Conheça a história da Salesforce, líder no mercado de cloud computing

Todos as companhias fornecedoras de computação na nuvem têm uma história pra contar que normalmente não pode ser resumida em poucas linhas. Por serem pioneiras, elas tiveram que enfrentar uma longa jornada até o presente, passando por inúmeras dificuldades de aceitação no mercado. E uma delas é a Salesforce, que vem se destacando desde os seus primórdios e assumindo um papel de liderança na revolução da nuvem e do SaaS (Software as a Service). Com suas tecnologias inovadoras para cloud, dispositivos móveis e redes sociais, empresas de todos os portes são capazes de se conectar com seus clientes de uma maneira completamente nova. Não é à toa que hoje ela é a empresa mais admirada do mundo, segundo a revista Fortune. Quer saber mais sobre a história da Salesforce? Então continue lendo!

Um pouco de seus 15 anos

Inaugurada em 1999 nos Estados Unidos, a Salesforce é, atualmente, a companhia mais inovadora do mundo de acordo com a Forbes e a maior empregadora no setor de tecnologia de São Francisco. E por oferecer um sistema de CRM (Customer Relationship Management) voltado às necessidades das empresas de pequeno porte, ela praticamente acabou criando as tecnologias que hoje conhecemos como cloud computing e SaaS. Ao lado de Parker Harris, Dave Moellenhoff e Frank Dominguez, o veterano da indústria do software Marc Benioff teve uma grande ideia ao observar a insatisfação dos usuários ao utilizarem o Siebel, o software de CRM mais utilizado no início do século. A partir disso, os quatro fundadores começaram a desenvolver um novo modelo, tanto de funcionamento, quanto de compra e venda do seu serviço.

Inicialmente, eles tiveram a difícil missão de quebrar os paradigmas de um mercado que estava engessado pela venda de licenças de softwares e até chegaram a ser ridicularizados pelas grandes companhia do setor, tais como Adobe e Microsoft. Contudo, a Salesforce não se intimidou e acabou ganhando a atenção do mercado apenas com um produto simples, fácil de usar, que funciona através da internet e cortava os custos com servidor local. Essa produto inovador de Benioff também foi acompanhado por uma campanha de marketing que decretava o “fim do software”. No ano 2000, um dos slogan utilizados pela empresa era “No Software”. Logo no primeiro ano de atuação, a Salesforce conquistou 1.500 clientes e mais de 30.000 assinantes. Pouco tempo depois, ela se tornou uma multinacional, passando a operar em vários continentes.

Sua expansão em números

Muitos especialistas consideram a Salesforce uma companhia inquieta, pois sempre teve como principal meta antecipar os desejos de seu público-alvo. Ao longo de seu período de atuação, ela diversificou sua lista de produtos com soluções para criação de sites e aplicativos, gerenciamento de projetos, marketing e comunicação interna, todas funcionando na nuvem e podendo ser customizadas para atenderem às necessidades de cada cliente – a modalidade Software como Serviço. Num infográfico, a empresa delineou as suas taxas de transações históricas, que começaram com 53 milhões em 28 de setembro de 2006 e terminaram com 5 bilhões em 31 de janeiro de 2015. “A Salesforce atingiu US$ 5 bilhões em receita anual mais rápido do que qualquer outra empresa de software e nossa meta, agora, é ser a mais rápida a atingir US$ 10 bilhões”, disse Marc Benioff, atual presidente e CEO da companhia.

Empresas que usam suas soluções

Toda a história da Salesforce foi criada por seus clientes, que por anos adotaram e utilizaram sua plataforma de CRM, tornando-a líder do setor. Hoje, são 100 mil clientes em mais de 23 países. Entre eles, gigantes como L’Oréal USA, Coca-Cola Enterprises, Yamaha, GE Capital, Bravo tecnologia, Symantec, Ford, Vodafone e Nikon Instruments. No Brasil, Petrobras, Embraer, Embratel, entre muitas outras. Uma das histórias mais notórias é a da Carlo’s Bakery, uma padaria de bairro que cresceu mais de 1000% graças a Salesforce. Seu CEO, Buddy Valastro, apresentador da série “Cake Boss” na TLC, resolveu usar a plataforma para desenvolver um novo app de gestão de pedidos.

Denominado Cakeforce, ele permite que os funcionários recebam novos pedidos através de tablets e smartphones e compartilhem informações instantâneas com padeiros e decoradores. Assim, a equipe passou a dedicar grande parte de seu tempo trabalhando com glacê e bombons, e não vasculhando pilhas de papel para verificar pedidos de sabores e datas de entrega. E com a Sales Cloud, eles criaram um banco de dados de clientes na nuvem, para poderem agrupar todas as operações do negócio e tomar melhores decisões. “Para nós, a Salesforce merece a maior fatia do bolo”, disse Leo Minervini, CIO da empresa.

economia da recorrencia

O que achou da história da Salesforce? Já faz uso de alguma das suas plataformas? Deixe suas opiniões e experiências nos comentários!

Fundador e CEO da Vindi, plataforma líder em recorrência e criador do maior evento de empresas SaaS e Assinaturas do país, o “Assinaturas Day”.

Você vai gostar também

Conquistar um novo cliente custa 5 vezes mais do q... Já dizia o célebre consultor de marketing norte-americano Philip Kotler: “conquistar um novo cliente custa de 5 a 7 vezes mais que manter um atual”. A...
3 direcionamentos que definirão o crescimento de u... O ano de 2018 será um ano extremamente desafiador, mas três direcionamentos podem ajudar a definir o sucesso das empresas SaaS. Por isso eu elenquei e...
O que é MRR (Monthly Recurring Revenue)? O número de empresas que trabalham com softwares como serviço tem se expandido. Principalmente quando se trata da implantação dessa ferramenta dentro ...
Adobe registra recorde de faturamento, investindo ... A Adobe, que já foi pauta aqui, acaba de divulgar os números do último trimestre e eles são muito importantes para o mercado de assinaturas e software...