Quem irá sobreviver à crise?

Embora o futuro seja incerto, uma coisa é certa: empresas que trabalham no modelo produto a produto (venda única), que dependem diretamente de vendedores e esforço comercial para continuar vendendo para um mesmo cliente, sentirão num grau mais elevado os efeitos da crise.

Empresas com faturamento recorrente, como no caso de assinaturas, planos e mensalidades, ficarão mais tranquilas diante da insegurança econômica atual. Vale destacar que, mudar o modelo para o recorrente, seja uma venda mensal, trimestral, anual ou até mesmo semanal programada, evita transtornos e possíveis inadimplências, uma vez que a cobrança é automatizada.

É preciso focar em vendas e não em inadimplência

Se tem uma coisa que não se pode negar é que, em tempos de crise, o poder de compra diminui e muitos clientes acabam cortando gastos, principalmente aqueles que não fazem parte das prioridades. Se a empresa trabalha no estilo venda única, pode esperar que o fechamento das contas não será positivo. Outro ponto oneroso para qualquer empresário é a dedicação em oferecer benefícios e negociar contratos um a um. Além de perda de tempo, é prejudicial para qualquer empreendimento. Sem falar que o tempo que um funcionário gasta para emitir notas fiscais, boletos e gerar cobranças toma quase 20% do tempo útil de uma microempresa – tempo esse que deveria estar sendo aplicado em outras atividades mais produtivas.

Focar nas vendas é a questão chave do momento. É preciso banir a inadimplência através de sistemas automatizados e ganhar tempo para aplicar no que realmente importa. Investir em faturamento recorrente é a melhor escolha em tempos de crise, já que a empresa pode:

– Prever faturamento e orçamento;

– Dedicar mais tempos em conquistar novos clientes e satisfazer os atuais;

– Reduzir gastos com marketing;

– Economizar tempo nos processos burocráticos de faturamento;

– Movimentar e manter receitas recorrentes;

– Automatizar cobranças, o que reduz o índice de cancelamentos;

– Definir a forma de cobrança de acordo com as possibilidades do cliente; 

– Criar planos, períodos e assinaturas.

A Vindi tem todas as soluções para sua empresa através de uma plataforma dinâmica. Você não precisa instalar nenhum tipo de software e pode acessar de qualquer lugar, em qualquer computador. A cobrança recorrente é a melhor forma para manter o faturamento e gerenciar os contratos. Você cadastra o cliente, define a periodicidade das cobranças em um plano e pronto, tudo é enviado conforme o programado, automaticamente. De forma gerencial, você controla quem abriu a fatura, quem pagou e quem está em atraso. Além disso, você envia a fatura por email, juntamente com um boleto em PDF. Tudo simples e prático.

economia da recorrencia

Gostou do post? Como sua empresa está enfrentando a atual crise brasileira? Compartilhe conosco suas experiências nos campos abaixo! 

Você vai gostar também

Como fazer uma boa gestão e ainda reduzir custos? Perder tempo é uma coisa que ninguém quer. Mas, imagine aí: meados dos anos 2060, um sistema onde a moeda de troca não é mais o real, dólar, euro, pes...
Departamento de pré-vendas: entenda por que você P... Hoje em dia é comum segmentar um departamento comercial em mais de um time, onde cada um tem uma função específica. Com a segmentação, conseguimos ter...
Como integrar sua loja ao Pagamento Recorrente da ... Olá! Esse tópico foi especialmente preparado para Lojistas, Desenvolvedores e Web Designers cadastrarem bem rápido o pagamento recorrente da Vindi. Vo...
Santander aposta em app e entra para o mercado de ... “Cada vez mais mercados vão entrar para a recorrência” - essa é uma tecla na qual nós, da Vindi, temos batido constantemente. Longe de ser a Empiricus...