“font-weight: 400;”>A emissão de boleto bancário é o segundo método de cobrança mais popular do mercado brasileiro na internet, em especial por ser considerado seguro por grande parte dos clientes, já que nenhum dado bancário precisa ser informado. Mas vale entender que por conta de uma grande quantidade de fraudes em boletos, a Febraban instituiu o fim do boleto sem registro (entenda). É importante que as empresas ofereçam diversas opções de pagamento ao comprador e que o boleto esteja entre elas.

É fato que a compra com cartão de crédito é a mais comum entre transações online e que, ano a ano, o número de optantes por essa forma de pagamento só cresce. Principalmente quando se fala em cobrança recorrente. Mas, no mercado brasileiro o boleto ainda tem uma presença muito forte e seu uso na recorrência é muito comum.

Exemplo disso é que ainda existem muitos modelos de serviço em que o boleto predomina como forma de pagamento, vide as escolas, cursos de idioma, profissionalizantes e faculdades. Além de clubes de assinatura e alguns serviços como o Spotify, que também oferece esse método de pagamento.

Por isso, vamos falar do uso desse meio de pagamento na cobrança recorrente.

Entenda o boleto

O boleto é uma forma de pagamento que pode ser oferecida tanto por pessoas físicas quanto por pessoa jurídica (as empresas). As exigências para realizar a emissão são:

  • Ter conta em banco;
  • Possuir uma carteira de cobrança vinculada ao banco.

Para solicitar a emissão, aquele que realiza a cobrança pode fazer uso do sistema oferecido pelo próprio banco ou adotar algum sistema online. Nessas plataformas pode-se fazer a identificação do comprador, do recebedor e da data de pagamento. É possível, ainda, liberar um boleto único ou um conjunto, constituindo um lote.

Tipos de boleto bancário

Sem registro: nesse tipo, o título dispensava em alguns casos, a identificação, como o nome do cliente, valor e o prazo de vencimento. A grande vantagem desse modelo estava no baixo custo, visto que o banco cobrava apenas pelos boletos efetivamente pagos, e na facilidade –  as alterações poderiam ser feitas sem que a instituição bancária fosse informada.

No entanto, o controle do processo era bastante falho e estava mais propenso às fraudes e cobranças indevidas. Por isso a Febraban mudou as regras de cobrança e efetivou apenas o uso dos boletos com registro.

No boleto com registro tudo é fixado: valor, data, CPF ou CNPJ do cliente. O controle oferece maior segurança, possibilitando, inclusive, que títulos não pagos sejam protestados. A desvantagem, no entanto, está no pagamento das taxas.

O banco cobra pela emissão, manutenção e alterações e os valores não são baixos como eram os boletos sem registro. Contudo, existem soluções para emissão de boleto que oferecem a mesma experiência do boleto sem registro, mas com todas as seguranças devidas e taxas menores.

Como funciona o pagamento recorrente com boleto bancário?

A diferença entre a cobrança recorrente com cartão e o boleto está na hora de cobrar o cliente. Em vez de fazer a cobrança direto do limite do cartão, o assinante recebe um e-mail com um link para gerar o documento em PDF.

Quando você usa uma plataforma como a da Vindi, por exemplo, que oferece diversificação nas formas de pagamento, os benefícios de usar o boleto estão em:

  • Emissão do boleto em 30 segundos;
  • Envio automático do boleto ao cliente todos os meses na data programada;
  • Integração com o Aceita Fácil, que permite a emissão de boleto a um custo menor comparado aos oferecidos pelos bancos;
  • Envio de mensagens lembrando o cliente da emissão da fatura;
  • Ferramentas de combate à inadimplência.

Vantagens do boleto na recorrência

  • Redução de custos

O envio do boleto por e-mail evita custos com mão de obra e recursos envolvidos na operação: papel, tinta, energia. Além de economizar tempo com a emissão dos boletos um a um.

  • Cálculo automático

No caso de atraso, as multas e juros são cobrados na segunda via emitida, em vez de ser calculada só na próxima fatura. Isso ajuda na antecipação do recebimento dos encargos gerados.

  • Controle financeiro

Com o uso de uma plataforma fica mais fácil fazer a gestão e controle dos boletos por meio dos relatórios que te ajudam a saber se o cliente recebeu ou não o documento a ser pago.

  • Agilidade e segurança

O envio automático por e-mail evita atraso na entrega do boleto (que pode acontecer com ou sem greve dos Correios) e extravio do documento. Além de chegar mais rápido ao cliente para que ele efetue o pagamento.

  • Tudo automático

Da emissão até a notificação ao cliente, tudo é feito sem você precisar acionar nem um botão. Depois de efetuar o cadastro, determinar o plano e data de cobrança, todos os meses a cobrança será feita de forma automática.

O principal benefício do uso do cartão na recorrência é o número de pessoas que você pode atingir, visto o tamanho do público que esse método de pagamento tem. Mas, além disso, você ainda aproveita os benefícios de segurança e cobrança que o boleto oferece através do pagamento recorrente.

Você vai gostar também

Finanças e tecnologia numa só palavra – Fint... Muitos empreendedores estão apostando todas as suas fichas nas chamadas Startups de Finanças, ou Fintech, uma palavra onipresente quando se trata de t...
Resultados Digitais – veja quem está por trá... Outra empresa engajada no desenvolvimento do mercado de assinaturas que estará com a Vindi no Assinaturas Day como patrocinadora é a Resultados Digita...
Consumo no Brasil O Brasil assiste de camarote uma mudança muito grande no consumo da população nos últimos 3 anos. A subida das classes emergentes. O poder de consumo ...
O enterro do cheque pré-datado Você provavelmente foi convidado para o enterro do cheque pré-datado e possivelmente, não vai aparecer no velório. Brincadeiras à parte, fico me pe...