Na semana em que completamos 60 dias em quarentena, é possível notar muitas mudanças nas empresas que compõem os segmentos. E, também nos consumidores. Após todo esse tempo, a vida “online” se tornou parte da rotina de muitos brasileiros. Seja para fazer compras, pagar contas, fazer o supermercado, pedir comida… e, até mesmo, para trabalhar, né? No Vindi Insights de hoje, você vai ver como os segmentos se comportaram em uma análise dos dias 10 à 16 de Maio, comparado com o mesmo período de Abril.

O importante das análises feitas em Maio é que podemos ter um comparativo com um mês onde o impacto da quarentena e da pandemia já se refletia, como é o caso de Abril. Por isso, é possível ter uma ideia maior de como os segmentos realmente estão se comportando e acompanhar a evolução – ou não – de cada um deles. 

Pensando fora da caixa

Como você sabe, muitas empresas mudaram seu modelo de vendas e, até mesmo, de trabalho, implementando o home office para os funcionários. Sabemos que não são todas as empresas que conseguiram se adequar a este novo modelo de trabalho, seja por falta de estrutura física para comportar as demandas ou, até mesmo, pela inviabilidade de continuar vendendo de forma remota. Mas, todos fomos afetados. E, depois que a economia se recuperar, teremos que nos adaptar ao “novo normal”, que ainda estamos tentando descobrir como vai ser. 

Agora não é hora de falar sobre reinvenções de negócios para continuarem vendendo. É hora de pensar a longo prazo e no fortalecimento da sua empresa. E, para isso, você precisa entender o que está acontecendo. Por que alguns segmentos não foram tão afetados quanto os outros? Por que tem gente que está conseguindo crescer na crise? A gente vai tentar te explicar um pouquinho no Vindi Insights de hoje!

Confira também: Vindi Insights: segmentos em queda são minoria em Maio

Valores transacionados

Para realizar a análise do Vindi Insights, utilizamos os dados dos nossos mais de 6.000 clientes que atuam em variados segmentos. As transações realizadas são feitas através de cartão de crédito ou débito, além do boleto bancário – no modelo pontual ou recorrente. 

Na Vindi, neste período, foi possível notar um aumento do TPV de +11%. Embora ele seja menor do que o crescimento da semana passada (+35%), é um indicador positivo de que os clientes Vindi estão sendo resilientes em meio à crise. 

Gráfico segmentos Vindi

A alta do TPV (volume total de pagamentos) nas últimas quatro semanas pode ser um forte sinal de que o pico da crise possivelmente acabou em meados de Abril, apesar de ser arriscado afirmar isso. Embora a retomada aos níveis econômicos pré-crise só seja esperada com o final da quarentena, podemos estar vivenciando uma correção de mercado frente à grande queda de Março. 

Quando falamos de número de transações, o resultado também é positivo, com um acréscimo de +1,5% no comparativo entre as semanas. Apesar de ser um crescimento tímido, isso indicada uma potencial elevação do ticket médio das empresas. 

Quer saber como os segmentos performaram na última semana? E como foi o comparativo com o mesmo período de Abril? Então se liga na análise do Insights de hoje!

Segmentos com uma performance negativa

Como era de se esperar, alguns segmentos continuam tendo uma baixa no volume transacionado. Apesar de alguns já terem se recuperado bastante, a expectativa para outros segmentos é que a melhora efetiva só ocorra após o término da quarentena. 

Turismo e Hotelaria

Um dos segmentos mais afetados desde o início da quarentena, Turismo e Hotelaria continuam em queda. No comparativo entre os dias 10 à 16 de Abril e 10 à 16 de Maio, a queda chegou a –21%, representando ¼ do seu tamanho em Março. 

Com reservas em hotéis canceladas e sem perspectivas de retomada do setor, mesmo em altas temporadas, a situação se torna crítica. A taxa de ocupação dos hotéis caiu mais de 80% desde o dia 15 de Março, no início da quarentena.

Para tentar superar a crise, alguns hotéis também estão implementando soluções fora da caixa. Como é o caso de algumas unidades do Ibis, em São Paulo, que estão transformando as suítes do hotel em escritórios de uso temporário, como um co-working.

Insights Maio: segmento turismo e hotelaria

Fitness

Outro setor que está sofrendo bastante, teve uma queda de -18% no comparativo dos dias 10 à 16 de Maio, com o mesmo período do mês passado. Esta é a sétima semana seguida do setor, que já teve seu TPV reduzido pela metade. 

A semana analisada por nós teve um TPV 41% inferior à segunda semana de Março. Apesar do decreto que liberou a reabertura de academias e salões de beleza como serviço essencial para a população, os números não mudaram.

Grande parte disso se deve às decisões estaduais e municipais, que estão vetando a reabertura dos espaços como forma de conter aglomerações, como é o caso do Estado de São Paulo, por exemplo. 

Entretanto, é importante entender que o fato das academias estarem abertas não significa que os alunos voltarão a treinar. A previsão para a recuperação deste setor é somente quando a crise passar e as pessoas se sentirem 100% seguras de ocupar espaços como esses.

Gráfico segmento fitness

SaaS

A grande zebra da vez foi o segmento SaaS, que teve uma queda pela primeira vez em um mês, chegando a –18%. Embora o setor tenha demonstrado grande resiliência ao longo do tempo e, até mesmo apresentando crescimento em determinado período, o resultado deste comparativo é negativo para SaaS. 

