A adaptação é uma das grandes vantagens que algumas empresas possuem em relação às outras. Principalmente, quando falamos isso em um contexto de pandemia. Essa característica tem sido muito mais relevante para o sucesso das empresas do que, de fato, buscar ganhos de eficiência e produtividade durante tempos de instabilidade. No Vindi Insights de hoje, além de um comparativo dos segmentos entre os meses de Maio e Julho, você também vai conseguir entender um pouco mais sobre como o mercado tem impactado essas empresas. 

61.3% of CEOs view the pivot of operations from throughput and efficiency to market responsive as more or significantly more important in the next 5 years – IDC

Não é de hoje que dizemos alguns segmentos, como o de SaaS, são muito mais resilientes que outros. E, isso é facilmente notado através de dados: sejam de TPV (volume total de pagamentos) ou de números de transações. A capacidade de adaptação e mudança do setor são infinitas, uma vez que o produto é vendido em nuvem e possui uma evolução escalável do produto.

Claro que, o fato do modelo SaaS possuir uma precificação mais acessível também impacta diretamente. Além, claro, de sua natureza digital e recorrente. Mas, isso não é algo exclusivo do segmento SaaS. Empresas de tecnologia também estão colhendo bons frutos. 

+ Quer saber mais sobre o mercado SaaS brasileiro e conhecer mais sobre as estratégias do setor? Então baixe o nosso e-book gratuitamente!

Insights sobre os impactos da pandemia

A IDC tem feito, desde Abril deste ano, uma pesquisa semanal com líderes de empresas. O intuito é entender quais os impactos que o mercado de tecnologia e SaaS está sofrendo durante a pandemia. 

Com isso, foi possível concluir que:

  • 24% dos entrevistados esperam que suas empresas possuam quedas de receita (anual) maiores que  20%. 
  • 71% esperam que sua receita deste ano não sofra uma variação maior que 20%, seja para cima ou para baixo.
  • Entre todos os segmentos entrevistados, o de Saúde foi o identificado com maior otimismo de crescimento no segundo semestre de 2020. 

Insights análise IDC

Mas, de acordo com o Subscription Impact Report, realizado pela Zuora,  que mede o efeito da COVID-19 na economia de assinaturas, a previsão é um pouco diferente. Segundo os dados divulgados, cerca de 53% de sua base de clientes acha que o impacto da crise em sua receita será limitado. Além disso, os mais otimistas, representados por 22% da base, apostam que as receitas vão crescer mais de 25% ainda este ano. 

A resiliência dos SaaS recorrentes

De acordo com o Subscription Impact Report, é possível visualizar que a perspectiva para as empresas que utilizam a recorrência é mais positiva do que o restante do setor de tecnologia. Com base nos dados, ainda podemos dizer que:

  • Alguns fornecedores estão subindo estimativas de crescimento e contratando mais pessoas;
  • Mais empresas seguiram a tendência de adotar o modelo de assinaturas durante a crise.

E, se você ainda está se perguntando porque as empresas que que vendem software como serviço através da recorrência tiveram um melhor desempenho durante a pandemia, confira a resposta:

  1. Por possuírem uma natureza de vendas feitas por contratos e cobradas através da recorrência, essas empresas estão totalmente alinhadas com o crescimento de seus clientes;
  2. Empresas que são líderes na entrega de serviços recorrentes normalmente possuem times focados na experiência do Cliente. E, ter uma área CX ou CS impacta de forma positiva nos resultados. Isso porque, através desses times, é possível ter mais acesso ao uso de dados dos clientes, o que ajuda a fornecer insights em tempo real. Além, claro, de automatizar o engajamento, uso ou treinamento dos clientes em sua plataformas.

Abaixo, você pode conferir alguns segmentos que utilizam a recorrência e estão tendo um resultado positivo (thriving) ou desafiador (challenged) com o modelo.

