Mais de 200 MIL PESSOAS sabem como vender mais e sempre.

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos você também.

Nos EUA, as vendas de histórias em quadrinhos e graphic novels atingiu o pico máximo em 2014, atingindo a casa de US$935 milhões. Em parte, a causa é o uso dos quadrinhos como fonte de material para filmes e séries de sucesso. Mas outra parte pode ser explicada graças ao modelo de assinatura.

O caso da Marvel

À primeira vista, o crescimento das vendas aconteceu no modelo tradicional. O maior crescimento foi no mercado das livrarias, com um aumento de 16% em vendas de graphic novels e edições de colecionador – que subiu de US$245 milhões em 2013 para US$285 milhões em 2014. Enquanto isso, as vendas digitais continuaram a crescer na faixa de 11%. Perceba que não estamos falando das vendas em bancas de revistas; por muito tempo, os quadrinhos não estiveram disponíveis nas bancas dos EUA, o que forçava os leitores interessados a visitar lojas especializadas no assunto.

Agora, o surgimento do mercado digital basicamente abriu o mundo dos quadrinhos para uma audiência mais ampla de leitores – desde os mais velhos, nascidos durante o Baby Boom, até os jovens da geração Z. A Marvel, editora responsável por títulos como Homem de Ferro e Homem Aranha, é um excelente exemplo de uma editora que deixou as bancas para trás e abraçou o mercado da assinatura digital. Apenas dois anos atrás, a Marvel lançou seu projeto Marvel Unlimited, que oferece um serviço de assinatura digital para aparelhos iOS e Android, garantindo acesso a mais de 15 mil quadrinhos por menos de US$10 por mês.

A assinatura da Marvel Unlimited vem crescendo gradualmente desde que ficou disponível para essas duas plataformas, mas há algo ainda mais impressionante. É o impacto que essas assinaturas digitais tiveram sobre as vendas tradicionais, de edições impressas. No caso da Marvel, a empresa teve aumento nas vendas, mas vendeu menos quadrinhos impressos. Enquanto isso, a editora DC Comics (casa de títulos como Super-Homem e Batman), que não oferece um plano de assinatura, vendeu mais quadrinhos impressos, mas continua a sofrer com uma receita cada vez menor.

Parceria estratégica para assinaturas: “caixa do mês”

Realizar uma abordagem estratégica das assinaturas ajudou a Marvel a aumentar a lucratividade ao mesmo tempo que aumenta a lealdade dos fãs. Mas a assinatura direta não é a única opção. Também vale a pena mencionar a assinatura do programa “caixa do mês”, oferecido por empresas como a Loot Crate, com foco no público geek e gamer. Eles têm um público similar ao das empresas de histórias em quadrinhos.

O caso que vamos ressaltar é o da editora de quadrinhos independente BOOM! Studios, que vem apresentando rápido crescimento. A empresa criou uma promoção exclusiva, em parceria com a Loot Crate, que ajudou sua série de quadrinhos “Bravest Warriors” a alcançar o 2o lugar na lista dos quadrinhos mais vendidos de Maio. Isso é impressionante, pois a lista é dominada por títulos da Marvel e DC Comics, e a editora BOOM! corresponde a apenas 4% do mercado (contra 40% da Marvel).

Nerd ao Cubo, o clube de assinatura dos Nerds

Um dos maiores exemplos de que esse mercado pode borbulhar é o caso da estréia do Nerd ao Cubo, site de assinatura geek. Fundado em 2015, o site já acumula fanáticos em dezenas de cidades pelo país. O site é inclusive muito disputado a cada lançamento de um novo box. Fundado por três empreendedores de São Paulo, o Nerd ao Cubo já é o maior case do público Nerd, que se teve notícias ultimamente.

nerd ao cubo
Foto: Reprodução – Nerd ao Cubo

Além de quadrinhos, o box entrega mensalmente aos assinantes, brindes, ingressos de pré-estréias, itens de colecionadores, camisetas e tudo que um verdadeiro geek sonha.

Ao mesmo tempo, podemos acreditar que a Loot Crate também vendeu mais assinaturas de sua caixa do mês, graças aos quadrinhos Bravest Warrior. Vale a pena lembrar que a Loot Crate oferece uma variedade de itens aos seus assinantes, e não se limita aos quadrinhos (por exemplo, action figures, camisetas, games e outros). Todos esses itens têm a vantagem de ganhar mais oportunidades para espalhar sua marca. E a melhor parte é a repetição, que é um traço inerente do modelo de negócios baseado em assinaturas. woocommerce

Quer saber mais sobre o modelo de negócios de assinaturas, como ele pode ajudar sua empresa, e como gerenciar pagamentos recorrentes

Você vai gostar também

Nerd ao Cubo anuncia venda para o grupo Webedia Olha só que coisa bacana! Os clubes de assinatura que crescem e geram alto impacto começam a fazer acordos com grandes grupos. Depois do Leiturinha...
Novos clubes de assinatura brindam o mercado Nesses dois últimos anos, fomos além da tecnologia e ajudamos inaugurar centenas de negócios em assinaturas. E isso foi positivo mesmo, porque já esta...
Assinaturas Day 2017. Painel com Leiturinha, Glute... Uma com quatro grandes clubes do mercado brasileiro falando sobre as operações, desafios e os modelos de venda no modelo de recorrência. Confira o pai...
VTEX Day – Fórum Assinaturas. Veja como foi.... O VTEX Day, no último dia 12/05, provou que o modelo de assinaturas é um grande negócio para o e-commerce tradicional. Num fórum exclusivo, para discu...
Author

Fundador e CEO da Vindi, plataforma líder em recorrência e criador do maior evento de empresas SaaS e Assinaturas do país, o “Assinaturas Day”.