A moradia por assinatura é a mais nova tendência que está conquistando o mercado imobiliário.

A recorrência chegou ao mercado dos aluguéis, trazendo mais conveniência, flexibilidade e praticidade para os moradores e proprietários.

Já é possível assinar um imóvel pela internet com todas as contas básicas incluídas pelo tempo que o cliente quiser, sem burocracia. Evitando toda a dor de cabeça de um contrato de aluguel tradicional e burocrático.

A seguir, vamos entender como funciona a moradia por assinatura, o que são as proptechs e por que sua empresa precisa aproveitar essa oportunidade.

Leia com atenção e veja como adotar o modelo.

Moradia por assinatura: o que é e como funciona?

Moradia por assinatura é uma nova modalidade de locação de imóveis que vem transformando o mercado imobiliário.

São contratos de aluguel mais flexíveis e menos burocráticos, que podem ser fechados em curto prazo, pela internet e sem a necessidade de comprovação de renda ou fiador.

O usuário pode assinar um imóvel por um prazo que varia entre 30 dias e 36 meses e não precisa se preocupar com despesas como água, luz, gás, IPTU e internet, que costumam estar inclusas no pacote.

Para facilitar ainda mais a vida do assinante, são oferecidos serviços extras de limpeza, manutenção e lavanderia.

Além disso, após um tempo mínimo de permanência (30 dias, de modo geral), o usuário pode mudar de imóvel, renovar a assinatura ou cancelar o serviço com rapidez e conveniência.

Ou seja: é o modelo de recorrência sendo aplicado aos imóveis, priorizando o acesso no lugar da propriedade e transformando a moradia em um serviço por assinatura.

Como e onde surgiu essa tendência?

A tendência da moradia por assinatura surgiu na Europa, onde já é possível alugar imóveis por horas, dias ou semanas com total flexibilidade.

Lá, os consumidores priorizam a mobilidade e não é necessário enfrentar toda a burocracia de contratos de longo prazo, comprovação de renda, multa rescisória, entre outras dores de cabeça comuns no Brasil.

Por aqui, o mercado imobiliário não teve o mesmo caminho evolutivo.

Segundo a pesquisa “O Mercado de Locações Residenciais em São Paulo, no Brasil e no Mundo”, feita pela RExperts em parceria com a YUCA, o mercado de aluguéis enfrentou muitos problemas de regulação na história do país.

Antes da promulgação da Lei do Inquilinato de 1991, as relações entre inquilinos e proprietários envolviam uma série de conflitos, gerando aumento de preços, moradias informais e despejos.

Somente a partir desse marco legislativo é que a locação passou a ser interessante para proprietários, dando fôlego ao mercado imobiliário profissional.

Ainda assim, a mentalidade da casa própria financiada por anos em detrimento do aluguel ainda é muito forte entre a população.

Essa ideia só começou a mudar, de fato, a partir da transformação digital e da mudança de hábitos de consumo que a recorrência trouxe ao mercado, como veremos a seguir.

Mudança no comportamento dos consumidores: da propriedade para a recorrência

Aqui na Vindi, estamos sempre falando sobre a grande transformação que a economia da recorrência representa no comportamento dos consumidores.

Com o surgimento das assinaturas, os produtos são transformados em serviços, e o acesso se torna mais importante do que a propriedade.

Um exemplo clássico são os serviços de streaming, que permitem que você acesse filmes e séries online de forma prática, sem precisar possuí-los como na época em que predominavam o VHS ou o DVD.

Da mesma forma, vale mais a pena assinar um software no modelo SaaS (Software as a Service) e pagar apenas pelo que você usa do que ter dores de cabeça com manutenção adquirindo licenças permanentes de software.

De modo geral, é muito mais conveniente pagar um valor justo pelo acesso a serviços prontos do que ter custos e trabalho com a manutenção de uma propriedade.

E claro que, uma hora ou outra, essa ideia chegaria ao mercado imobiliário.

Hoje, a moradia por assinatura torna possível a aplicação da recorrência nos aluguéis, deixando para trás um mercado engessado que já não atende às necessidades dos consumidores.

Com a pandemia de covid-19, aumentou ainda mais a demanda por flexibilidade, qualidade de vida e redução da burocracia nas locações.

Então, é natural que as pessoas prefiram assinar um imóvel com todas as comodidades incluídas em um preço fixo mensal, com total liberdade para mudarem de endereço na hora que quiserem.

No quesito financeiro, os valores costumam compensar mais do que um contrato de locação de longo prazo tradicional, uma vez que várias despesas já estão inclusas e não é preciso pagar multa em caso de saída antecipada ou pagar seguro-fiança, por exemplo.

Vantagens das proptechs

Proptechs, do inglês Property Technology, são startups que desenvolvem soluções tecnológicas para propriedades no mercado imobiliário.

