As empresas B2C, que lidam diretamente com consumidores, devem conhecer os tipos de cobrança dos quais podem lançar mão para reaver pagamentos não recebidos. 

Hoje, existe um alto índice de clientes inadimplentes no país, número agravado ainda mais pela pandemia de Covid-19. Só para você ter uma ideia, esse ano o índice que mede o endividamento dos brasileiros atingiu o maior índice da série história da Confederação Nacional do Comércio (CNC): 67% da população é inadimplente.

Portanto, inadimplência é um assunto sério, mas é importante que você saiba que sua empresa não está sozinha. Existem ferramentas e dicas para que você recupere suas vendas.

Além disso, o Código de Defesa do Consumidor proíbe as empresas de realizarem qualquer cobrança mais invasiva. Entenda, assim, no post de hoje, quais tipos de cobrança ao cliente inadimplente são viáveis e mais efetivos de se fazer!

Você pode acompanhar o post completo ou clicar para ler diretamente o item de seu interesse:

Régua de cobrança

Antes de entrarmos nas formas de cobrança existentes, precisamos falar da régua de cobrança como um importante método para saber quando e como cobrar um cliente.

Basicamente, ela é uma regra que as empresas estabelecem para cobrar os clientes de forma sistemática: cobrar não só no sentido da inadimplência, mas dos pagamentos normais também. 

A régua de cobrança tem esse nome porque ela acompanha uma linha metrificada de ações. Ela funciona baseada em datas específicas, como: data inicial da fatura, data final e comunicações entre esses períodos. Nesse exemplo, as ações de uma régua de cobrança poderiam ser:

  • Envio de fatura por e-mail com antecedência ao vencimento;
  • Lembretes de pagamento por SMS, próximos à data do vencimento;
  • Disparo de comunicação de inadimplência, em caso de não pagamento.

Para começar a definir a régua de cobrança da sua empresa, é preciso identificar as oportunidades para conversar com o seu cliente, com o objetivo de receber o pagamento.

> Entenda tudo sobre Régua de cobrança: como cobrar via boleto, cartão e débito em conta com sucesso

6 tipos de cobranças para o seu negócio

Os tipos de cobrança variam, principalmente, de acordo com o meio de comunicação utilizado pela empresa e com o tipo de abordagem ao cliente.

Resumidamente, ter uma comunicação de cobrança eficiente é fundamental para manter o fluxo do caixa da sua empresa saudável e sob controle. 

Para isso, as empresas devem analisar alguns fatores, como: qual a forma mais eficiente de alcançar o seu público; qual o tamanho da base de clientes inadimplentes e qual o nível de endividamento de cada um.

Na prática, empresas que precisam cobrar centenas, milhares e até milhões de clientes, devem ter um sistema de cobrança automatizado para facilitar o envio de notificações.

Abaixo, vamos listar algumas formas de cobrança, os prós e contras de cada um, e em que casos são indicadas:

1. Cobrança por telefone

Esse tipo de cobrança é o modo mais tradicional de cobrar clientes. O setor da empresa responsável pelas cobranças realiza ligações para avisar a dívida e alertar o cliente sobre cortes e multas.

Prós:

  • Alcança qualquer tipo de público, pois a maior parte da população tem um telefone ou um aparelho celular;
  • É uma forma de cobrança difícil de ignorar.

Contras:

  • Despesas financeiras com ligações;
  • É um tipo de contato mais demorado, e que exige tempo da mão de obra da empresa;
  • Fricção no relacionamento com o cliente.

Quando é indicada:

  • Empresas pequenas, que precisam cobrar apenas um pequeno número de clientes;
  • Empresas grandes que possuam algum tipo de automação na mensagem de cobrança das ligações.

2. Cobrança por SMS

As cobranças por SMS no celular consiste em enviar uma mensagem de texto para o cliente, lembrando-o da sua dívida. Adicionalmente, ela pode conter o código do boleto para pagamento.

O SMS pode ser enviado até mesmo antes do pagamento vencer, atuando como uma prevenção à inadimplência.

