Recorrência: Vindi lança um dos maiores estudos sobre o assunto

Negócios recorrentes, também conhecido como subscription model, têm ganhado cada vez mais o mercado. Para se ter ideia, em 2020, a consultoria Gartner aposta que 80% das empresas de tecnologia vão operar no modelo de assinaturas.

Por isso, diante desse cenário em constante expansão, Rodrigo Dantas, nosso CEO, escreveu um dos estudos mais completos sobre o mercado, ele se chama Recorrência: a economia que transformou empresas como Netflix, Slack, Smartfit e Sem Parar.

Em sua análise, ele explica por que investidores adoram aplicar seu dinheiro nesse modelo. Pois são apostas com um risco muito menor do que negócios que precisam gastar esforços para trazer clientes todos os meses.

No estudo, ele aponta ainda os principais IPO’s dos últimos anos, além disso, Dantas conta sobre o mercado de billing brasileiro e apresenta cases nacionais e internacionais que são verdadeiras aulas de como criar um negócio recorrente de sucesso.

livro recorrência

A Economia da Recorrência

Ao contrário do que muitas pessoas possam pensar, receita recorrente não é apenas receita por meio de assinaturas, vai além. Dantas explica no estudo que o conceito também se refere em investir esforços para que um mesmo cliente compre o maior número de vezes possíveis.

Subscription model: os tipos de assinatura 

Segundo Dantas, os de modelos de assinatura são:

Assinatura tradicional ou direta

Nesse modelo, o consumidor precisa pagar antes de usar qualquer serviço ou produto. Isso é o que denominamos como cobrança recorrente na Vindi. Uma das principais estratégias para converter visitantes em assinantes nesse modelo é oferecendo um trial.

Assinatura configurável ou combo

Um dos modelos mais complexos para quem oferece soluções de billing, pois na assinatura configurável cada cliente tem um preço, itens e logística.

Assinatura com plano fixo + produtos e serviços avulsos

Nesta opção, o cliente normalmente tem um plano padrão, mas pode adicionar itens ou serviços avulsos em sua fatura. Um grande exemplo do modelo são as telefonias.

Venda recorrente

O principal aliado do varejo. Na venda recorrente, os dados do cartão do cliente são armazenados, com isso, ele pode fazer compras com “apenas um clique”. Um dos exemplos mais conhecidos que utilizam esse modelo é a Amazon.

Cases Internacionais

Para ilustrar a economia da recorrência, em seu estudo, Dantas analisou diversas empresas internacionais que sacudiram a ideia de recorrência lá fora.

Uma das principais empresas, a Netflix, não ficou fora da análise do CEO da Vindi. Pois ela é, segundo ele, um dos mais poderosos cases de assinaturas do mundo. Ele explica a estratégia de crescimento da companhia por meio da produção de conteúdo exclusivo; como Stranger Things e House of Cards.

O Slack, para Dantas, é um caso “extraterrestre”, pois em 2017 conseguiram atingir a marca de 1,2 milhão de clientes pagantes sem contar com nenhum vendedor. É isso mesmo que você leu, sem nenhum time de vendas. Como? Dantas faz sua análise no livro.

Pipedrive, Mailchimp, Adobe e Atlassian são outras empresas analisadas no estudo.

Cases Nacionais

Mesmo que existam muitos exemplos internacionais de verdadeiro sucesso no subscription model, o Brasil também é um verdadeiro berço de empresas que vendem por mensalidades e planos.

Dantas fez questão de analisar as estratégias do Sem Parar, Smartfit, Movile, Gympass, Empiricus; que são empresas brasileiras que descobriram o diamante que é vender por recorrência.  

Investidores amam negócios recorrentes!

Um dos tópicos do estudo Recorrência é sobre investimentos e IPOs. Nele, o CEO da Vindi faz uma análise sobre o mercado de Venture Capital, Anjos e Private Equity. Inclusive, compartilha uma lista dos principais investidores do setor SaaS e Subscription model.

Transformação do varejo

Em parceria com a Vtex, uma das principais plataformas de e-commerce do mundo, o livro Recorrência também faz uma importante análise da transformação do varejo como conhecemos para o mundo digital.

Nele, a Vtex explica, por exemplo, a migração do conceito de “ponto de venda” para “ponto de experiência”. Um dos exemplos citados é o conceito showrooming; em que clientes podem ir até um espaço físico experimentar acessórios e roupas e finalizar a compra online, no próprio lugar.

E aí, quer acessar informações valiosas e transformar seu negócio em um dos maiores cases do mundo? Então continue a leitura, baixe o livro Recorrência, um dos maiores estudos sobre Subscription model já feitos até hoje.

>>> BAIXAR O MAIOR ESTUDO SOBRE RECORRÊNCIA 

Aproveite!

Sobre o autor

Redação Vindi
A Equipe de redação Vindi é formada pela área de sucesso do cliente, marketing, financeira e vendas. Todo mundo contribui para que você fique informado sobre tudo em assinaturas, pagamento on-line e Saas.

Você vai gostar também

4 clubes de chocolate que faturam com a cobrança r... Para a indústria de chocolates, 2018 é um ano positivo e de grandes expectativas. Isso porque o consumo de chocolates aumentou em 8% no primeiro semes...
Como funciona um gateway de pagamento na prática A gente já falou aqui os motivos que levam à necessidade de usar um gateway nas transações de compra e venda, mas existem pontos que só quem é especia...
Será que as vendas online podem salvar o varejo? Os últimos resultados das vendas no varejo não têm sido positivos, diferente da online. De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio, os número apontar...
Quais são os maiores serviços de assinaturas do mu... As tendências mercadológicas também passaram a ser refletidas no comércio eletrônico e inúmeros serviços e produtos ganharam espaço nos chamados “site...