Elas são as responsáveis pelo surgimento da moradia por assinatura e, pouco a pouco, estão conquistando seu espaço no mercado brasileiro.

Confira as principais vantagens que essas empresas oferecem:

Para os moradores

Aumenta cada vez mais o número de pessoas que procuram opções mais flexíveis e convenientes para moradia, principalmente entre os jovens.

Nesse sentido, os apartamentos por assinatura oferecem uma série de vantagens:

  • Não há exigência de comprovação de renda, fiador ou seguro-fiança (em alguns casos, é feita análise de crédito, mas na maioria das vezes basta ter um cartão de crédito com limite suficiente)
  • Os preços são competitivos, uma vez que os pacotes incluem todas as contas, ao contrário dos contratos de locação comuns que incluem apenas aluguel, condomínio e IPTU
  • Os imóveis já vêm mobiliados, reformados e equipados com tecnologia de ponta proporcionada pelas proptechs, além de terem localização privilegiada em grandes centros urbanos
  • A assinatura com as proptechs é feita pela internet e existem várias durações de contratos disponíveis, além de formas de pagamento como cartão de crédito, débito ou boleto.

Para os proprietários

Para os proprietários, a moradia por assinatura é uma grande oportunidade de investimento que também representa mais conveniência.

Confira as vantagens de entrar nesse mercado:

  • As proptechs se responsabilizam pela mobília, decoração e equipamentos do imóvel para aumentar a rentabilidade
  • As proptechs fazem a gestão completa do imóvel, com direito a vistoria de entrada e saída, acompanhamento da performance online e precificação dinâmica e inteligente
  • Basta assinar um contrato digital para disponibilizar o imóvel para assinatura
  • A rentabilidade é altamente competitiva.

Para as empresas

Para as proptechs, a moradia por assinatura vem se mostrando um negócio promissor.

Veja os benefícios para essas empresas:

  • O público interessado em moradia por assinatura cresce cada vez mais
  • As proptechs vêm recebendo grandes investimentos pelo potencial de rentabilidade do negócio
  • Com o aumento da demanda, os preços tendem a cair e se tornar ainda mais competitivos.

Para você ter uma ideia, a Housi, considerada a primeira plataforma de moradia por assinatura do país, já conseguiu atrair 50 mil locatários em pouco mais de um ano, resultando em um aporte de mais de R$ 50 milhões do fundo Redpoint eventures.

Confira a participação da Housi no evento Recorrência 2021 da Vindi:

Modelos de proptechs, a moradia por assinatura

As proptechs oferecem diferentes modelos de moradia por assinatura para seus clientes.

Conheça os principais:

Cohousing

O cohousing é uma modalidade de moradia por assinatura que se parece com uma pequena vila privativa.

Nesse caso, as pessoas moram em apartamentos ou casas individuais, mas possuem áreas comuns como lavanderia, jardim, cozinha e áreas de lazer.

Dessa forma, é possível economizar recursos e socializar ao mesmo tempo em que se assina um espaço individual.

Coliving

No coliving, o imóvel é dividido entre vários assinantes que aceitam dividir o espaço, com quartos individuais ou compartilhados.

Em alguns casos, há banheiros e cozinhas individuais, mas espaços como salas de convivência, jardins, lavanderias e salas de jantar são sempre compartilhados.

É um modelo mais econômico, mas que exige um perfil mais sociável e colaborativo dos moradores.

Individuais

A moradia por assinatura individual é a modalidade mais popular, que consiste em alugar um imóvel 100% privado para uma ou duas pessoas.

Nesse caso, os valores são mais altos e o espaço costuma ser reduzido. 

Como imobiliárias podem aproveitar o modelo para gerar mais receita?

As imobiliárias devem ficar atentas à tendência da moradia por assinatura e se inspirar nas proptechs para lucrar com esse novo modelo de negócio.

A dica é investir em tecnologia para oferecer opções de locação flexível, uma vez que o público interessado nesse tipo de solução só aumenta.

O mais importante é ter ferramentas digitais e processos para viabilizar o modelo de assinatura, que exige automação de tarefas e eliminação da burocracia para os usuários.

Recorrência é com a Vindi

Se você quer adotar a tendência de moradia por assinatura na sua imobiliária, pode começar pela automação dos pagamentos.

Com a plataforma da Vindi, você consegue automatizar todo o processo de cobrança, gerenciar assinaturas e oferecer diversos meios de pagamento aos seus clientes de forma ágil e descomplicada.

Além disso, conta com recursos de recuperação de inadimplência essenciais para proteger as finanças do seu negócio no modelo recorrente.

Para começar essa revolução na sua empresa, baixe nosso Kit da Recorrência gratuito e veja como adotar o formato passo a passo.

Rate this post

Write A Comment