Muitos estigmas seguem a profissão de programador: desde a noção de que todo programador é um “nerd” introvertido até a de que este campo é restrito a homens. Mas ainda que seja parcialmente verdade que este mundo é dominado predominantemente por pessoas do gênero masculino, as mulheres estão cada vez mais encontrando seu espaço nele e se destacando cada vez mais.

Ainda que continuem precisando lutar por reconhecimento na área, cada dia surgem mais incentivos que ajudam a mostrar que elas possuem capacidade de trabalhar tão bem – ou até melhor – do que eles. Ao mesmo passo, o interesse feminino por este mundo que promete não apenas boas recompensas financeiras, mas também satisfação pessoal e a capacidade de fazer a diferença na forma como vivemos, cresce cada vez mais. Saiba no post de hoje um pouco mais a participação das mulheres na área da programação no Brasil.

Incentivos em um mundo dominado por homens

Que o mundo da programação é dominado por homens não é segredo para ninguém. Uma pesquisa recente apontou que nas maiores e mais importantes equipes de tecnologia do mundo as mulheres somam apenas 12% da participação nas equipes. No entanto, para reverter este quadro, o número de incentivos de empresas, projetos e ONGs que buscam despertar o interesse feminino na área da tecnologia tem aumentado exponencialmente – e os resultados, ainda que pequenos, já podem ser vistos.

No Brasil, grupos de debate, palestras, cursos e workshops voltados ao público feminino estimulam a discussão sobre a participação da mulher na área da tecnologia. Eles também estimulam a troca de conhecimentos como uma forma de promover o desenvolvimento de mulheres que querem fazer a diferença nesta área, mas que ainda precisam de motivação. Estes grupos, aos poucos, têm conseguido empoderar mulheres e fazê-las se interessarem não apenas por papéis na área da tecnologia, mas como líderes competitivas na área corporativa.

Algumas das comunidades femininas mais famosas discutindo e atuando nesta questão são o Rails Girls, um grupo mundial que promove o conhecimento de tecnologia para mulheres, o Women Who Code, que ajuda mulheres a conquistarem espaço no mundo da programação, o brasileiro Code Girl, que atua no país estimulando meninas interessadas na área de tecnologia a buscarem uma carreira na área, o Technovation, que é uma competição de programação mundial voltada para o público feminino, e muitos outros.

Desafios extras para mulheres que programam

A área da programação traz muitos desafios e alta competitividade independentemente do gênero do profissional. No entanto, quando uma mulher decide seguir carreira na área, outros desafios se somam à luta pelo espaço no mercado, já que também é necessário combater diariamente os preconceitos relacionados ao gênero e mostrar-se tão capaz ou ainda melhores do que seus concorrentes masculinos.

A participação das mulheres na área da tecnologia não tem a ver apenas com igualdade de gêneros e a promoção de oportunidades iguais tanto para homens quanto para mulher. Enquanto mais mulheres não fizerem parte da área da tecnologia, suas necessidades individuais distintas das dos homens serão negligenciadas.

Programar é encontrar na tecnologia formas de solucionar problemas reais e contar com o apoio da ciência para ajudar pessoas e transformar o mundo em que vivemos. Uma presença feminina ativa na área da tecnologia é essencial para que o mundo seja pensado e desenvolvido também do ponto de vista das mulheres.

Quer ler mais sobre tecnologia e inovação? Então confira os posts no nosso blog!

Author

A Equipe de redação Vindi é formada pela área de sucesso do cliente, marketing, financeira e vendas. Todo mundo contribui para que você fique informado sobre tudo em assinaturas, pagamento on-line e Saas.