Boleto bancário ou carnê: você conhece as diferenças?

Boleto

Boleto é um título de cobrança e que vem sendo substituído por outros meios de pagamento. Seja um e-commerce, um profissional autônomo ou uma PME, o boleto pode ser um grande aliado na hora de dar uma estendida no prazo de pagamento. Ele pode ser pode ser pago em lotéricas, Correios ou qualquer agência bancária até o vencimento.

Embora empreendedores que atuam no e-commerce tenham certo pavor pela utilização dos boletos, já que em muitos casos os clientes acabam emitindo o documento, mas não pagam, ele continua sendo a forma mais segura de recebimento de uma compra. Muitos consumidores não são adeptos do cartão de crédito e se sentem mais seguros a realizarem suas compras com boletos. Sem falar que muitas empresas oferecem descontos de até 10% para quem utiliza essa forma de pagamento.

Para empresas, a vantagem também é percebida, já que os custos de operação são menores daqueles praticados pelas operadoras de cartão de crédito, que chegam a cobrar até 6% do valor da compra.

Carnê

O carnê vem caindo em desuso e sendo substituído por outras formas de pagamento, mais flexíveis, práticas e cômodas, mas nem por isso deixa de ser útil. Muito parecido com o cartão de crédito, a utilização do carnê é um título que comprova um empréstimo em que o cliente tem a possibilidade de parcelar as compras.

No caso do carnê, é inevitável a análise de crédito, principalmente por ser a única forma de avaliar a capacidade futura de quitação da dívida em relação ao produto que está sendo adquirido. Segundo a pesquisa nacional realizada pelo SPC Brasil e pelo Portal Meu Bolso, compras com carnê atingiram a marca de 55 milhões de consumidores negativados em 2014, indicando que parcelar pode levar a um risco maior de inadimplência.

A utilização do carnê não segue um valor padrão. Caso o cliente queira realizar uma compra com determinado valor que não tenha dinheiro para pagar à vista, ele pode ir até o crediário da loja, abrir uma conta nesse valor e negociar o pagamento em quantas vezes achar que seu orçamento irá poder cobrir ou no limite máximo de prestações estabelecido pela empresa. A lógica é simples: a loja empresta o valor da compra para o cliente, que será pago em parcelas consecutivas, o carnê é emitido e repassado ao cliente, que se compromete com a quitação das parcelas acordadas.

O carnê é utilizado em inúmeras situações, principalmente naquelas de valor mais alto, como é o caso de financiamentos de veículos, imóveis, faculdade e outros. A grande vantagem do carnê em transações de compra é que, se o cliente atrasar, o pagamento o valor da parcela é mantido por certo tempo, como se fosse um período de carência. Juros e multas podem ser acrescidos por este atraso, conforme as condições estabelecidas no ato da contratação do crédito.

cta_fimdoboletosemregistro

E então, qual das duas opções vai ser mais útil para seu negócio? Ainda ficou com dúvidas em relação a estes tipos de títulos de cobrança? Entre em contato conosco ou deixe seu comentário logo abaixo! 

A Equipe de redação Vindi é formado pela área de sucesso do cliente, marketing, financeira e vendas. Todo mundo contribui para que você fique informado sobre tudo em assinaturas, pagamento on-line e Saas.