Mais de 200 MIL PESSOAS sabem como vender mais e sempre.

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos você também.

No último dia 17 de setembro, os líderes da Vindi participaram do Scale Up Summit Endeavor, um evento de empreendedorismo para quem cresce numa velocidade acima da média.

Eu reuni as sacadas que mais chamaram a minha atenção no primeiro painel do evento, com a participação de CEO’s de empresas que estão crescendo muito rápido, e acrescentei meus pitacos. O papo é todo voltado para líderes que lideram outros líderes, sejam eles fundadores, sócios, diretores ou executivos.

Delegar, liderar e formar novos líderes: como se adaptar aos novos papéis?

Com a participação do CEO da In Loco, André Ferraz, da Pitzi, Daniel Hatkoff e da Max Milhas, Max Oliveira, esse painel deu o tom do evento, deixando claro que não existem fórmulas mágicas ou respostas prontas para os desafios comuns aos empreendedores que estão crescendo.

1. Delegue ou pare de crescer.

“Quer algo bem feito? Faça você mesmo!” Errado. Não tem como escalar sem delegar. Sozinho você pode até ir longe, mas não tão rápido.

2. É sempre bom ter líderes coringa.

Especialistas são fundamentais, mas é bom ter alguns líderes “coringa”, que tem facilidade de transitar entre as áreas e assumir outros projetos, quando necessário.

3. Tenha líderes apaixonados e missionários, não mercenários.

Dinheiro é importante, mas não é tudo. Existem muitas formas de recompensar e reconhecer seus líderes. Mas, cabe a você descobrir quem são os missionários na sua empresa, os que têm sentimento de dono.

4. Não negocie os valores da sua empresa.

Não importante o quão top (em hard skills) seja o líder que está contratando ou que já contratou, se ele não compactua com os valores da sua empresa, você tem grandes chances de se arrepender mais tarde.

5. Tenha a cultura como DNA, mas lembre-se que ela é mutável. Toda contratação muda a cultura.

Líderes devem ser guardiões da cultura. Por isso, toda vez que você contratar um novo líder saiba que um pedaço dele passará a compor a cultura da sua empresa, que é viva e orgânica.

6. Defina os conhecimentos necessários para cada líder nos próximos 18 meses.

Se você sabe qual o plano de médio prazo, então deve saber também o que cada líder precisa saber ou aprender para sua empresa chegar lá. Deixe claro o que eles precisam desenvolver.

7. Entenda no que você é bom e no que você não é. Não seja gargalo.

Por mais experiente que seja, você não é um semideus. Você também tem limitações. Tenha humildade para reconhecer isso e saia do caminho, quando não puder ajudar. Vai cuidar daquilo que você é bom.

8. Líder que trabalha diretamente com o fundador precisa ter fit com ele.

Acho que isso vale para os demais sócios. Não, não é sobre amizade, é sobre afinidade. Eu conheci um gerente que se dirigia ao seu líder direto (um dos sócios da empresa) usando a expressão “senhor fulano”, quando ninguém mais usava tamanha formalidade. Ai não dá!

9. Teste as pessoas em desafios menores para saber se podem liderar projetos maiores.

Parece óbvio, mas às vezes algumas pessoas assumem desafios maiores, sem antes terem sido expostas a situações que testam sua capacidade. O índice de VDM é muito alto. (VDM = vai dar merda).

10. Avalie se essa pessoa tem potencial de aprender rápido a nova função, caso não, terá que buscar um líder no mercado.

Dispensa comentários. Simples assim!

11. Demita, se necessário. Reconheça a pessoa pela contribuição, na saída, mas não segure.

Demitir nunca é fácil, demitir um líder é ainda pior. Pior ainda é segurar uma pessoa quando o ciclo já fechou e está claro que ela já fez tudo que podia por sua empresa. Às vezes as pessoas não se encaixam mais num determinado desafio, mas podem assumir outros desafios interessantes lá fora, com mais fit. (Sugestão de livro: O Lado Difícil Das Situações Difíceis)

12. Se você perder a crença na pessoa, ajude ela a se recolocar em outro desafio, antes que a sua saída seja traumática.

Essa sacada é um complemento da anterior. Não deixe chegar nesse ponto.

13. Ajude os líderes a trabalhar com os times deles.

Você deve ter muito o que contribuir nesse sentido. Não tenha receio de pegar na mão do líder e mostrar pra ele como liderar outros, claro, sem ‘bypassar’ o cara.

14. Seja transparente com os seus líderes.

O que você espera deles? O que podem mudar para melhorar a performance? Em que aspectos precisam se desenvolver mais?

15. Envolva seus líderes em determinados problemas.

Essa é uma maneira de saber como eles lidariam com alguns desafios e quão sênior são.

16. Crie o drive de reconhecer as pessoas, como parte da cultura.

Todo mundo gosta e precisa de reconhecimento. Pense em formas de fazer do reconhecimento uma parte importante da cultura de sua empresa, mas repito, nem tudo é grana.

17. Atrele metas a remuneração (promoção salarial, comissão, bônus, etc.).

Isso não é fácil, mas faz parte do jogo meritocrata dividir o bolo com os líderes que alcançam as metas combinadas. Afinal, “nem só de pão vive o homem”, é verdade, mas ninguém gosta de ficar sem “pão”, ou melhor, sem sua fatia do bolo.

18. Pessoas inteligentes, são inteligentes de formas diferentes.

Identifique as inteligências dos seus líderes e delegue, de acordo com elas.

19. Quase tudo é delegável. Sempre tem alguém que faz melhor que você.

Já falamos sobre delegar no item 1, mas não custa repetir, já que tem muito líder centralizador por aí, achando que só o jeito dele fazer as coisas funciona. Ledo engano!

20. Três coisas que nunca deve delegar: (1) cultura, (2) estratégia e (3) o que tem risco iminente de matar sua empresa.

É, tem coisas que só os fundadores e sócios podem cuidar com conhecimento de causa. Outros líderes podem e devem participar da construção, mas esses três itens não podem ser terceirizados.

Se você é CEO, fundador, sócio, diretor ou executivo, eu tenho certeza que algumas dessas lições podem ajudar você e sua empresa a continuar crescendo de modo sustentável.

E se você quer ver na íntegra o painel que deu origem a esse artigo, é só acessar o link do vídeo aqui.

Última dica de ouro. Quer conhecer um pouco mais o trabalho da Endeavor? Clique aqui para ouvir o episódio do Like a Boss, com a Camila Junqueira, diretora da Endeavor. É sensacional!

Até a próxima! Sucesso!

Author

Mineiro radicado em SP, comunicador profissional formado pelo SENAC, é também formado em contabilidade e gestão comercial. Amante da vida e apaixonado por tênis. Atualmente é Head de Novos Negócios na Vindi e Coach de oratória e expressão verbal.