Se sua equipe de tecnologia ou você ainda não tinha ouvido falar sobre o que é webhook, neste artigo falaremos sobre isso e qual a importância deste recurso para a sua empresa.

Além disso, esse texto, inspirado em um documento da Sendgrid, ilustra de forma simples o porquê sua equipe de tecnologia deve conhecer.

Portanto, se você quer facilitar o envio e recebimento de informações, com segurança e agilidade, continue lendo e descubra as vantagens dos webhooks!

O que é webhook?

Webhook é uma forma de recebimento de informações, que são passadas quando um evento acontece.

Dessa forma, o webhook na prática, é a forma de receber informações entre dois sistemas de uma forma passiva.

Além disso, o webhook (também conhecido como retorno de chamada web ou HTTP e, ainda, impulso API) é uma maneira prática para um app ou sistema fornecer outras aplicações com informações em tempo real.

Da mesma forma, ele fornece dados para outros aplicativos, e são muito eficientes tanto para o prestador de serviço, como para o consumidor.

Como funciona o webhook?

A maioria dos webhooks postará dados para você de duas maneiras principais: como JSON (tipicamente), XML ou pelos dados de formulário, por exemplo: (application / x-www-form-urlencoded ou multipart/form-data).

Dessa forma, o seu provedor lhe dirá como isso será entregue ou dará uma escolha de seleção. Ambos são bastante fáceis de interpretar e a maioria dos frameworks web vão fazer o trabalho para você.

No entanto, se não o fizerem, você pode precisar recorrer a outros tipos de funções e ajuda. A gente pode te explicar como funciona nossa aplicação via webhook aqui.

Além disso, para entendermos o que os webhooks fornecem, podemos usar uma ferramenta, como RequestBin, para recolher os pedidos da webhook.

Para isso, é necessário:

  • Testar o código em sua máquina usando uma ferramenta como o ngrok;
  • Assistir todo o fluxo do webhooks, usando uma ferramenta como o Runscope.

Qual é a importância dos webhooks?

Imagine que você tem uma loja virtual, e quer crescer dentro do segmento e-commerce. Para que isso aconteça, você sabe que precisa otimizar o máximo de tarefas possível, com um orçamento enxuto.

Um webhook funcionaria para, por exemplo, te dar informações do extrato das suas vendas em tempo real, sem que você precise ficar pesquisando por períodos.

Basta acessar e pronto! A atualizações são feitas a todo momento, e você ganha muito mais agilidade para fazer qualquer tipo de consulta.

Como criar e implementar um webhook?

Em primeiro lugar, a segurança de um webhook precisa ser a prioridade. Por isso, é fundamental que você tenha parceiros especialistas, e que consigam garantir essa transferência de dados com assertividade.

Dessa forma, vamos entender nos próximos tópicos o que ter em mente ao implementar um webhook e como proteger a esse recurso de invasores e hackers.

O que ter em mente ao criar webhook?

Webhooks entregam os dados para o seu aplicativo. Isto significa que se a sua aplicação tem um erro de dados, os mesmos podem ser perdidos.

Além disso, muitos webhooks vão prestar atenção às respostas e solicitações de reenvio, principalmente, se seu aplicativo constantemente apresentar erros.

Se o seu pedido for processado e ainda houver esses erros, pode haver dados duplicados em seu aplicativo. Entenda como o seu webhook provedor lida com as respostas de cada ação, para que você possa se preparar para a possibilidade de erros de aplicação.

Da mesma forma, a grande vantagem é que os webhooks podem fazer vários pedidos ao mesmo tempo. Verifique se o seu aplicativo pode manipular a escala esperada de seu webhook.

Portanto, a melhor maneira de compreender verdadeiramente um webhook é tentar um serviço que se adeque à sua necessidade.

Felizmente, muitos serviços usam webhooks; assim, você pode facilmente aprender com eles e conhecer sobre todo o conteúdo referente ao sistema.

Como proteger um webhook?

A maneira mais fácil de fazer (e o que você deve executar) é forçar conexões TLS (HTTPS).

Depois de implementar isso, você pode seguir com outras ações e garantir ainda mais uma conexão segura.

A primeira, e mais apoiada, maneira de garantir um webhook seguro, é adicionar alguns componentes à URL, de modo que a identificação da mesma se torne mais complexa, ex: ? auth = TK.

A próxima opção é implementar o Auth Basic, este também é amplamente suportado, e muito fácil de fazer.

As duas primeiras soluções servem para evitar a maioria dos ataques, no entanto, existe a necessidade de confirmação do token de autenticação com o pedido.

Quais as principais plataformas que usam webhooks?

SendGrid

Na Sendgrid, você pode automatizar todos os disparos os seus fluxos de e-mails, com produtos que vão desde templates até relatórios estatísticos.

Além disso, são entregues os dados de eventos e até mesmo análises de e-mails através dos webhooks.

Twilio

Na Twilio, eles fornecem chamadas telefônicas e mensagens de texto usando os webhooks.

No entanto, as soluções da companhia são destaque no mercado quando o assunto é customer service, automação de Marketing e organização de workflow de trabalho.

Github

Com a Github, você tem uma plataforma de desenvolvimento aberta, onde é possível hospedar e revisar códigos, gerenciar projetos e muito mais!

Além disso, a Github atualiza aplicativos sobre os repositórios e as medidas tomadas sobre eles tem ação através dos webhooks.

Conheça mais da parte técnica lendo isso aqui.

Ficou alguma dúvida ou deseja saber mais sobre o assunto? Então, acesse o Blog da Vindi e assine a newsletter!