Você sabe como gerar boleto e oferecer essa forma de pagamento tão popular na sua empresa?

Não há nada mais prático: você emite o título de cobrança, envia para o cliente pagar, aguarda a compensação e recebe o dinheiro diretamente na sua conta

Além disso, é possível fazer o pagamento pelo internet banking, app do banco, carteira digital, no caixa eletrônico, na lotérica e até no caixa do supermercado.

Ou seja: você pode atingir qualquer público e oferecer um meio de pagamento totalmente democrático.

Quer saber como gerar boleto de forma rápida, fácil e automatizada?

Então, siga a leitura e adote essa forma de pagamento na sua empresa. 

O que é o boleto bancário?

O boleto bancário é um título de cobrança que se tornou uma das formas de pagamento mais populares no Brasil.

Basicamente, é um documento com um código de barras e numérico que pode ser emitido por pessoas físicas e jurídicas para receber pagamentos.

Ele é conhecido por ser o meio de pagamento mais democrático, já que qualquer pessoa pode pagar por uma compra com boleto, tendo ou não uma conta bancária. 

De acordo com um levantamento da Febraban publicado em 2019 no Valor Econômico, são emitidos cerca de 3,6 bilhões de boletos todo ano no país. 

Outro estudo da Neotrust em parceria com a Compre & Confie, publicado no blog do Mercado Pago, mostra que 30% dos consumidores online pagam por suas compras com boleto bancário. 

Antigamente, era preciso ir até o banco, caixa eletrônico ou casa lotérica para pagar um boleto.

Hoje, já é possível fazer o pagamento 100% online com o internet banking, app do banco ou carteira digital. 

Reduza a inadimplência e a evasão escolar

Como funciona o boleto?

O funcionamento do boleto é muito simples: o recebedor (cedente) emite o documento em nome do cliente (sacado) e envia o título de cobrança para ser pago. 

Por exemplo, se um cliente faz uma compra em um e-commerce e escolhe o boleto como forma de pagamento, automaticamente a empresa emite o documento por meio de uma plataforma conectada ao banco. 

No caso de serviços por assinatura, a empresa costuma enviar o boleto com antecedência mínima de cinco dias úteis por e-mail ou SMS todo mês.

Então, o cliente faz o pagamento da forma mais conveniente para ele, seja no caixa eletrônico, lotérica, supermercado conveniado, app do banco ou internet banking. 

A partir desse momento, tem início o período de compensação bancária, que é o tempo que o banco leva para confirmar o pagamento e liberar o dinheiro ao recebedor (até 3 dias úteis).

Se estiver tudo certo, o banco dá baixa no pagamento e o dinheiro cai na conta da empresa

Nesse processo, também é cobrada uma taxa da empresa por cada boleto pago, que varia conforme o banco ou intermediador de pagamento. 

Também é importante mencionar que o boleto pode ser pago em qualquer instituição financeira ou estabelecimento conveniado, independentemente se está vencido ou não.

Antigamente, só era possível pagar um boleto vencido no banco que emitiu o documento.

Mas, desde 2018, as mudanças nas regras de cobrança estabelecidas pelo Banco Central do Brasil permitiram que os boletos vencidos fossem pagos em qualquer instituição. 

O que acontece é que o cliente pode precisar emitir uma segunda via após o vencimento e podem ser acrescentadas multas e juros no pagamento.

Raio X do boleto (campo a campo)

O boleto típico é dividido em duas partes: o recibo do pagador, na parte de cima, e a ficha de compensação, logo abaixo.

Veja quais são os principais campos do documento:

  • Beneficiário: pessoa ou instituição que emite a cobrança, ou seja, quem vai receber o pagamento
  • CNPJ / CPF: documento referente ao beneficiário
  • Agência/Código do beneficiário: dados da agência e conta do beneficiário
  • Nosso número: identificação do boleto no software utilizado para sua emissão
  • Local de pagamento/banco: instituição financeira que será responsável pelo processamento do pagamento e liberação do dinheiro na conta do recebedor (normalmente, aparece como “pagável em qualquer banco”)
  • Data de processamento: dia em que o boleto foi gerado
  • Vencimento: data limite para que o boleto seja pago. Caso seja ultrapassada, para fazer o pagamento pode ser necessário atualizar ou emitir uma segunda via do boleto
  • Valor cobrado: valor total a ser pago por meio do boleto
  • Número do documento: número do título definido pelo beneficiário.
  • Desconto, mora, outras deduções e outros acréscimos: variações possíveis que podem incidir sobre o valor do documento em determinados casos
  • Pagador: responsável por pagar o boleto
  • Espécie DOC: tipo de documento conforme padrões da Febrabran, como Duplicata Mercantil (DM) e Duplicata de Prestação de Serviços (DS)
  • Espécie moeda: sigla de identificação da moeda (R$)
  • Quantidade de moeda: quantidade de moeda variável ou índice, se for o caso
  • Valor moeda: valor da unidade de moeda variável/índice
  • Carteira: identifica se o boleto é registrado
  • Instruções: observações que devem ser transmitidas no momento do pagamento, como “não aceitar pagamento em cheque”, ou “após o vencimento, cobrar juros de R$ xx ao dia e multa de R$ xx”. Também pode ser usado para especificar o objeto do pagamento
  • Código de compensação: código do banco e seu dígito verificador que vêm logo após o logotipo da instituição, separados por um traço e ambos em negrito
  • Código de barras: representação gráfica da sequência numérica que identifica o boleto
  • Linha digitável: número de 44 dígitos correspondente ao código de barras
  • Autenticação mecânica: campo para autenticação mecânica.

