5 Dicas para quem quer começar a vender para o exterior

Cotações de dólar e euro altas te preocupam? Você já considerou fazer isso jogar a seu favor? Sites como AliExpress e Amazon vêm de países que encabeçam os rankings de números de usuário da internet: China e Estados Unidos respectivamente. Mesmo assim, foi ao vender para o exterior também que eles chegaram a esse sucesso de faturamento.

O Brasil tem o quarto maior número de internautas no mundo, ok. Mas se você pode vender para quem paga em uma moeda estrangeira, mais forte, através do mesmo canal, por que não investir nisso?

Não estamos falando apenas de importação e exportação. Se seu produto é digital, fica ainda mais fácil. Quem trabalha com cursos online, por exemplo, está a um passo de deixar de atender apenas brasileiros para dar voos maiores mundo afora. Imagine que você tem uma escola de programação na web. Só de você traduzir seu material, já pode abrir espaço para alunos estrangeiros.

Viu como é fácil? Se até quem vende produto físico e precisa atravessar o mundo para entregar tem se dado bem – e não estamos falando só dos grandes players –, por que não vender seu produto ou serviço para além do Brasil também, sendo que não há barreiras físicas?

Um britânico pode achar comum pagar 3 libras em uma garrafa d’água. Isso significa mais de 10 reais por uma aguinha! Tá, você não vai embalar água aqui e vender a britânicos pela internet, mas pode ver que produtos ou serviços se encaixariam melhor. Nesses países, ganha-se mais, mas também o custo de vida tem sido maior, por causa da diferença em relação ao real.

É comum, por exemplo, ver indianos prestando serviços de tecnologia. Um americano que o contrata pode achar que está pagando pouco, mas, diante do baixo custo de vida desse indiano em seu país, a renda para ele pode ser grande! Bom para os dois lados!

Da mesma forma, isso pode acontecer com o Real para você faturar acima da média.

Apesar de simples, é preciso ficar atento a alguns pontos. Vamos vê-los:

Como começar a vender para o exterior

Conheça a cultura estrangeira

Não adianta querer vender arroz com feijão pra quem tem costume de comer sushis e sopas no almoço ou então oferecer serviços de publicidade no Google para um chinês, sendo que o buscador é bloqueado no país asiático. Também, veja se há interesse ou necessidade do consumo do seu produto.

Regulamentações

Cuidado com a legislação. Vender um box de cafés brasileiros mensalmente a gringos seria incrível, mas saiba que existem muitas restrições jurídicas para essas e outras coisas. As restrições também podem vir não só do Brasil, mas o país no qual você pretende trabalhar.

Tradução

Às vezes só basta traduzir seu material e ele já está pronto para outros mercados. Sendo isso ou não, é sempre bom ter uma descrição correta do que você está vendendo. Também, é bom investir em marketing na língua dos prospectivos clientes.

Logística

Neste caso, isso envolve mais quando há envios de produtos. Se esses produtos forem digitais ou forem serviços, esse problema já não existe.

Métodos de pagamento

Ter o método que o cliente prefere disponível, reduzir burocracias e agilizar o processo. Conseguir o cliente pode ser uma coisa, mas garantir o recebimento desse dinheiro de quem está disposto a te contratar é outro ponto a se planejar. Também, fiquei atento aos quais existem menos desconto de impostos.

Talvez o método mais popular nesse sentido seja o PayPalplataforma de pagamento on-line, na qual milhões de negociações são realizadas pela transferência de dinheiro de uma maneira segura e rápida.

O envio e recebimento de pagamentos on-line através do Paypal é um dos métodos mais populares entre os usuários que compram no exterior. Foi por isso que a Vindi resolveu integrar o modelo à plataforma e oferecê-lo como uma opção de recebimento para quem vende online é quer expandir os negócio com a venda para o exterior.

 

Jornalista que passou por redações de entretenimento, varejo e economia, mas acabou se apaixonando por marketing digital e hoje atua em suas principais vertentes.