Empresas que estão se saindo melhor com a recorrência

Insights sobre a recorrência: o que as empresas estão fazendo?

Com as mudanças causadas pelo novo Coronavírus, como o início do home office, algumas empresas recorrentes enxergaram uma oportunidade para trabalhar a retenção de seus clientes. Enquanto alguns negócios sofrem com o churn rate, as recorrentes têm a chance de criar pausas nos planos de se seus cliente e, até mesmo, rever o tempo dos contratos. Essa é uma grande vantagem: conseguir negociar em um momento tão difícil. Essa foi uma das estratégias usadas também pela Vindi durante a pandemia, o que trouxe excelentes resultados.

Mas, quando não há jeito de focar na retenção e o churn acontece, as empresas recorrentes possuem outra vantagem: a negociação com os fornecedores. Além disso, também é comum que haja o oferecimento de descontos, créditos ou ajustes nos termos de pagamento.

Outra grande vantagem é a possibilidade de oferecer planos com preços variáveis, baseados em consumo. A facilidade de criação de novos planos e ofertas, de acordo com as necessidades dos clientes, é uma ótima forma de aumentar, rapidamente, o valor das assinaturas. Além, claro, da recorrência ter a grande vantagem de não prender o limite do cartão de crédito do seu cliente. 

É notável que as empresas que utilizam a recorrência estão se esforçando para reter seus clientes. Isso porque elas sabem que o custo para adquirir novos usuários é muito superior ao valor das concessões financeiras oferecidas para os clientes em dificuldade.

Números gerais do mercado

O início do segundo semestre de 2020 trás bons resultados em termos de TPV. Tivemos 13.7% de crescimento acumulado no primeiro semestre. Quando falamos de recuperação, é possível afirmar que a Vindi já superou o TPV mensal antes da crise.

Mas, antes de adentrarmos nos números, é importante você saber que, para realizar o Vindi Insights, usamos dados da base dos 10 maiores segmentos da empresa. Juntos, eles representam 62% do TPV da Vindi. Além disso, para calcular o TPV, usamos os volume processado em vendas recorrentes e pontuais, seja por cartão de crédito, débito ou boleto bancário. 

Insights TPV 2020

Insights: bench Profitwell

O B2B SaaS index, índice da Profitwell para o desempenho de empresas SaaS, em sua maioria de recorrência, apontou o crescimento do setor em Junho. Nos últimos 30 dias, terminados em 01/07, o índice teve uma alta de 5% sobre os 30 dias anteriores. Comparando com TPV de SaaS na Vindi, tivemos uma performance um pouco abaixo mas, ainda assim, crescendo 1,3% no mesmo período. 

Bench Profitwell

TPV Vindi

O acumulado do TPV mensal da Vindi em Junho, quando comparado com Maio,  foi de +1,3%. Em contraponto, o número de transações caiu, chegando a -1,7%.

Insights TPV Maio e JunhoEntretanto, quando fazemos a comparação entre Fevereiro e Junho, o crescimento foi de +5,2%. Abaixo, confira o comparativo semanal o TPV em relação aos períodos equivalentes do mês anterior.

TPV semanal Vindi
Junho iniciou com TPV abaixo dos valores medidos em Maio, mas mostrou recuperação a partir da terceira semana.

Insights sobre os principais segmentos

No comparativo entre Maio e Junho, pudemos perceber o crescimento de segmentos como E-commerce, e SaaS. Em contraponto, os Clubes de Assinatura tiveram uma redução significativa de TPV comparado aos meses anteriores. Confira!

Educação – 18,1%

O segmento conseguiu ter uma boa recuperação no último Vindi Insights, no comparativo entre os dias 21 e 27 de Julho, com o mesmo período de Maio, crescendo .+35,1%. Entretanto, quando analisamos o meses completos, Educação teve uma queda de -18,1% em Junho. Essa diminuição no TPV se deve, em partes, a uma ação estratégica que um cliente de cursos online da Vindi executou no último mês, fazendo com que os números de Maio fossem maiores. 