Veja um exemplo de ficha de compensação de boleto de cobrança da Vindi:

imagem de um boleto de exemplo da Vindi com os campos descritos no texto em branco

Tipos de boletos

Existem vários tipos de boletos que uma empresa pode usar para cobrar seus clientes.

Confira os mais usados. 

Boleto de cobrança avulso

O boleto avulso é aquele emitido para uma cobrança única e à vista de uma venda.

Ele é usado por empresas que trabalham com vendas pontuais, como um e-commerce tradicional. 

A emissão pode ser feita manualmente por um funcionário ou de forma automática por meio de uma plataforma, como ocorre nos pedidos em lojas online.

Boleto de cobrança carnê

O boleto de cobrança em carnê é aquele que permite o pagamento parcelado das compras.

Nesse modelo, a empresa emite vários boletos de prestações de uma única compra e o cliente vai pagando mês a mês.

O processo de emissão é um pouco mais complexo e pode gerar inadimplência, mas vale a pena para empresas que querem oferecer a opção de pagamento a prazo em suas vendas pontuais.

Boleto de proposta

O boleto de proposta é enviado ao cliente como parte de uma oferta comercial

Dessa forma, o pagamento é voluntário e está associado ao aceite da proposta pelo consumidor.

O formato desse tipo de boleto é regulamentado pelo Banco Central e mostra claramente ao cliente que o pagamento não é obrigatório

Boleto recorrente

O boleto recorrente é aquele utilizado por empresas que trabalham com o modelo de assinatura e mensalidades.

Nesse caso, os boletos são gerados automaticamente e sempre na mesma data para os clientes, conforme definido em contrato. 

É a chamada cobrança recorrente, que permite a automatização do processo e ajuda a reduzir a inadimplência na empresa. 

Vantagens de gerar boletos

São várias as vantagens de aprender como gerar boleto e usar essa forma de pagamento na sua empresa.

Confiras as principais:

  • Permite que qualquer pessoa faça o pagamento, mesmo sem possuir conta corrente, cartão ou meios de pagamento digitais
  • Reduz os custos das cobranças em relação às taxas de operadoras de cartão, dependendo do valor das tarifas negociadas com a instituição ou intermediador
  • Facilita o controle do recebimento do dinheiro das vendas
  • Proporciona mais segurança, pois desde 2018 todos os boletos são registrados e controlados pelo banco
  • Evita pagamentos em duplicidade, pois o sistema já emite um alerta quando o cliente tenta pagar pela segunda vez por engano
  • Permite receber pagamento online de forma mais prática e, muitas vezes, com prazo inferior ao do repasse das operadoras de cartão
  • Possibilita o uso do protesto em caso de inadimplência do cliente
  • Viabiliza a automação da emissão e gestão de boletos com a ajuda de um sistema billing.

Qual o custo de gerar boletos?

O custo de gerar boletos depende da instituição ou intermediador contratado pela sua empresa.

Confira as tarifas dos principais bancos:

Banco Boleto registrado Protesto Manutenção por título Baixa de título Alterações
Itaú R$ 6,30 R$ 12,70 R$ 7,30 R$ 6,00 R$ 7,30
Santander R$ 10,00 R$ 6,50 R$ 5,94 R$ 5,00 R$ 6,20
Caixa R$ 6,30 R$ 6,25 R$ 5,00 R$ 4,50 R$ 5,50
Banco do Brasil R$ 7,00 R$ 11,00 R$ 6,10 R$ 5,30 R$ 6,30
Bradesco R$ 6,60 R$ 11,90 R$ 7,00 R$ 6,50 R$ 6,80
Vindi R$ 3,99

Como você pode ver, a tarifa da Vindi é bastante competitiva nesse mercado, e pode valer muito a pena para o seu negócio.

Boleto Vindi: cobrança rápida e automatizada

Se você já viu como gerar boleto com bancos, sabe que o processo pode ser bastante burocrático e demorado.

Além disso, fica complicado emitir boletos manualmente a cada venda e controlar todos os recebimentos.

Pensando nesses problemas, a Vindi criou uma solução de pagamentos completa com um módulo exclusivo para emissão e gestão de boletos.

Nosso Boleto Vindi emite os títulos de cobrança junto aos bancos em apenas 30 segundos e oferece vantagens únicas como:

  • Boletos registrados conforme a regulamentação atual
  • Cadastro unificado permitindo início imediato de emissões
  • Conciliação automática sem necessidade de troca de arquivos
  • Boleto customizável para você identificar a sua cobrança
  • Sem taxa de setup e sem cobrança de mensalidades
  • Exibição da razão social e nome fantasia da empresa, evitando chargebacks
  • Tarifa única por boleto, cobrada apenas na liquidação.

Além disso, o envio de boletos recorrentes é feito de forma totalmente automática, com direito a alertas de cobrança por SMS ou e-mail para os clientes em caso de não pagamento.

Para completar, a Vindi oferece todos os recursos para gerenciar seus recebíveis, gerir assinaturas e contratos, controlar a inadimplência e oferecer outros meios de pagamento, como cartão de crédito. 

Entendeu como gerar boleto e oferecer essa forma de pagamento na sua empresa?

Aproveite e faça um diagnóstico financeiro do seu negócio. 

Diagnóstico Financeiro: analise o desempenho do seu negócio e aumente a eficiência da sua equipe. [Botão Começar Agora]