> Veja aqui nossas dicas sobre como usar a cobrança por SMS nas suas vendas.

Prós:

  • É menos invasivo e mais conveniente;
  • Mais barato;
  • Pode ser automatizado.

Contras:

  • A mensagem pode cair na caixa de spam do celular do cliente;
  • O texto deve ser curto.

Quando é indicada:

  • Empresas de qualquer porte que desejam um tipo de cobrança mais automatizado.

3. Cobrança via canais digitais

A cobrança por canais digitais existe principalmente na forma de e-mail aos clientes inadimplentes.

Prós:

  • Plataformas de disparo de e-mail gratuitas;
  • Pode ser automatizado;
  • Não invasivo;
  • Permite uma comunicação mais elaborada com o cliente.

Contras:

  • Pode cair na caixa de spam do destinatário e não ser visto.

Quando é indicada:

  • Empresas de pequeno a médio porte que desejam um tipo de cobrança automatizado e com uma mensagem mais elaborada.

> Veja mais: 5 dicas sobre como diminuir a inadimplência

4. Cobrança por carta

A cobrança por carta é um método mais tradicional de comunicar ao cliente sua dívida, além de uma possível negativação de crédito. Também pode ser acompanhada de boleto para o pagamento da dívida.

Prós:

  • Pode ser registrada para ser mais viável à empresa comprovar sua comunicação com o cliente.

Contras:

  • Mais impessoal;
  • Não é instantâneo (tempo de entrega);
  • Não abre um canal de diálogo com o cliente.

Quando é indicada:

  • Empresas de médio e grande porte que desejem formalizar a cobrança de modo mais sério.

5. Cobrança por assessoria jurídica

Esse tipo de cobrança ocorre em um nível de dívida mais elevado: acima de 90 dias e com tentativas anteriores mal sucedidas. Nesse modelo, a empresa contrata uma assessoria jurídica, composta por advogados, para reaver a dívida judicialmente. Assim, as tratativas com o cliente saem das mãos da empresa e passam para o nível da justiça.

Prós:

  • A empresa não precisa mais se envolver diretamente com a cobrança;
  • Suporte profissional.

Contras:

  • Despesas com a contratação da assessoria;
  • Prazos indefinidos para a resolução do problema;
  • Quebra de relacionamento com o cliente.

Quando é indicada:

Independentemente do porte da empresa, essa opção é indicada apenas para situações que já não conseguem ser resolvidas com cobranças tradicionais.

> Leia também: Vindi recupera R$ 80 milhões em inadimplência

6. Cobrança por Plataformas de Pagamento

Plataformas de pagamentos, como a Vindi, são serviços que operam os meios de pagamento de empresas, como cartões e boletos. Além disso, automatizam as cobranças por meio do pagamento online e previnem a inadimplência por uma régua de cobrança e diversas funcionalidades.

Prós:

  • Serviço completo de prevenção e recuperação de inadimplência;
  • Praticidade de rastreio de inadimplência por meio de relatórios da plataforma;
  • Disparo automático de notificações de cobrança aos clientes com pagamentos pendentes, por e-mail ou SMS;
  • Facilidade para estipular uma régua de cobrança personalizada para ter mais flexibilidade na comunicação com o cliente.

Contras:

  • As plataformas de pagamentos não são gratuitas.

Quando é indicada:

Para empresas de diversos portes, com uma carteira de clientes consolidada, que desejem mais controle dos pagamentos para prevenir a inadimplência e contar com recursos automatizados de cobrança, caso precise.

Além da régua de cobrança, a Vindi possui mais recursos para empresas que buscam o controle de inadimplência, como:

  • Retentiva simples: no caso de pagamentos reprovados por falta de saldo do cliente, a plataforma envia novas tentativas para realizar essa cobrança de forma automática;
  • Atualização automática de cartões: funcionalidade para atualizar, de forma automática, cartões de crédito expirados e reemitidos.

Aqui, focamos nos principais tipos de cobrança que você pode ter. Mas, se você deseja saber tudo que a Plataforma da Vindi oferece, solicite sua demonstração gratuita hoje mesmo!