Como conquistar o cliente que a sua empresa quer?

Cliente. No dicionário formal, ele é indivíduo que adquire um produto à venda. No “novo vocabulário” mercadológico ele é (ou pelo menos deveria ser) o centro das atenções das empresas que, de fato, querem escalar um negócio.

Geralmente, eu gosto de trazer dados que quantifiquem as oportunidades de venda, expansão e entrada em um segmento para você, que é empreendedor e acompanha este blog.

Os números de hoje têm a ver com clientes, e não mercados. No mundo, existem 7,6 bilhões de pessoas e, claro, nem todos são seus potenciais clientes.

Demografia, geografia, interesse e até engajamento são os tipos de coisas que afunilam quem, de fato, pode ser um cliente seu. É para isso que você fez (fez, não fez?) uma pesquisa de mercado antes de empreender.

E achado o público que você quer atingir, eu pergunto: quem você quer como seu cliente? A resposta vai variar com relação ao segmento do negócio. Mas, independente dela, chego finalmente ao que interessa:

O que você tem feito para conquistar o cliente que sua empresa quer?

O novo cliente

Antes de falar mais sobre o cliente ser o centro das atenções, veja uma breve linha do tempo sobre como o mercado chegou a esse conceito:

    • Anos 19: empresas focam em produto;
    • Anos 90: empresas focam em serviços;
    • Anos 2000: empresas focam em “o cliente sempre tem razão”;

 

  • Hoje: empresas focam em experiência e relacionamento com o cliente.

Entende que, agora, os esforços para as empresas vão além de deduzir, com base em achismos da equipe marketing, quem é o público-alvo de uma empresa/marca?

Para conquistar um cliente, só tentar adivinhar quem ele é não funciona mais. Os esforços devem estar voltados a criar personas a partir do cliente real.

Experiência do cliente

Ao personificar o seu cliente, você compreende que ele tem problemas, dores e processos que precisam ser resolvidos. Ou que, simplesmente, ele quer novas experiências, novos produtos, inovação. Independente do objeto de desejo ou necessidade dele, você precisa entregar.

Como entregar uma boa experiência?

Fazendo exatamente o que eu disse no início deste post: colocando o cliente como centro das suas ações.

  • Vai fazer um site?

Pense na experiência do cliente com seu site.

  • Vai incluir um novo item/funcionalidade?

Pense se, de fato, isso agrega valor para ele.

  • Quer atraí-lo?

Pense na linguagem que ele usa.

Em quais canais ele está presente.

  • Vai entregar?

Entenda os melhores meios.

Como cobrar frete/ oferecer o serviço?

  • Vai cobrar?

Qual é a forma de pagamento preferida dele?

Como facilitar o processo de pagamento para ele?

Enfim, todas as ações devem ser embasadas no perfil do seu prospect. Por isso é tão importante entendê-lo e, mesmo que não dê para entregar exatamente tudo, proporcione a melhor experiência possível.

Relacionamento com o cliente

Chegamos ao ponto-chave deste texto. Todos os passos que você der em função do perfil do seu cliente estão, de antemão, ligados à forma como você se relaciona com ele – do momento em que é atraído para a sua empresa até finalizar a compra.

Mais do que colocar o cliente como ponto focal das ações estratégicas, você precisa fazer com que ele saiba, entenda e sinta isso.

As empresas que trabalham com a recorrência têm esse modelo de negócio a seu favor, já que um cliente ganho é um assinante, que estabelece desde o início a intenção de uma compra de longo prazo.

A base de clientes que você já tem pode ser usada para essa aproximação, que te levará a entender:

  • Quem é o seu cliente de fato?
  • O que ele precisa?
  • Você tem conseguido atendê-lo?
  • O que fazer para isso?
  • Como entregar o melhor item/produto?

E então:

  • Meça a satisfação dele com seu produto/serviço;
  • Peça feedbacks;
  • Planeje melhorias.

Além de reforçar seu produto e estratégias para mantê-lo com você, você abre as portas para a entrada de novos clientes oferecendo uma boa experiência. O relacionamento é a chave que você precisa.

Simplesmente foque no relacionamento com o cliente/prospect!

Dessa forma, mais do que explorar ferramentas que atraem  os clientes que sua empresa quer, você se torna a empresa que os prospects vão atrás para firmar parcerias. Ou seja,  eles vão até você.

 

Sobre o autor

Nathalia Braga
Jornalista que passou por redações de entretenimento, varejo e economia, mas acabou se apaixonando por marketing digital e hoje atua em suas principais vertentes.

Você vai gostar também

Resultados Digitais – veja quem está por trá... Outra empresa engajada no desenvolvimento do mercado de assinaturas que estará com a Vindi no Assinaturas Day como patrocinadora é a Resultados Digita...
Api de Pagamento Recorrente Nem precisamos falar que a melhor API de pagamento recorrente do Brasil é a da Vindi, certo? Mas o que uma API focada em assinaturas deve oferecer par...
Qual a diferença entre plano, mensalidade e assina... Antes de abordamos sobre a diferença entre essas três formas de oferecer um serviços, é importante saber o que é Cobrança ou Pagamento recorrente - se...
Como a recorrência virou o sucesso das franquias? A ideia era investir em um novo segmento para diversificar. Alessandro era sócio de uma empresa de informática e Alexandra proprietária de uma clínica...