Como a Vindi recuperou mais de R$ 42 milhões em vendas perdidas

Quando falamos em churn (calma, o texto não é sobre isso) fazemos uma analogia com um balde furado em que você enche por cima (colocando clientes para dentro), mas perde pelos lados se não tiver ações para reter esse cliente. Ou seja, você ganha e perde na mesma proporção e a conta não fecha.

Mas, já parou para pensar que aqueles clientes que atrasam, esquecem de pagar e ficam inadimplentes também impactam negativamente na sua receita tanto quanto um que “churna”? Não existe uma métrica que intitule esses perdas, mas elas refletem no seu financeiro tanto quanto qualquer outra. 

Vendas perdidas

Pra muita gente, a venda perdida é aquela em você deixa de vender. E não deixa de ser. Mas o termo também pode ser usado para aquela venda que você fez e não recebeu. Nela, você perde não só tempo, mas também dinheiro (muito dinheiro)!

Imagine todos os processos de ativação que você tem que fazer depois que o prospect decide virar cliente. Você investe em aquisição, em esforços de venda e também na ativação, para no fim o cliente deixar de pagar, ficando inadimplente.

Em dois anos, R$ 42.883.086,59 foram os valores recuperados pela Vindi nas vendas em que os clientes deixaram de pagar. E, vai por mim, isso acontece mais do que você imagina!

Inadimplência

Dados divulgados pelo Serasa Experian em outubro do ano passado mostram um aumento no índice da inadimplência, que cresceu 4,45% quando comparada ao mesmo período do ano anterior (2016) elevando o número de inadimplentes de 58,4 para 61 milhões.

Sem dúvida, diversas empresas foram impactadas com a falta de pagamento dos clientes. Daí, entra aquela parte chata de cobrar, ligar e (re)cobrar. E é importante ressaltar que nem sempre a inadimplência é má fé por parte do cliente.

A troca ou cancelamento do cartão, o envio do boleto pelos Correios (que vive em greve) e até o esquecimento levam seu cliente a não pagar a fatura em aberto e isso afeta a entrada de caixa do seu negócio. Mas, claro, existem soluções para isso. 

Dá-lhe robôs!

Em vez de gastar tempo, recursos humanos, dinheiro e entrar para o rol dos negócios impactados negativamente pela inadimplência, muitas empresas resolveram fazer diferente: automatizar recebimentos e usar as ferramentas de cobrança da Vindi.

A Vindi usa a melhor tecnologia para desenvolver seus produtos. Daí que temos robôs por trás da plataforma em prol da recuperação das receitas perdidas dos nossos clientes.

Com as ferramentas de cobrança, as empresas conseguem continuar focando nos seus negócios e planejando o crescimento enquanto a gente faz a parte difícil de receber e cobrar automatizando todo seu negócio. Nós não, os os robôs! o/

 

Sobre o autor

Nathalia Braga
Jornalista que passou por redações de entretenimento, varejo e economia, mas acabou se apaixonando por marketing digital e hoje atua em suas principais vertentes.

Você vai gostar também

PACT: conheça o método de pré-venda mais utilizado... Muitas pessoas me perguntam: “como é o processo de qualificação na sua empresa?”. Alguns não sabem como iniciar, ou até mesmo como tocar o dia a dia d...
Como fazer suas vendas decolarem aplicando princíp... Pode parecer engraçado, mas as duas áreas - apesar de totalmente distintas - utilizam técnicas ou estilos muito semelhantes. Algumas características s...
Como o marketing digital pode ajudar nas vendas de... Ao pesquisar por novas formas de otimizar as vendas e melhorar o relacionamento com os clientes, é comum que empreendedores se deparem com soluções de...
Confiança do consumidor tem alta em outubro, segun... De acordo com dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o índice de confiança do consumidor teve sua sexta alta consecutiva em outubro de 2...