada como uma margem a mais.

Como funciona a pré-autorização no cartão?

O mecanismo de funcionamento da pré-autorização é idêntico ao de uma compra comum.

No momento da aquisição, o cliente apresenta o seu cartão de crédito que, como tal, terá o seu limite consultado por quem vende por meio da operadora.

Se for solicitada uma reserva, caução ou garantia, a pré-autorização entra em cena e realiza o imediato desconto do saldo do cartão.

Significa que, se essa compra for no valor de R$ 100 e o cliente tiver R$ 500 de limite para gastar, a partir da pré-autorização ele passará a ter R$ 400.

Esse limite voltará ao normal quando chegar a data de liquidar a compra ou caso o cliente desista da compra ou reserva.

Vantagens da pré-autorização em cartões de crédito

Como forma de pagamento, o limite pré-autorizado traz consigo uma série de vantagens e facilidades, tanto para quem vende quanto para quem compra.

A principal delas, como vimos, é eliminar o risco da inadimplência, já que o valor retido no cartão de crédito fica garantido.

Essa é, portanto, uma opção indispensável para negócios que operam em um contexto de incerteza, sobre os quais vamos comentar mais à frente.

É ainda uma boa opção para quem trabalha com receitas recorrentes e usa os recebíveis como margem para obter adiantamentos ou empréstimos.

E existem ainda outras vantagens a se considerar, como vamos ver na sequência.

Acompanhe:

Para o empreendedor

Como vimos, a pré-autorização blinda a empresa da inadimplência, uma vez que, por ela, a parte do limite do cartão de crédito do cliente fica reservada para o pagamento.

Além disso, esse tipo de operação evita os sempre desgastantes processos de reembolso, nos quais o cliente tem o valor de uma compra devolvido, seja por desistência ou qualquer outro motivo.

Outra vantagem bastante considerável é que a pré-autorização evita os chargebacks fraudulentos, já que são feitas verificações adicionais contra fraudes.

Vale destacar, ainda, que esse método também dá tempo ao vendedor para conferir se um pedido realizado está em inventário.

Se estiver, a compra segue normalmente.

Se não, o cliente tem o seu limite do cartão restituído.

Para o cliente

O consumidor também ganha quando faz uma compra ou reserva via pré-autorização.

Como acabamos de ver, uma das vantagens para quem compra é evitar pagar por um artigo que não esteja disponível, evitando assim processos de reembolso.

Ajuda também a evitar a frustração por ter pago por um item que não poderá ser entregue, preservando assim o bom relacionamento com suas marcas preferidas.

Não menos importante, a pré-autorização acaba protegendo o próprio bolso do consumidor, que fica obrigado a respeitar o limite imposto pelo seu cartão de crédito.

Negócios que utilizam a pré-autorização

A pré-autorização pode ser utilizada em praticamente qualquer tipo de venda paga com cartão de crédito.

No entanto, ela se encaixa melhor com certos tipos de negócios, em razão da exigência por garantias de pagamento.

A maioria deles compõe o setor de serviços, que trabalha com bens intangíveis, ou seja, que não são materiais.

Dessa forma, a empresa vende algo que, na prática, não tem existência física, devendo por isso se cercar de certos cuidados para não ser lesada (e nem lesar o consumidor).

Veja a seguir quais são os mais comuns deles:

Companhias aéreas

Passagens aéreas são comumente vendidas pelo mecanismo de reserva, em que um cliente paga para ter o direito de ocupar um assento em um determinado voo.

Nesse caso, a pré-autorização é perfeita, porque permite à companhia aérea saber quem pode pagar pela passagem, ainda que a compra não seja realizada na hora.

É também uma forma de aumentar a segurança em transações eletrônicas, por meio das verificações que são realizadas durante a pré-autorização.

Hotéis

De forma parecida com o que fazem as companhias aéreas, hotéis, albergues e casas no Airbnb também trabalham com reservas.

Nesse caso, a diferença é que o valor pré-autorizado serve para garantir que o cliente ocupe o quarto na data reservada.

Dessa maneira, a empresa evita que o quarto seja reservado por um período para um cliente que não vai ocupá-lo, podendo assim mantê-lo disponível o máximo de tempo.

Também é uma forma de lançar valores de diárias, de modo a realizar o débito no cartão apenas no momento do check-out.

Locadoras de veículos

Como vimos, as locadoras de veículos recorrem constantemente à pré-autorização para cobrir valores relativos ao seguro dos carros.

Agindo dessa forma, elas evitam que o cliente tenha que pagar por uma despesa que não será necessária, enquanto garantem o ressarcimento por eventuais danos.

O cliente fica satisfeito, já que não terá que arcar com um custo que não gerou, e a locadora, mais segura, sabendo que seu patrimônio estará 100% protegido.

Cabe mencionar que o cliente tem direito a ser ressarcido, caso a locadora cobre por danos que não possam ser comprovados, mesmo que tenha feito uma pré-autorização.

E-commerce

Por mais seguras que as transações eletrônicas sejam hoje em dia, sempre há o risco de uma transação fraudulenta para quem opera no e-commerce.

É o que acontece, por exemplo, com cartões clonados ou roubados.

Se uma compra assim é autorizada, a loja fica depois obrigada a arcar com todos os custos da operação e ressarcir a pessoa lesada.

A pré-autorização traz mais garantias porque, como vimos, ela é feita mediante diversas verificações de segurança.

Além disso, dá tempo para que a empresa detecte eventuais inconsistências nos dados apresentados, podendo assim reverter uma transação a tempo.

Também evita os já destacados chargebacks fraudulentos, nos quais uma compra é feita com cartões clonados ou roubados, cujo valor é estornado de forma indevida.

Como a Vindi ajuda seu negócio

A Vindi é a parceira número 1 das empresas que precisam automatizar pagamentos online, aumentar a eficiência operacional e reduzir a inadimplência. 

Nós apoiamos empresas em todos os seus processos de pagamento, conciliação e cobrança.

Você vende mais e melhor, sabendo que estará protegido por uma plataforma feita para transações mais seguras.

Rate this post

Write A Comment