Com as perspectivas econômicas mudando a cada dia, devido ao avanço da COVID-19 ao redor do mundo, e com as medidas tomadas pelos governos para a contenção da doença. Uma coisa é fato: as empresas que já trabalham no modelo de venda online, ou as que estão se reinventando agora, possuem muito mais chances de ter um impacto menor em seus caixas. E, é isso que você vai ver a seguir na análise do Vindi Insights desta semana, que comparou o valor transacionado de alguns segmentos entre o período de de 12 a 18 de Março e 12 a 18 de Abril. 

Enquanto o e-commerce mostra uma crescente, tendo empresas como Riachuelo divulgando que o número de vendas em seu site aumento de 124% no período de 2 a 12 de Abril, os varejistas enfrentam uma grande queda em suas vendas. Segundo estudo realizado pela Cielo, o varejo teve um recuo das suas vendas, em Março, de 11,7%, quando comparado com o mesmo período de 2019. 

Para confirmar essa mudança, um estudo divulgado pela Social Miner apontou qual foi a grande mudança no consumo dos brasileiros que, em meio ao isolamento social, começaram a buscar alternativas online para realizar suas compras. 

Uma coisa é certa: a instabilidade econômica rodeia a todos. E, hoje, no Vindi Insights, você vai conferir como alguns segmentos se comportaram em um comparativo entre Março e Abril. Confira! 

Insights: comparativo entre os meses de Março e Abril de 2020

No comparativo entre os dias 12 à 18 de Março, com os dias 12 à 18 Abril, foi possível perceber uma leve diminuição no volume total processado, de -1,2%. Mas, se olharmos o mês de Abril como um todo, a queda chega a ser bem maior: -19%. A diminuição no comparativo da semana de Abril pode ser um reflexo da recuperação de alguns segmentos, como você vai poder conferir ao longo do texto.

Já quando falamos em número de transações, o cenário é semelhante ao do TPV. Na comparação com Março, o valor chega a -1,3%. Por mais um mês, é possível notar alguns segmentos apresentando crescimento, como SaaS e Clubes de Assinatura e, outros como Fitness e Hotelaria, em uma crescente queda. 

Para preparar esta análise para você, utilizamos a nossa base de dados de transações recorrentes ou pontuais através de cartões de crédito, débito e boleto bancário. 

Segmentos que continuam em queda

Saúde

No comparativo com Março, é possível notar uma queda significativa do setor, que chegou a -53%. Este é um segmento bastante afetado pela crise, uma vez que os serviços de odontologia estão sendo contabilizados com outros, como dermatologistas e nutricionistas, por exemplo. Quando falamos somente do mês de Abril, a queda do setor chega a 57%.

Turismo e Hotelaria

Sem grandes surpresas, o segmento de Turismo e Hotelaria segue em queda. Quando comparado ao mesmo período de Março, a diminuição do valor transacionado pelo setor chega a -42%. Mas, quando analisamos os dados do mês de Abril, a queda chega a -72%. 

O maior volume de transações acaba sendo no início do mês, ou seja, mesmo com a melhora da última semana, o impacto positivo no mês inteiro ainda é pequeno. Este é um segmento que possui um maior volume liquidado no início dos meses, o que faz com que as transações realizadas ao final dos meses não tenham um impacto muito grande no mês inteiro.

Fitness

Um dos segmentos que têm sido mais impactados pela crise vem mostrando uma pequena melhora no decorrer das semanas. No comparativo entre os dias 12 à18 de Março, com os dias 12 à 18 Abril, a queda é de -32% (e já chegou a ser bem maior antes). Mas, quando comparamos o mês de Abril inteiro, ela chega a -36%.

Seguradoras

Outro segmento bastante afetado pela crise, as Seguradoras apresentaram uma queda de -27% quando comparado ao mês anterior. Entretanto, quando olhamos os números somente de Abril, a queda chega a -69%. 

Educação

O segmento de Educação também tem mostrado uma recuperação nas últimas semanas. No comparativo entre Março e Abril, a diminuição no valor processado chegou a -2,3%. Uma grande conquista para o setor, que já chegou a ter uma queda de -12%. Como este é um serviço essencial, grande parte das instituições de ensino têm buscado alternativas online para continuarem prestando os serviços. Além disso, já temos muitas plataformas de e-learning no Brasil, o que pode acelerar o processo de transformação digital desse segmento.

Setores que apontam crescimento em meio a crise

SaaS

Este segmento é bastante sazonal, o que explica resultados tão diferentes nas últimas semanas. Ao analisar o mês de Abril por completo, SaaS teve uma pequena queda de -1,1%. Entretanto, quando analisado somente a última semana, o crescimento foi de +28%. 

E-commerce

Como era de se esperar, o segmento de e-commerce continua crescendo. Apesar de ter, em Abril, um aumento apenas de 5%, quando comparamos somente o período de 12 a 18 de Março, e de 12 a 18 de Abril, o aumento nos valores transacionados chega a +24%. Assim como Clubes de Assinatura, está absorvendo a nova demanda por serviços gerada pela crise.

Outro ponto importante a se destacar é a proximidade de datas comemorativas, como o Dia das Mães e o Dia dos Namorados, além da continuidade do lockdown em muitas cidades do país. Com isso, o crescimento nas próximas semanas pode ser ainda maior, além representar novas oportunidades para o setor. 

Clube de Assinaturas

Se analisarmos somente o mês de Abril, o crescimento dos Clubes de Assinatura chegou a + 18%. Quando comparado o período de 12 a 18 de Março e 12 a 18 de Abril, o aumento no setor chegou a + 24%. Este é um segmento que está ganhando muita força ao longo das semanas de quarentena. Um dos motivos é a recorrência na entrega dos produtos sem que o consumidor precise sair de casa. 

Serviços Financeiros

Um dos segmentos que ainda não apresentou queda no valor transacionado é o de Serviços Financeiros. No comparativo com Março, o setor teve um aumento de +8,3%. Grande parte se deve às empresas que oferecem serviços de educação financeira, o que, em tempos de crise, é algo muito buscado pela população que procura oportunidades no setor. 

Estética e Beleza

O segmento de Estética e Beleza está crescendo +3,2% no mês. E, quando olhamos somente para a última semana, comparado com o mesmo período de Março, o crescimento chega a 7,6%.

Uma hipótese é que as empresas do setor estão se adaptando bem à crise e criando planos com pagamento antecipado. Isso, aliado aos atrativos de bons descontos para os clientes, o que aparentemente tem funcionado.

Mais dicas, mais Insights!

Como você pôde ver na análise, alguns segmentos estão conseguindo encontrar, em meio à crise, oportunidades para escalar seus negócios. Em contraponto, outros segmentos ainda precisam se adaptar à nova realidade de consumo para conseguirem manter seu caixa.

Se você quer mais dicas ou insights sobre Marketing, Vendas e tecnologias que estão a ajudando as empresas neste período, dá uma olhadinha no nosso Kit do Empreendedor! E fique de olho no nosso blog, toda segunda-feira trazemos, para você, uma análise detalhada por segmento.