Ninguém duvida que o Spotify é um dos maiores negócios de assinatura da história, por isso, resolvi colocar aqui nesse post simples, o histórico da empresa ao longos dos anos, em crescimento de assinantes.

Streaming, pirataria e os artistas

No dia 07 de Outubro de 2008, a primeira versão do Spotify foi ao ar. Desde então, muita coisa mudou no mercado fonográfico: o Spotify mudou a dinâmica dos artistas, das grandes gravadoras e dos consumidores. Até a pirataria, que crescia vertiginosamente no ambiente musical até 2012, foi literalmente minado por plataformas como essa.

Não podemos negar que a empresa influenciou diversos negócios pelo mundo, com suas estratégias de growth, gestão de produto e marketing, que foram publicamente divulgadas em fóruns como Reddit e Quora. Eu mesmo, acompanhei diversos artigos dos próprios fundadores, contando como estavam escalando o negócio.

Separei aqui, algumas curiosidades (não confirmadas pela empresa) que sempre foram publicadas em portais de notícias:

  • A primeira versão do app em 2008, usava MP3 pirata;
  • Por um bom tempo, a empresa usava “artistas fantasmas”, onde alguns músicos eram inventados de forma direcionada, dentro das playlists para compor melhor a experiência dos assinantes;
  • A gigante chinesa Tencent chegou a fazer uma oferta bilionária pela empresa em 2017. Alguns artigos relatam que seria uma oferta em torno de U$13 bilhões;
  • Artistas ganham menos com o Spotify do que com a venda de CDs, mas viralizam 100x;
  • Ed Sheeran bateu recordes com a música “Shape of You”, recebendo mais de R$30 milhões em direitos autorais;
  • Spotify e Apple sempre tiveram uma relação “complicada” e isso dura até hoje;
  • Sean Parker (fundador do Napster, o primeiro case de MP3 do mundo) é um dos primeiros investidores do Spotify.

O crescimento do Spotify ao longos dos anos

Desde sua fundação, o Spotify cresce consistentemente e os passos são largos ano após ano. O primeiro milhão de assinaturas foi conquistado em 2011. No ano seguinte a empresa cresceu 5x e foi dobrando, triplicando o número de assinantes, depois de 2015.

Veja o quadro abaixo.

spotify assinantes

Embora o Spotify seja a plataforma “top of mind” na cabeça das pessoas, o serviço da Apple e da Amazon crescem fortemente também. Casos como o Rdio e Last.Fm acabaram ficando pelo caminho, mas Deezer, Google, Apple e uma série de players, surgiram nessa jornada.

A Apple tem o efeito de rede ao seu lado, já que todos usuários de IOS podem ser facilmente impactados pelo serviço e a Amazon usa a estratégia do Prime, que funciona muito bem nos filmes, para competir com o Spotify.

Mas vamos combinar, não é para qualquer empresa sair do zero para 155 milhões de clientes recorrentes. Atualmente, o Spotify é uma empresa com preço de mercado de U$59 bilhões e é “um player a ser batido”.

Sou fã do Spotify.