Entretanto, o setor tem um grande potencial de recuperação, baseado em sua natureza online e recorrente. Entretanto, ter um SaaS verticalizado, especialista em apenas um segmento, pode ser um grande problema durante a crise. Isso porque, a queda de outros segmentos pode significar a queda de uma empresa SaaS com softwares específicos para ele, como é o caso de softwares de academias, por exemplo. 

Mas, como o setor tem um grande potencial de recuperação, precisamos aguardar as próximas semanas para ver como ele vai se comportar.

Vindi Insights: gráficos SaaS

Insights sobre segmentos que estão crescendo

Mas, nem só de má notícias se vive essa quarentena. Com o  passar dos dias, está sendo possível notar a recuperação de setores que estavam desacreditados, como era o caso da Educação. Abaixo, confira os insights sobre segmentos que estão conseguindo crescer em meio à crise.

Estética e beleza

Mantendo a tendência das últimas semanas, o setor continua crescendo discretamente (+8,6%). Uma hipótese para esse crescimento é a reação do segmento em frente à crise, criando planos com pagamentos antecipados, oferecendo serviços de delivery e descontos para quem comprar agora para usar só no futuro. Quando um setor pensa fora da caixa para se reinventar, os resultados surpreendem.

Aparentemente, todas as ações que o setor está fazendo têm trazido bons resultados. É importante lembrar que, assim como o segmento fitness, os salões de beleza também foram considerados serviços essenciais pelo decreto presidencial. Entretanto, o que tem feito a diferença no caixa do setor são as boas ideias e a preocupação com a saúde dos seus clientes. 

Gráfico Estética e Beleza

Educação

O segmento de educação se mantém firme no crescimento pela quarta semana consecutiva. No comparativo entre os dias 10 à 16 de Maio, com o mesmo período de Abril, o aumento foi de +17%

Algumas empresas que cobram com a Vindi conseguiram aplicar estratégias digitais para manter a receita mesmo durante a crise. Essa é uma grande oportunidade para as instituições aprimorarem o seu ensino a distância e para as Edtechs se consolidarem no mercado. 

Clubes de assinaturas

Outro setor que tem natureza digital e recorrente e que apresenta um grande crescimento em meio à crise. Para os Clubes de Assinatura o mês de Maio tem se mostrado importante. No comparativo com o mês passado, o segmento teve um crescimento de +20%

Além de facilitar a vida de muitas pessoas, os Clubes de Assinatura são ótimos para os consumidores terem acesso fácil a produtos selecionados. Tudo isso, no conforto de suas casas. Se já era um modelo que funcionava bem antes da crise, ele se mostrou algo fundamental durante ela.

Dada a recorrência dos clubes, é possível que a crise COVID-19 deixe impactos positivos no setor mesmo após a reabertura do comércio. 

Gráfico clubes de assinatura

E-commerce

Outros segmento que teve seus baixos no início da quarentena tem se mostrado resiliente. O e-commerce apresentou um aumento de +31% no comparativo entre os meses de Maio e Abril. Essa é a sexta semana consecutiva de crescimento do setor. 

Com a recomendação de isolamento social, nada mais necessário do que utilizar a internet para realizar as compras, certo? Segundo uma análise da ACI Worldwide o crescimento mundial do setor cresceu 209% no setor varejista em Abril. Já quando falamos do segmento de videogames e jogos eletrônicos, o salto foi de 126% em Abril, comparado com o mesmo mês de 2019. 

E, não deve parar por aí. Para o Vice Presidente da ACI Worldwide, as tendência no comportamento de compras online que vimos em Março continuaram em Abril, e devem se manter pelos próximos meses. Isso porque, milhões de pessoas no mundo começaram a se adaptar às restrições impostas pela quarentena e a utilizar as opções do e-commerce para ter acesso aos produtos, devido a sua conveniência e segurança. 

Insights e-commerce

Seguradoras

As Seguradoras parecem mesmo estarem em um processo de recuperação. No comparativo entre os dias 10 à 16 de Maio, com o mesmo período de Abril, o crescimento foi de +36%, o que deixa o setor próximo aos volumes semanais pré-crise, medidos em Fevereiro.

O setor também passou por altos e baixos, mas tem se mostrado firme nas últimas semana analisadas.

Insights seguradoras

Saúde

O TPV de Saúde aumentou 49% na segunda semana de Maio, quando comparado com Abril, mantendo a tendencia de alta da semana anterior, que havia dobrado em TPV. Impulsionado por laboratórios, que começaram a oferecer testes rápidos para o diagnóstico da COVID-19,  o segmento se mostra em crescente recuperação. Isso é importante para compensar a baixa performance de clínicas médicas e odontológicas, que ainda estão sendo bastante afetadas pelas recomendações de distanciamento social.

gráfico saúde

Serviços Financeiros

Outro setor que tem apresentado altos e baixos durante a crise, os Serviços Financeiros conseguiram ter um aumento de +58% no TPV no comparativo dos dias 10 à 16 de Maio, comparado com o mesmo período de Abril. 

Como sabemos, grande parte desse aumento (e também da volatilidade do setor) está na busca da população por informações financeiras que ajudem em sua educação em momentos de crise. Afinal, se tem algo que está sendo afetado neste período é o bolso dos consumidores. 

Insights gráficos serviços financeiros

Todo dia, mais insights!

Quer ficar de olho na performance dos segmentos durante a crise? Receber conteúdos exclusivos e em primeira mão com dicas e insights para sua empresa vender mais e sempre, não importa a época do ano? Então, assine a nossa Newsletter e fique por dentro de tudo o que rola do mundo de startups, fintechs e tecnologia!

banner_newsletter_blog_2