Insights gráfico Educação

Fitness -17,9%

O segmento segue em queda pelo terceiro mês consecutivo de crise. Na comparação entre Maio e Junho, a diminuição do TPV foi de -17,9%. O destaque negativo do mês foi de um cliente Vindi que teve a redução de 22% do seu volume total de pagamentos . A expectativa é que o segmento Fitness consiga número melhores somente após a pandemia, uma vez que, na maioria das cidades brasileiras, as regras da quarentena ainda impossibilitam a reabertura dos espaços. 

Gráfico Fitness

Clube de Assinaturas -11,7%

O segmento fechou o mês de Junho em queda, tendo -11,7% de redução em seu TPV no comparativo com o Maio. Essa é a quarta semana consecutiva que o setor não tem bons resultados. Contrariando os números positivos dos primeiros meses de pandemia, os Clubes de Assinatura encontraram um grande desafio no mês de Junho, apesar de sua natureza digital e recorrente. 

Insights gráfico Clubes de Assinatura

E-commerce +3,6%

Em junho o segmento apresentou crescimento discreto, porém o suficiente para alcançar o patamar pré crise. O aumento no comparativo entre Maio e Junho foi de +3,6%. O Dia dos Namorados pode ter sido um dos fatores para este aumento em Junho, uma vez que o número de transações e de TPV foi maior nos períodos que antecederam a data. 

Gráfico e-commerce

Estética e Beleza +4,2%

Conforme a tendência verificada nos últimos 3 meses, Estética e Beleza cresce novamente, acumulando aumento total de 29% comparado com Fevereiro, período pré-pandemia. No comparativo entre os meses de Maio e Junho o crescimento foi tímido, de +4,2%, mas reforça a recuperação gradativa do setor. 

Insights Estética e Beleza

Seguradoras +4,6%

Embora tenha mostrado leve aceleração em junho, o setor de seguros ainda acumula queda de 34% contra o seu volume de TPV de fevereiro. Já entre os meses de Maio e Junho o segmento teve um aumento de +4,6% no volume total de pagamentos.

Gráfico seguradoras

Saúde +19,4%

Em junho o segmento de Saúde voltou a atingir o patamar de  TPV  similar ao volume pré crise. No comparativo entre Maio e Junho, o crescimento foi de +19,4%. Impulsionado por clínicas que estão oferecendo testes para a COVID-19, a expectativa é de que o segmento cresça ainda mais no segundo semestre,  segundo dados da IDC.

Gráfico Saúde

Serviços Financeiros +27,2%

Serviços financeiros é outro setor cuja performance já superou os valores pré crise.  O segmento já está 4% acima dos valores apresentados em Fevereiro. No comparativo entre os meses de Maio e Junho, o aumento no TPV foi de +27%

Insights gráfico Serviços Financeiros

SaaS +45%

No primeiro semestre de 2020, o segmento SaaS já atingiu 152% de crescimento, o que representa 2,5 vezes o faturamento do setor em Fevereiro. No comparativo entre os meses de Maio e Junho SaaS também fez bonito, tendo um aumento de +45% no TPV. Apesar de alguns períodos de queda, o segmento mostra sua recuperação. 

Insights gráficos SaaS

Turismo e Hotelaria +75%

Embora Turismo e hotelaria tenha apresentado crescimento expressivo em junho, quando comparado à Maio (+75%), o segmento ainda está longe de voltar ao patamar anterior à crise. O segmento ainda acumula queda de 80% entre fevereiro e junho.

Gráfico Turismo e Hotelaria

Mais insights para você!

Quer ficar por dentro dos lançamentos do Vindi Insights? Então, inscreva-se na nossa newsletter e receba, em primeira mão, os melhores conteúdos sobre finanças e tecnologia no seu e-mail!